NA CONTRAMÃO DOS DOGMAS

Em nota oficial o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) reafirmou a defesa dos princípios de respeito à diversidade e da manutenção intransigente da laicidade do Estado, sem vinculação ou submissão a qualquer manifestação religiosa, e da defesa das liberdades conquistadas e consolidadas na Constituição Federal de 1988.
Quinta-Feira, 09 de Abril de 2015 - 15:38

Por Jullyane Saldanha Monteiro de Souza

Certamente, neste artigo posso estar tocando em um vespeiro, entendo que certamente este assunto é digno de discussão pela repercussão que o caso obteve. Certo é que como brasileiros, temos o devido respeito a Constituição Federal , a nossa legislação maior e que ela nos garante a liberdade de crença religiosa, o direito ao livre exercício de cultos, aos locais aonde são exercidos e sua liturgia, além da ampla proteção referente a sua inviolável liberdade de consciência, o que em resumo disponibiliza a certeza de que o Brasil é oficialmente um  Estado Laico.

Certamente que imiscuir Estado e Religião, não teremos uma certeza de resolução rápida e eficiente. As pessoas, com suas convicções religiosas, bem como as instituições que representam, sempre exerceram influência na organização da sociedade. E desta feita, o Deputado Federal Benevenuto Daciolo Fonseca dos Santos, eleito pelo PSOL/RJ com 49831 votos, e através da PEC DOS APÓSTOLOS (PEC 12/2015), pretende criar uma discussão sobre um tema que, mal foi apresentado, já recebeu duras críticas e inclusive ameaças de expulsão do partido, por propor a mudança do texto do artigo primeiro da Carta Magna de “Todo poder emana do povo” para “Todo poder emana de Deus”.

Em nota oficial o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) reafirmou a defesa dos princípios de respeito à diversidade e da manutenção intransigente da laicidade do Estado, sem vinculação ou submissão a qualquer manifestação religiosa, e da defesa das liberdades conquistadas e consolidadas na Constituição Federal de 1988. São elas que nos garantem a livre expressão do pensamento e nos abrem os horizontes para o desenvolvimento. Obviamente, uma das certezas que temos é que a religiosidade do povo brasileiro, e independente de ser católica, evangélica ou espírita, não há dúvidas de que ela  é arraigada, verdadeira, pujante e deve auxiliar a promover no Brasil a continuação da luta pela igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade pluralista e comprometida com a solução pacífica das controvérsias.

Com certeza a proposta, não visa diminuir as conquistas do povo ao longo da história e sim motivarmo-nos em discutir muitos outros assuntos que pesam no nosso cotidiano (até porque a nossa fé, nem o amor que temos, precisam ser discutidos) e procurar os reais desafios para a nossa sociedade que clama por redução na corrupção, na taxa de juros, no consumo racional da energia, atuando com responsabilidade social, visando aumento da oferta de emprego e nos mecanismos que possam proporcionar a convivência em uma sociedade, harmoniosa e com oportunidades.

*Especialista na Gestão de Pessoas

Fonte - Jullyane Saldanha Monteiro de Souza

Comentários

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.