CARROS: SEGURADORAS POSSUEM PRAZO DE 30 DIAS PARA A RESOLUÇÃO DO SINISTRO, CONFORME ORIENTAÇÃO DA SUSEP

É que em inúmeras oportunidades as seguradoras colocam entraves para fazer aquilo que foram pagas para fazer
Quinta-Feira, 16 de Abril de 2015 - 12:25

A situação é quase sempre a mesma. O cidadão paga um bom valor todos os anos para ter minimizados os efeitos de eventuais infortúnios em seus bens, sejam eles móveis ou imóveis. Então quando ocorre um infeliz evento o cidadão descobre que ao invés de estar protegido, ele está na realidade apenas no início de uma “via crucis” que vai lhe render muitos aborrecimentos e dores de cabeça.

É que em inúmeras oportunidades as seguradoras colocam entraves para fazer aquilo que foram pagas para fazer. Para piorar a situação, via de regra, fazem o serviço em um tempo absurdo, muito superior ao que seu cliente espera (ou pode) esperar. As práticas das operadoras de seguros costumam passar longe do que está estipulado a elas por sua agência reguladora, a SUSEP (Superintendência de Seguros Privados).

Mas, afinal, que prazo é este que deve ser respeitado? 30 dias. Isso mesmo, aquela seguradora que impõe todo o tipo de regra e possui uma infinidade de razões para não liberar os valores estipulados possui um prazo máximo de 30 dias para lhe indenizar ou liberar o conserto do seu bem. Mas não é isso que ocorre na prática.

Após a abertura do sinistro a maioria das seguradoras costuma a exigir uma série de documentos dos segurados, o que prolonga em muito a autorização do conserto ou do pagamento do prêmio. Isso acontece porque o prazo começa a contar para a seguradora somente após a entrega de toda a documentação. Logo, se faltar qualquer documento, o prazo da seguradora não terá oficialmente iniciado. Porém, toda a documentação que a seguradora pode exigir do cliente já deve vir especificada no contrato.

O histórico de incidentes demonstra uma atitude nefasta da maior parte das seguradoras que corriqueiramente protelam os processos, mesmo que com a documentação completa, por entre os meandros burocráticos (acumulando poeira mesmo) somente sendo levados a sério e obtendo uma resolução quando o segurado, obviamente estressado e cansado, encaminha reclamação à Susep.

Tratando mais especificamente de seguros de automóveis, muito embora o conserto possa variar muito de veículo para veículo, as seguradoras possuem o mesmo prazo de 30 dias para liberar o conserto. Ocorre muito das seguradoras postergarem o conserto do veículo alegando falta de peças no mercado ou outros subterfúgios para esquivar-se de sua responsabilidade. Para desespero delas essa desculpa não tem “colado”, e clientes que entram na justiça contra suas seguradoras tem ganhado danos morais e patrimoniais por conta desse descaso. E neste sentido tem se posicionado diversos tribunais em todo o país.

Para se prevenir de toda essa dor de cabeça é importante que o segurado leia com atenção os termos de sua apólice, discuta estes com seu corretor. Se ainda assim não forem respeitados os direitos sugere-se procurar um advogado especializado na área.

Fonte - susep

Comentários

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.