STÉDILE, O NOVO PORTA VOZ DO POVO BRASILEIRO

O Presidente Maduro pode ter certeza que todo o povo brasileiro está ao seu lado". Ou seja, nosso maior líder do MST falou em nosso nome, dos que não tivemos a oportunidade de irmos à Venezuela para comemorarmos, efusivamente, os dois anos da morte do maior líder da América Latina desde Simon Bolívar.
Quarta-Feira, 11 de Março de 2015 - 10:34

João Pedro Stédile, o líder do MST, nunca pegou numa enxada e nem trabalhou duro. Mas é o representante de milhares de brasileiros. E tem também o poder de representar o Brasil em eventos no exterior, dizendo pérolas como "Hugo Chávez é brasileiro" e comparando o criador da República Bolivariana a um herói supranacional. Stédile discursou aos venezuelanos, quando se completaram dois anos da morte, por câncer, do então Presidente do nosso vizinho país. Stédile falou também em nome do "companheiro Lula", segundo suas palavras. Mas foi mais longe. Disse, em alto e bom som, que você, eu, nós todos, somos encantados com o regime já muito perto de uma ditadura e caminhando para a guerra civil, do atual Presidente Maduro. Stédile falou em nosso nome. "O Presidente Maduro pode ter certeza que todo o povo brasileiro está ao seu lado". Ou seja, nosso maior líder do MST falou em nosso nome, dos que não tivemos a oportunidade de irmos à Venezuela para comemorarmos, efusivamente, os dois anos da morte do maior líder da América Latina desde Simon Bolívar.

Claro que o leitor compreendeu que o texto acima está eivado de ironia. O doidão Stédile, que vive ameaçando começar uma guerra caso haja o impeachment da Presidente Dilma (é claro que não haverá, não por causa dele, idiotizado por sua ideologia, mas porque não há motivos legais  para isso), agora se considera porta voz do povo brasileiro. Está na hora do nosso novo líder começar a se recolher à sua insignificância, porque fora do MST ele não serve para nada. E seria bom se o governo viesse a público para dizer se autorizou esse sujeito a falar em nome dele; do ex presidente Lula e do povo brasileiro. É tudo cômico, não fosse trágico. Não está na hora de apresentar uma enxada para esse homem do campo, para ele começar a trabalhar?

POR QUE NÃO?

Boataria corre solta em relação à Caerd. Fala-se que a estatal, que nunca conseguiu funcionar direito, poderá ser privatizada. Como se isso fosse uma coisa muito ruim. Ora, se for transformada em empresa, se for vendida para a iniciativa privada e funcione, cumpra seu papel, leve água potável para todas as comunidades e tratamento de esgoto também, por que não? Claro que o consumidor tem que ser protegido contra custos abusivos, mas afora isso, não há motivo para não transformar a Caerd em alguma coisa que, enfim, funcione como deveria estar funcionando há anos.

A GRANA CRESCEU

A atual direção da Caerd, contudo, anda otimista. A presidente Jacira Azamor informou ao deputado Maurão de Carvalho, comandante da Assembleia, na semana passada, que o faturamento cresceu em mais de 50% nos últimos dois anos. O pulo foi de 8 milhões/mês para 12 milhões e 500 mil/mês. Ou seja, a estatal está conseguindo pagar suas contas em dia. As atuais. Porque o furo do passado pode acabar se tornando impagável. Além disso, precisaria faturar muito mais, para sobrar dinheiro para novos investimentos. Mas, enfim, o que era muito ruim já está dando sinais de melhora.

TRE VAI BEM

Mesmo funcionando em local improvisado, no térreo de um dos prédios do CPA, agora chamado de Palácio Rio Madeira, o TRE rondoniense continua dando um exemplo de bom atendimento e respeito ao público. Porto velhense que precisou tirar segunda via do seu título e de um documento de quitação eleitoral, foi atendido rapidamente e saiu de lá com tudo o que precisava em mãos. Além disso, ele destacou o bom atendimento, a forma gentil com que os servidores se dirigem ao público e alto astral que encontrou por lá. Pode até ter sido exceção, mas que aconteceu, aconteceu...

NA CAMPANHA É DIFERENTE!

Nesta quarta, Prefeitos se encontram com o governador e seu equipe.  num hotel do centro da Capital. Eles vão, de chapéu na mão, pedir apoio a Confúcio Moura, já que na maioria dos casos, os cofres dos municípios estão tão vazios que podem ter até teias de aranha. Vão explicar também que precisam receber, da União, mais de 670 milhões de reais que entraram no "restos a pagar" e, é claro,  ninguém sabe se um dia verá essa grana. Ser prefeito hoje, em qualquer cidade, mas principalmente em Rondônia, é pedir para sofrer. Mas, na hora da eleição, todos garantem que vão resolver todos os problemas...

OUVINDO O CORAÇÃO

"Vocês nem sabem como é bom ouvir o coração. Por se tratar de “sentença” jurídica, nada melhor do que se esgotar os recursos e as possibilidades da lei. E lá na frente, vencendo, como espero, o Quarto Turno, aí sim, faremos a festa, no mesmo lugar que foi marcada pra hoje". Filosofia confuciana, isso, do Confúcio Moura, explicando, no seu blog, porque achava melhor que não houvesse qualquer manifestação pública para homenagear a ele, o chefe, nesse momento de complexidade. É que cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém.

PERGUNTINHA

Será  que os ricos fizeram um panelaço contra o governo porque o caviar subiu de preço e já custa quase tanto quanto a gasolina?

Fonte - Sergio Pires

Comentários

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.