PIT STOP NA BR-364 MARCA DIA NACIONAL DE COMBATE AO ABUSO E EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

A data de 18 de Maio foi escolhida em virtude da morte de uma menina de 8 anos que chocou todo país e ficou conhecido como ‘Caso Araceli’. Ela foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta.
Terça-Feira, 19 de Maio de 2015 - 08:39

Motoristas que passaram pela BR-364, próximo ao distrito de Jaci-Paraná, em Porto Velho, na manhã desta segunda-feira (18) foram surpreendidos com uma blitz educativa e orientados sobre o Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração sexual de Crianças e Adolescentes – 18 de Maio. A ação foi realizada pelo Centro de Defesa da Criança e do Adolescente ‘Maria dos Anjos’-Cedeca/RO, em parceria com a Superintendência da Polícia Rodoviária Federal/RO e AC e a Comissão de Direitos da Criança e do Adolescente da Assembleia Legislativa de Rondônia.

Estudantes da escola Tiradentes, em Jaci-Paraná também participaram de manifesto alusivo a data. Após receberem orientações sobre a temática, eles protagonizaram um ‘apitaço’ contra os diversos tipos de violência sexual contra crianças e adolescentes.

A data de 18 de Maio foi escolhida em virtude da morte de uma menina de 8 anos que chocou todo país e ficou conhecido como ‘Caso Araceli’. Ela foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta. O crime bárbaro ocorreu em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitoria (ES). Apesar do crime hediondo, os autores ficaram impunes.

Para a psicóloga do Cedeca, Deise Cidade, o dia 18 de Maio é uma data chave para o calendário das instituições de atendimento as vitimas de violência sexual infantojuvenil e serve para salientar as informações sobre esse tipo de violência e como buscar ajuda. Segundo ela, ao mesmo tempo a data também leva a refletir sobre os casos invisíveis de violência sexual, como o caso Araceli.

Seminário da Rede de Enfrentamento

Entre as ações alusivas a data, teve inicio em Porto Velho, o seminário 18 de Maio, que contou a participação da representante da coordenação do Cedeca Maria dos Anjos, Denise Cidade. Em sua participação, Denise apresentou o fluxo de atendimento às vitimas através de contextualização, rede de atendimento, entre outros temas. O Seminário continua nesta terça-feira (19).

Sobre a temática, o Cedeca continua durante todo mês de maio a realização de palestras em escolas da capital Porto Velho e distritos.

Dados estatísticos

Entre janeiro e março deste ano, o Disque 100 registrou 4.480 denúncias de casos de violência sexual. Destes, 45% das vítimas eram meninas e 20% tinham entre 4 e 7 anos. A maioria dos casos (85%) é de abuso sexual, quando o agressor, por meio de força física, ameaça ou sedução, usa crianças ou adolescentes para a própria satisfação sexual.

De acordo com dados da Delegacia Especializada de Proteção a Criança e Adolescente – DPCA, dos 160 inquéritos registrados no ano de 2014, em Porto Velho, 21% foram de estupros contra crianças e adolescentes.

Porém, segundo Deise Cidade, o índice de violência sexual contra crianças e adolescentes pode ser ainda maior, se levado em consideração outros atos que configuram violência sexual, como assedio verbal, exposição à criança a pornografias e telefonemas obscenos, entre outras.

Fonte - ASSESSORIA - CEDECA

Comentários

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.