PRESIDENTE DO SINDAFISCO DIZ QUE CARGA TRIBUT罵IA PENALIZA OS MAIS POBRES

揙 problema n鉶 est na arrecada玢o, e sim na inefici阯cia no controle do dinheiro p鷅lico, disse Mauro argumentando que 搈esmo com a alta carga tribut醨ia sobre produtos e servi鏾s e o cont韓uo aumento da arrecada玢o, n鉶 h um aumento real na qualidade dos servi鏾s p鷅licos.
Terça-Feira, 26 de Maio de 2015 - 15:02

Após as manifestações do Sindafisco nas redes sociais e nos jornais eletrônicos, nos dias 21 (Dia da Liberdade de Impostos) e 25 (Dia do Respeito ao Contribuinte) deste mês de maio, a mídia televisiva também se interessou em destacar o assunto pela relevância para a sociedade que sofre com um sistema tributário nacional injusto, o qual penaliza a todos com uma das cargas mais altas do mundo, sobretudo os mais pobres.

Na manhã desta terça-feira (26/05), o presidente do Sindafisco, Mauro Roberto da Silva, foi entrevistado pela jornalista Renata Beccária, apresentadora do programa Novo Dia, que é transmitido todas as manhãs pela TV Candelária, afiliada da Rede Record. Na oportunidade, Mauro informou que a luta por um sistema tributário justo vem sendo encampada há anos pela Federação Nacional do Fisco (FENAFISCO), com o apoio do Sindafisco e de mais 30 Sindicados representantes da categoria fiscal de todo o Brasil.

“O problema não está na arrecadação, e sim na ineficiência no controle do dinheiro público”, disse Mauro argumentando que “mesmo com a alta carga tributária sobre produtos e serviços e o contínuo aumento da arrecadação, não há um aumento real na qualidade dos serviços públicos. O Brasil não é o único com uma carga tributária altíssima. Isso também é uma realidade em países da Europa, como Suécia, Alemanha. A diferença é que nesses países os recursos públicos retornam para os cidadãos aplicados em qualidade de vida”.

Mauro Roberto encerrou a entrevista dizendo que as entidades do Fisco defendem a desoneração da cesta básica, dos produtos essenciais, mas que essa desoneração tenha impacto na mesa das famílias, pois, segundo ele, o que acontece é que toda e qualquer redução de impostos não chega na ponta – reduz-se a alíquota mas não é repassada para o consumidor.  “Realmente é preciso haver seriedade, simplificação dos impostos e justiça social, pois a parcela mais pobre da população acaba pagando mais imposto nesse atual modelo tributário brasileiro”.

A entrevista será exibida às 18h40min desta terça-feira no programa RO Record, e quarta-feira (dia 27) no programa Novo Dia, às 7h30mim, transmitidos para todo o Estado.

 

Fonte - Assessoria

Comentários

News Pol韈ia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.