SEMPEDEC RECEBE COMITIVA DE MORADORES DE FORTALEZA DO ABUNÃ

A Prefeitura de Porto Velho, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e a Energia Sustentável do Brasil (ESBR) se reuniram com a população de Fortaleza do Abunã, no dia 09 de abril, para tratar de pautas apresentadas pela comunidade.
Quinta-Feira, 16 de Abril de 2015 - 16:50

A Prefeitura de Porto Velho, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e a Energia Sustentável do Brasil (ESBR) se reuniram com a população de Fortaleza do Abunã, no dia 09 de abril, para tratar de pautas apresentadas pela comunidade. Os questionamentos foram principalmente sobre o remanejamento de moradores de áreas alagadas, sobre a realocação da praia, manutenção da estrada e outros assuntos referentes à estrutura do distrito.

Márcio Fontes, da Coordenação de Programas e Projetos da Secretaria Municipal de Programas Especiais e Defesa Civil (Sempedec), que representou a Prefeitura na reunião, explicou à comunidade, a respeito das novas moradias, que o município aguarda ainda, por parte do Estado, a aquisição de uma área compatível com o número de afetados já cadastrados.

Sobre a realocação da praia, Fontes esclareceu que foi realizado contatos com o Governo Boliviano para a obtenção de autorização legal para a realização dos serviços. “Compreendemos que não deveríamos mexer na praia do lado brasileiro sem também atuar do lado de lá, pois o rio é binacional. É como se fosse uma estrada. Ao realizar mudanças de um lado, necessariamente se deve também realizar mudanças do outro. Portanto, não vamos agir enquanto não tivermos a autorização para atuar do lado boliviano”, explicou o representante da Prefeitura de Porto Velho na reunião.

Quanto à estrada de acesso ao distrito, foi esclarecido que as máquinas já estão estacionadas ao longo do caminho, apenas aguardando uma trégua nas chuvas, que têm atingido fortemente aquela parte do município, para iniciarem os trabalhos de nivelamento e encascalhamento. “Está tudo preparado para começar, mas é preciso aguardar que as chuvas amainem. Os serviços de encascalhamento são totalmente  inviáveis sob as chuvas”, disse o técnico da Sempedec.

Além desses pontos outros mais foram tratados. Os moradores se satisfizeram com as explicações apresentadas e tanto a Emater quanto a ESBR referendaram os posicionamentos adotados pela Prefeitura.

Fonte - comunicação pmpv

Comentários

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.