LENHA NA FOGUEIRA: CABOCLO BERADEIRO

E perguntado sobre o que achou da festa, responde sem pestanejar: Foi pai dgua e quando no est satisfeito com alguma coisa diz, Arre gua macho....
Quarta-Feira, 29 de Abril de 2015 - 08:27

Um caboclo beradeiro da beira do rio Madeira, daqueles que trata as pessoas de modo geral como “parente”, que quando consultado sobre determinado “boato” fala: “disque” que foi assim mesmo “sumano”.


E perguntado sobre o que achou da festa, responde sem pestanejar: “Foi pai d’égua” e quando não está satisfeito com alguma coisa diz, “Arre égua macho...”.


Pois esse cidadão foi solicitado a coordenar um evento que reuniria pessoas ligadas aos movimentos culturais em Rondônia. Dizem que a solicitação foi feita por uma autoridade da cultura local em forma de gozação.


Que pediu ao “beradeiro” metido a besta, que fizesse uma lista do que seria preciso para preparar o lanche dos participantes da reunião. O canoeiro todo “Pávulo” sentou-se a frente do computador e começou a digitar.


Senhor secretário, para o coffee break vamos precisar contratar um chef de cuisine, para preparar os croissants que serão servidos aos convidados.


Ao pessoal da reunião propriamente dita, vamos servir café preto com tucumã, macaxeira cozida, suco de cajá, tapioca, chá de burro, pupunha e vinho de açaí.


E depois dizem que ribeirinho não sabe das coisas. Olha aí parente, tentaram dar uma cama de gato na gente e levaram a maior pernada. Disque que isso, é conto da beira do rio, onde quem manda é o boto, a Iara e a buiuna...! O resto é “fulerage”.


Para valorizar essas estórias, a Funcultural de Porto Velho dentro em breve, publica edital convocando os interessados a produzirem filmes documentários. Veja a nota distribuída pelo parente Marcos Nobre Júnior:


A Diretoria Colegiada da Agência Nacional do Cinema (Ancine) aprovou a proposta da Prefeitura de Porto Velho, formulada pela Fundação Municipal de Cultura (Funcultural), que visa fomentar a produção audiovisual no município com o lançamento de um edital público para a seleção das obras.

 


O “Curta Porto Velho em Tela” será financiado com recursos proveniente do Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Indústria Audiovisual (Prodav), por meio do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), do Ministério da Cultura (MinC).


Serão disponibilizados R$ 300 mil (R$ 200 mil do FSA e R$ 100 mil da contrapartida do município) para a produção de seis curtas-metragens, sendo dois documentários (R$ 40 mil cada); duas animações (R$ 60 mil cada) e duas ficções (R$ 50 mil cada).


Em ofício encaminhado à Funcultural, o presidente da Ancine, Manoel Rangel, comunica a aprovação do edital elaborado pelo município que deve ser lançado até o final de maio, conforme informou o presidente da fundação, Marcos Nobre Júnior.


O edital já foi encaminhado à Procuradoria-Geral do Município (PGM) e, caso não seja encontrado nenhum impedimento legal, será liberado para consulta pública até o dia 31 de maio, a partir de quando poderá ser consultado pelos interessados no financiamento. “A resposta da Ancine nos deixou muito satisfeito. É a primeira vez que o município investe ‘pesado’ na área do audiovisual, segmento da cultura portovelhense que estava esquecido, mas que passou a ser valorizado na administração do prefeito Mauro Nazif”, afirmou Marcos Nobre Júnior.


De acordo com o presidente da Funcultural, com a parceria firmada com a Ancine, Porto Velho terá como expandir a produção independente de conteúdos audiovisuais, com qualidade técnica e artística e diversidade de gêneros, formatos, autores, públicos-alvo e também de origem regional.


Pense numa coisa pai d’égua! 

Fonte - Z Katraca

Comentários

News Poltica

News Polcia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.