CURSO DE SEGURAN茿 P贐LICA E DIREITOS HUMANOS NA UNIR MOBILIZA POL虲IAS CIVIL E MILITAR

Intelig阯cia t閏nica e human韘tica um dos principais apelos do conte鷇o.
Quarta-Feira, 20 de Maio de 2015 - 11:33

Policiais civis e militares confirmaram nesta terça-feira (19) participação no curso de especialização em segurança pública e direitos humanos, que será promovido pela Rede Nacional de Altos Estudos em Segurança Pública (Renaesp), a partir do dia 9 de junho, na Universidade Federal de Rondônia (Unir), em Porto Velho.

Inteligência técnica e humanística é um dos principais apelos do conteúdo. Segundo o coordenador pedagógico do curso, professor Vinícius Valentim Raduan Miguel, bombeiros, profissionais da perícia forense e integrantes de órgãos da sociedade civil também serão selecionados para as 50 vagas gratuitas disponíveis. Os candidatos devem ter diploma de nível superior em qualquer área de conhecimento.

Renaesp é um projeto de educação permanente  da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), voltado aos profissionais do setor e para outros interessados em pós-graduação lato sensu (sentido amplo, em latim) na modalidade presencial. Atuando em 26 Estados e no Distrito Federal, já promoveu 186 cursos e matriculou 7,4 mil alunos em todo o Brasil.

As aulas desse curso são ministradas nos finais de semana, com carga de 380 horas, com 14 disciplinas divididas em módulos com estudos de direitos humanos, políticas públicas, planejamento e gestão estratégica, fundamentos sociológicos e filosóficos, história e evolução da cidadania no Brasil.

O beneficiário dessa bolsa de estudos terá o compromisso de cumprir todas as disciplinas previstas no curso de especialização, produzir monografia e cumprir com atividades extracurriculares previstas.

CUIDADOS ESPECIAIS

“Direitos humanos são a temática central e nela Rondônia se insere por situações diversas”, comentou Vinícius Miguel, completando que “seja a situação interna de presídios, o flagelo da droga, a violência contra a mulher, o conflito agrário, tudo requer um exame bem apurado da realidade brasileira e que geralmente exige cuidados especiais no tratamento de cada questão”.

O delegado-geral da Polícia Civil, Pedro Mancebo, adiantou que existem 40 vagas, e que o governo estadual escalará representantes  em duas áreas distintas: agentes de direitos humanos de vítimas e profissionais da Delegacia de Assuntos Penitenciários que cuidam de crimes nessa área.

Segundo ele, a Secretaria de Estado de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec) inscreverá agentes atuantes na defesa dos direitos da criança, idosos, mulher, pessoas com deficiência e dependentes químicos.

Dentro do princípio da polícia moderna, difundido pela Senasp, o policial aprende a usar a força quando necessário, entretanto, tem oportunidade de conquistar nova relação com a população, obtendo proteção e prestígio da sociedade.

O curso coincide com a fase adiantada de unificação do atendimento público por Unidades Integradas de Segurança Pública (Unisps) recém-construídas e cuja inauguração ainda deverá ocorrer até o final do primeiro semestre deste ano. “Esperamos que o curso amplie os nossos conhecimentos e que possamos colocá-los em prática”, comentou Pedro  Mancebo.

Para o coordenador de Recursos Humanos da Polícia Militar de Rondônia, coronel Cláudio Lessa, que participou do curso anterior, a Renaesp qualifica muito bem. Ele destacou também a convivência dos representantes da PM com outras forças, entre as quais, a Polícia Federal, Exército, Marinha e Aeronáutica. “Não apenas o respeito aos direitos humanos, a Polícia Militar protagoniza a construção de uma cultura de cidadania e de direito”, assinalou.

Fonte - ASSESSORIA - DECOM

Comentários

News Pol韈ia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.