Terça-Feira, 19 de Maio de 2015 - 08:10 (Geral)

DRAGAS E BALSAS INVADEM O CENÁRIO DO NOSSO RIO MADEIRA

A Polícia Federal, a Polícia Ambiental e órgãos fiscalizadores retiram os garimpeiros de áreas proibidas de procurar ouro no Rio Madeira.


Imprimir página

Não fosse algo tão sério, se poderia tratar como brincadeira de gato e rato. A Polícia Federal, a Polícia Ambiental e órgãos fiscalizadores retiram os garimpeiros de áreas proibidas de procurar ouro no Rio Madeira. Dragas, balsas e motores são apreendidos. Multas são aplicadas. Mas, como sempre, mesmo detidos e levados várias vezes para responderem pelo crime ambiental, os garimpeiros em poucas horas estão livres de novo. Pagam fiança ridícula, compram novos equipamentos, usam o mercúrio, que será jogado in natura no rio, para separar o ouro da areia e detritos e pronto. Neste domingo, quem andou perto da ponte do rio Madeira, tanto do lado da cidade como do lado de lá, pôde ver várias balsas prontas para o trabalho. Mesmo cheio, o Madeirão ainda é uma atração para aventureiros que continuam descumprindo a lei e, como não há punição, estão voltando todos os dias para a área. Há vezes em que trabalham apenas à noite, escondidos. Mas, em vários casos, eles já perderam o temor e garimpam durante o dia mesmo, em vários pontos entre o Cai N´Agua, no centro de Porto Velho, até perto do novo Porto Maggi. Nos últimos dias, talvez cansados de prender os garimpeiros para a Justiça os soltar em seguida, as equipes de fiscalização sumiram e as balsas voltaram. 

A garimpagem seria uma atividade normal, se, em rios da Amazônia e em áreas onde é realizada, não destruíssem tudo o que encontram pela frente.  Como o mercúrio leva até um século para ser absorvido pelo meio ambiente, a contaminação é de alto risco. Médicos já avisam que os peixes do Madeira estão com alto nível de contaminação de mercúrio, ainda daquela corrida do ouro dos anos 70. O garimpo é proibido na região. Mas quem está dando bola para isso? A população que se ferre e continue comendo alimentos com mercúrio!

ESTUDOS FAJUTOS

Pressão das ONGs, que mandam na Amazônia e em Rondônia, pode causar um grande conflito na região da Ponta do Abunã. Pequenos e médios proprietários, alguns que vivem e produzem na região há mais de 30 anos, estão ameaçados de despejo, porque a Funai decidiu, através daqueles estudos fajutos que já se conhece, que grande parte da área pertence aos índios Kaxarari e quer expulsar os colonos para entregar a área aos indígenas. O inacreditável é que as lideranças kaxarari não querem saber disso. Convivem há longo tempo pacificamente com os agricultores e não reivindicam aumento de suas terras. Mas as ONGs e a Funaio querem empurrar a sua decisão na marra.

GOELA ABAIXO

Dias atrás, foi realizada uma audiência pública na Assembleia, proposta pelo deputado Jean de Oliveira, para discutir a questão. Não fosse um assunto tão sério, seria cômico demais. A Funai e seus programas de demarcação de terras indígenas insistindo numa medida que pode causar enormes prejuízos tanto a índios quanto a colonos e os interessados verdadeiros, que vivem no local (brancos e índios), dizendo que não querem que nada mude, porque convivem harmoniosamente. Uma vergonha a intervenção de ONGs na região e o servilismo da Funai. Incrível!

ACORDO PACÍFICO

Mesmo com ordem judicial para que o grande número de famílias invasoras sejam retiradas da área onde será construída a Estação de Tratamento de Esgoto (ETA), na zona sul, o governo do Estado decidiu não usar a força e partiu para a negociação. Na sexta passada houve um encontro na Justiça Federal, com o vice governador Daniel Pereira liderança as propostas do Governo. O acordo para desocupação pacífica do local, que os invasores espertamente denominaram de "Bairro Presidente Dilma", deve ser concluído em breve. As obras de implantação de água e esgoto na área devem recomeçar em breve

ADEUS ÀS URNAS!

No final de semana, se confirmou o que já se ouvia há bastante tempo: o empresário Mário Português desistiu de disputar a Prefeitura de Porto Velho no ano que vem. Um dos nomes mais citados pelos eleitores em pesquisas não oficiais nos últimos tempos, Português fez o que muita gente correta e do bem tem feito: caiu fora da polícia, cada vez mais cheia de malandros e de sujeiras. O megaempresário vai se dedicar principalmente às atividades ligadas ao plantio de soja. Está prestes a dar início à produção em um dos maiores empreendimentos do setor no Estado.

LIMPEZA GERAL

Bagunceiros, mulheres bêbadas e fazendo streap tease, arrombadores e ladrões de carros, ladrões de celulares, assaltantes e muitos "dimenor" alcoolizados e fazendo porcarias, tiveram uma surpresa ao anoitecer de domingo. Todos foram pegos de surpresa por uma grande mobilização da Polícia Militar, que decidiu dar uma geral no Espaço Alternativo. O local, ainda em obras, é o ponto de encontro de muita gente que gosta de caminhada e de curtir um local com boa estrutura para exercícios físicos e para andanças. Só que nos últimos tempos, por falta de policiamento, a área havia se tornado uma verdadeira baderna. Ao que parece, a PM restabeleceu a ordem. Vamos ver até quando...

PERGUNTINHA

Será verdade que o programa Mais Médicos, decantado como a grande solução para os problemas da saúde pública em pequenas cidades brasileiras. começa a dar sinais de decadência?

 

Fonte: SÉRGIO PIRES

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias