ALERTA: CORRENTES QUE CIRCULAM PELAS REDES SOCIAIS PRECISAM SER APURADAS

Falsas informações são espalhadas em questão de minutos para o mundo inteiro. Em Porto Velho um rapaz precisou fazer um vídeo depois de ter sua imagem vinculada ao assassinato de um policial.
Quinta-Feira, 30 de Abril de 2015 - 10:57

Por Karina Quadros
da redação do NewsRondônia

Quem nunca recebeu uma mensagem pelas redes sociais, Facebook e WhatsApp, pedindo para que o texto fosse encaminhado a um determinado número de pessoas, caso contrário, Deus não o abençoaria, o aplicativo passaria a ser pago ou surgiria um ícone com um novo serviço de mensagem instantânea?

Pois é, tudo isso é mentira, e mesmo assim, todos os dias surgem novas informações que passam de dispositivo para dispositivo, em todas as partes do mundo. Embora pareça inofensivo, seguido da máxima de que “se for mentira desconsidere”, ou “uma mensagem não faz mal a ninguém”, a realidade parece bem contrária a isso.

Recentemente, o NewsRondônia publicou um vídeo onde um rapaz esclarecia que ele não fazia parte de enredo do assassinato de um policial. No vídeo ele pedia pela própria vida, contando que, ao contrário do que foi espalhado através de uma corrente pelas redes sociais, ele não tinha nada a ver com a história.

Ele disse: “Eu não consigo nem trabalhar, tenho uma filha para sustentar e venho sofrendo ameaças”. Ainda segundo a reportagem publicada pelo NewsRondônia, a intenção dele com a publicação deste vídeo era viralizá-lo, transformar a nova informação também numa corrente.

Outro exemplo recente foi o da corrente envolvendo os agentes de endemia da Secretaria de Saúde. De acordo com a mensagem, eles teriam sido assaltados e perdido as roupas e crachás de identificação. As autoridades da saúde afirmaram que a informação não procedia, e apelaram dizendo: "Por favor, continuem a receber os agentes. A única coisa que eles querem levar de sua casa são os criadouros dos mosquitos. A dengue mata, a prevenção salva e o boato só atrapalha".

Mas estes são poucos diante de tantos casos mentirosos espalhados por aí. O grande alerta, nesta Era da Informação ao alcance das mãos, é de verificação da notícia, sobre a responsabilidade de passar para frente um texto em que você não tem certeza que é verdade.

Assunto que divide opiniões entre os usuários. “Eu não suporto essas correntes, mas quando é uma informação séria, que eu acho relevante, eu acabo repassando, mesmo sem saber se é verdade”, disse Marlon. Já Willian se explica da seguinte forma: “Quando eu recebo a informação eu dou uma olhada nos outros grupos, se estiver todo mundo passando, eu repasso também, deve ser verdade”.

Uma citação que pode ser levada em consideração nestes casos vem do jornalista Ricardo Kotschop, profissional que tem 20 livros publicados, grandes reportagens contra a ditadura e já ocupou cargo de secretário de imprensa e divulgação da Presidência da República no início do governo Lula, ele diz que o maior erro dos profissionais da comunicação, em especial os jornalistas “é não checar as fontes”. Mas e quando a informação toma conta do mundo, e todos têm o poder de leva-la a frente, de quem é a responsabilidade?

Fonte - NewsRondônia

Comentários

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.