News Rondônia Notícias de Rondônia, Brasil e o Mundo
Quarta-Feira, 25 de Novembro de 2020

NÚMEROS DA VIOLÊNCIA CRESCEM EM PORTO VELHO

De acordo com a Polícia Militar, existem pelo menos 1.600 policiais atuando nas ruas de Porto Velho, mas o número ainda é considerado insuficiente.
Terça-Feira, 12 de Maio de 2015 - 23:07

Felipe Corona
Especial para o News Rondônia

Não há nenhum local de Porto Velho onde as pessoas cheguem e não se ouçam relatos de violência. É o caso da assistente administrativa Joseane Rocha, de 27 anos, que viu de perto o desespero de parentes ao ter a casa invadida por bandidos.

“Em uma noite no mês de março, três homens invadiram a casa da minha irmã armados. Eles a amarraram junto com o marido e reviraram tudo. Não satisfeitos, ainda agrediram meu cunhado e ficaram puxando os cabelos dela. Levaram alguns pertences e a moto deles. A moto, conseguimos recuperar por conta do WhatsApp, onde houve bastante divulgação. Fiquei chocada, já que ela mora na mesma rua do que a minha, a cerca de quatro casas. E se fosse comigo? Não sei como reagiria”, disse ela que mora no bairro Jardim Santana, zona Leste da Capital de Rondônia.

Outra área que causa bastante atenção aos porto-velhenses é o trânsito, cada vez mais violento. “Não tenha um final de semana que morram pessoas em acidentes graves. É um absurdo. Mesmo com a Lei Seca, parece que o trânsito está cada dia pior. Não sei qual a causa, se é a falta de respeito, imprudência ou até mesmo de educação. Só sei que temos que rezar muito para sair e voltar para casa vivos. Quem teve parentes ou amigos mortos ou feridos sabe como é essa dura realidade”, disse Francisco Santos, de 53 anos, que teve a filha gravemente ferida em um acidente de trânsito, cujo motorista responsável pela batida, fugiu do local sem prestar socorro.

De acordo com a Polícia Militar, existem pelo menos 1.600 policiais atuando nas ruas de Porto Velho, mas o número ainda é considerado insuficiente. Ainda há problemas com a iluminação pública, deficiente em muitos bairros distantes do Centro da cidade e que aumentam a sensação de insegurança.

Números

Os números conseguidos pelo NewsRondônia com a Secretaria Estadual de Segurança Pública, Defesa e Cidadania (Sesdec) mostram um crescimento preocupante na violência em Porto Velho. De janeiro a abril deste ano, já ocorreram 61 homicídios, incluindo os distritos como Jacy-Paraná, União Bandeirantes e outros. Um aumento de 29,8% em comparação com o mesmo período do ano passado, quando ocorreram 47 assassinatos.

O número de feridos também aumentou em comparação com o ano passado. De janeiro a abril desse ano foram 1.880 feridos contra 1.836 dos primeiros quatro meses de 2014. Um crescimento de 2,4% ou 44 casos a mais.

Os roubos em todo o estado, em 2014, chegaram a 13.070 contra 11.512 de 2013. Já entre os meses de janeiro a março, já foram contabilizados 2.714 casos. O tráfico de drogas chegou a 580 ocorrências em 2014 contra 508 de 2013, um aumento de 14%. Até os três primeiros meses de 2015, já foram registradas 96 ocorrências. Normalmente, Porto Velho, por ser a maior cidade de Rondônia, detém a boa parte desses índices.

Em um levantamento feito pelo Ministério da Justiça, divulgado em 2013, o índice de resolução de homicídios em Rondônia, investigados pela Polícia Civil, chegou a 94% dos casos.

Apenas cinco estados também cumpriram a meta de mais de 90%: Acre (100%), Roraima (99%), Piauí (98%), Maranhão (97%), e Mato Grosso do Sul (90%). Outros cinco estados cumpriram menos de 20% da meta: Minas Gerais (3%), Goiás (8%), Paraíba (9%), Espírito Santo (14%) e Alagoas (15%).

Já os outros crimes como roubos e furtos, em Rondônia, o índice de resolução fica igual ao de outros estados: de 5 a 8% em média, segundo a pesquisa.

Trabalho

O Secretário de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), Antônio Carlos dos Reis, disse que medidas como operações policiais e abordagens são feitas diariamente em Porto Velho, mas o grande vilão dos crimes ainda é o tráfico de drogas.

O secretário relatou ainda que dos homicídios praticados na Capital, mais da metade são acerto de contas entre traficantes e uma parcela mínima de crimes passionais. “De nada adianta equipar a polícia com meios necessários para combater a criminalidade, se por outro lado, a legislação penal é falha e abre espaço para a impunidade. É como enxugar gelo”, lamentou Reis.

Mortes no trânsito

Quanto ao pequeno aumento no número de acidentes de trânsito em Porto Velho, o comandante da Companhia de Trânsito, major Alexandre de Lima, salientou que o fato é que o Brasil vive uma epidemia de mortes no trânsito e em Rondônia não é diferente. Mais de 60% dos acidentes com vítima estão ligados à combinação álcool e direção. “Em Rondônia, graças a um esforço conjunto PM-Detran, conseguimos, conforme reportagem da Folha de São Paulo, passar a segundo lugar no Brasil no ranking dos estados que mais conseguiram reduzir acidentes com vítimas, ficando atrás apenas do Rio de Janeiro”, frisou de Lima.

Alexandre destacou também que durante a vigência da Operação Lei Seca foram realizados mais de 35 mil testes de alcoolemia, sendo que mais de 7 mil resultaram em constatação de embriaguez. “Um número assustador, pois são potenciais causadores de acidentes com vítima”, disse o comandante.

Os resultados da Operação Lei Seca refletem na redução de mais de 40% de acidentados nos leitos do hospital de urgência da Capital, conforme dados da Secretaria de Saúde do Estado de Rondônia.

Operações

O secretário da Segurança, Defesa e Cidadania, Antônio Carlos dos Reis, explicou que as operações realizadas em todo o estado no decorrer da semana tiveram como foco o combate ao tráfico de drogas e outros crimes relacionados a esta prática, como furtos, roubos e crimes contra a vida.

O combate às drogas e crimes contra o patrimônio foram o foco de operações realizadas na Capital e nos municípios de Vilhena e Machadinho do Oeste no decorrer da semana.

Fonte - NewsRondônia
Comentarios

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.