NOVA UNIDADE DE SAÚDE MAURÍCIO BUSTANI É INAUGURADA PELA PREFEITURA

A unidade foi toda reformada e ampliada e levou três anos para ser concluída. Iniciada na gestão passada, a obra teve que ser auditada e o projeto readequado para que o município pudesse concluí-la.
Quinta-Feira, 16 de Abril de 2015 - 09:22

O prefeito Mauro Nazif entregou à população de Porto Velho nesta quarta-feira, 15, a nova unidade de saúde Maurício Bustani, localizada no bairro Liberdade (avenida Álvaro Maia com a Jorge Teixeira). A unidade foi toda reformada e ampliada e levou três anos para ser concluída. Iniciada na gestão passada, a obra teve que ser auditada e o projeto readequado para que o município pudesse concluí-la.

Financiada com recursos do Ministério da Saúde e contrapartida da prefeitura, a obra teve um custo de R$ 1,4 milhão, sendo que R$ 1,1 milhão foi gasto na estrutura física — R$ 700 mil só na etapa de conclusão — e os R$ 300 mil restantes na compra de equipamentos. “É mais uma obra importante na área da saúde que entregamos à população. Sabemos que quando se fortalece a atenção básica você consegue aliviar muito a pressão em cima de outras unidades, como o João Paulo II, o Hospital de Base e o Cosme e Damião. Outro ganho, é que você leva esse atendimento para mais próximo da população, mais próximo de onde o usuário mora”, adiantou o prefeito.

O secretário Domingos Sávio, titular da Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), lembrou que a Maurício Bustani é uma unidade de saúde tradicional e funcionará com cinco equipes de médicos e enfermeiros, duas pela manhã e três à tarde. Também será oferecido serviço de vacinação, exames laboratoriais, odontológico, educação em saúde e atenção e acompanhamentos aos diabéticos e hipertensos. “Aqui vamos trabalhar as chamadas demandas espontâneas, ou seja, o paciente terá que vir até a unidade, pois não serão agendadas consultas uma vez que não há equipes do Programa Saúde da Família para ir até as residências em visitas que geralmente resultam em agendamentos dessas consulta. Mas a capacidade de atendimento é de sessenta a oitenta pessoas, além de que, as condições de trabalho agora são bem melhores”, revelou o secretário.

Domingos Sávio adiantou que até o final de maio mais cinco unidades de saúde serão inauguradas pela prefeitura — Lago do Cuniã, de Demarcação, da Vila Cauderita, da Linha 28, de Cujubim Grande — e para o final de abril está prevista a inauguração do novo complexo administrativo da Semusa, que funcionará na avenida Jorge Teixeira. “Vamos também melhorar a rede elétrica, rede hidráulica, rede lógica de todas as nossas unidades e pintá-las com as cores do município. Até o final do ano queremos que pelo menos 80% delas já estejam nessas condições. É um trabalho muito grande que estamos fazendo cumprindo as determinações que nos foi passada pelo prefeito”, disse.

O vice-governador do Estado, Daniel Pereira, que esteve presente à solenidade, reconheceu os avanços implementados na área da saúde pelo prefeito Mauro Nazif e pelo secretário Domingos Sávio e enfatizou que hoje o Governo do Estado tem dado atenção especial ao município de Porto Velho. “A atenção do governo é com todos os municípios, mas Porto Velho tem recebido um atendimento diferenciado. Várias parcerias já foram firmadas e outras ainda serão acertadas, pois o que visamos é a melhoria da qualidade da população”, frisou o vice-governador.

O patrono

Nascido em Porto Velho (RO), em 1945, José Maurício Bustani foi o primeiro diretor-geral da Organização para a Proibição de Armas Químicas e embaixador do Brasil junto ao Reino Unido entre 2003 e 2008 e é atualmente embaixador do Brasil na França.

Formado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ)m em 1967,  frequentou o Instituto Rio Branco, no mesmo ano, depois que entrou para o serviço diplomático brasileiro.

Foi nomeado diretor-geral da OPAQ, em 1997. Um dos resultados de seu trabalho, anterior até mesmo a sua assunção no comando da OPAQ, foi a edição da Lei Bustani (Lei 11.254, de 17.12.2005), que “estabelece sanções administrativas e penais em caso de realização de atividades proibidas pela Convenção Internacional sobre a Proibição do Desenvolvimento, Produção, Estocagem e Uso das Armas Químicas e sobre a Destruição das Armas Químicas existentes no mundo (CPAQ)”.

Como embaixador Bustani realizou mais de 1,2 mil inspeções em 50 países, comandou a destruição de dois milhões de armas químicas e dois terços das instalações onde estas eram fabricadas, reduzindo significativamente o estoque de armas químicas no mundo. Conseguiu, também, convencer nações relutantes com tal sucesso que o número de signatários da convenção subiu de 87 para 145, nos últimos cinco anos, de 1997 a 2002 (a maior taxa de crescimento obtida por qualquer organização multilateral em tempos recentes).

A adesão de países do Oriente Médio como o Irã, o Sudão, a Arábia Saudita e a Jordânia foi considerada como um passo importante para o desarmamento regional e para a paz em uma região tão conturbada.

Fonte - Assessoria de Comunicação- PMPV

Comentários

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.