EDUARDO VALVERDE: HÁ QUATRO ANOS MORREU O POLÍTICO COM O SONHO DE SER GOVERNADOR

Foi na militância sindical que se aprimorou como aguerrido lutador pelos ideais que sempre acreditou, e pelas causas sociais. E como vereador em Machadinho D'Oeste iniciou seus primeiros trabalhos legislativos.
Quarta-Feira, 11 de Março de 2015 - 09:55

Por Lucas Tatuí*

Numa semana de incertezas na política estadual, quando a Justiça Eleitoral pode decidir novos rumos no governo de Rondônia, completa quatro anos do fim de uma notável  trajetória do ex-deputado federal Eduardo Valverde, que morreu num trágico acidente na BR-364, no dia 11 de março de 2011.

Deputado Federal por dois mandatos (eleito em 2003 e reeleito em 2006) pelo Partido dos Trabalhadores, Eduardo Valverde também sonhou em ser governador de Rondônia – sonho que se externalizou  em 2010, quando venceu desafios internos de uma sigla dividida para disputar o Palácio Getúlio Vargas.

No dia 13 de julho de 2010, Valverde, ombreado por correligionários, iniciava a campanha de rua “do 13” rumo ao Governo de Rondônia, com uma caminhada no centro de Porto Velho. Mas acabou chegando em terceiro lugar na corrida, com 120.462 votos, num pleito conquistado pelo ex-prefeito de Ariquemes Confúcio Moura (PMDB).

Auditor fiscal do trabalho e formado em Direito e Administração pela Universidade Federal de Rondônia (Unir), Valverde era um homem de elevada competência e reconhecível ética. Foi na militância sindical que se aprimorou como aguerrido lutador pelos ideais que sempre acreditou, e pelas causas sociais. E como vereador em Machadinho D'Oeste iniciou seus primeiros trabalhos legislativos.

Na Câmara dos Deputados, o representante de Rondônia foi atuante, como titular das comissões de Minas e Energia; e de Fiscalização Financeira e Controle; e como integrante do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar. Quando usava a tribuna, com seus discursos delineados e seguros, conseguia facilmente ser ouvido e respeitado. E por vezes, seu temperamento forte se sobressaia nas divergências de ideias.

A perda do político levou a Presidência da República a emitir nota de pesar, destacando que Valverde, como auditor fiscal do trabalho e parlamentar, “lutou pelas causas sociais, pela erradicação do trabalho escravo e contra a exploração do trabalho de crianças e adolescentes”. E a Câmara realizou sessão solene em sua homenagem póstuma, na manhã do dia 12 de abril de 2011, no plenário Ulysses Guimarães.

Na mídia nacional, a notícia da morte trágica de Eduardo Valverde não teve repercussão. O motivo foi que acabou ofuscada por tragédia ocorrida do outro lado do mundo: no mesmo dia 11 de março o devastador tsunami fez quase 20 mil vítimas no Japão e provocou uma crise nuclear na usina de Fukushima, a pior das últimas três décadas.

E aqui em Rondônia, o tsunami também era uma realidade na alma e no coração dos familiares, amigos e companheiros de Eduardo Valverde, que encerrava sua trajetória de luta aos 54 anos, de uma forma tão trágica, quando ainda tinha “muitas coisas boas para o povo de Rondônia”.

“Passaram-se quatro anos, mas ainda hoje me vejo parecendo não acreditar... Foi uma perda muito difícil! Valverde foi um esposo, um amigo, um companheiro, que faz muita falta... Ele era um homem com um grande coração, fiel aos seus grandes ideais e que tinha na cabeça muitas coisas boas para o povo de Rondônia”, desabafou a viúva Mara Valverde durante um jantar alusivo ao Dia Internacional da Mulher realizado na última segunda-feira (09) em Porto Velho.

Mara Valverde coordena projeto voltado ao resgate da trajetória politica, social e pessoal de Eduardo Valverde, que consiste na reunião de diversos registros que resultarão numa obra bibliográfica sem fins comerciais.

Detalhes de uma história

“Tive o prazer de conhecer o Dep. Eduardo Valverde pessoalmente, quando eu era Vereador pelo Município de Machadinho D'Oeste, e pude ver no Valverde uma pessoa fora de série, apaixonado pelo nosso Estado e muito sério na defesa de seus posicionamentos. Ele nos ajudou bastante aqui em Machadinho”. 

Dona Erinete – moradora de Machadinho D'Oeste.


“Eduardo Valverde realmente foi um ilustre cidadão. Ele homenageado pela Câmera de Vereadores de Machadinho D´Oeste, e sempre vinha nos visitar. Ele ia nas casas das pessoas , abraçava a todos . Um ser muito simples , O EDUARDO VALVERDE era motivo de alegria para as pessoas , ele mesmo diria o seu carro popular , não andava com seguranças, e olha que era deputado federal. Eduardo Valverde nos ensinou muito, nos deixou saudades...”. 

Josué Alves Pereira - morador de Machadinho D'Oeste.


“Tive o prazer de conhecer o ex-Deputado quando fiscal do Ministério do Trabalho em 2001, posto que fui injustiçado por um funcionário do mesmo Ministério, e o nobre Valverde me ouviu, ponderou e aceitou minha defesa restituindo o estado de direito. Fiquei muito feliz de saber que ainda existiam pessoas decentes. Nesta época conversamos muito, visto que ele almejava um cargo político, dizia-me então, que muito poderia fazer se algum dia lá chegasse, acompanhei depois sua trajetória politica e pude constatar o muito que fez, se destacando como um político ativo em defesa dos menos favorecidos do Estado que abraçou”.

Anônimo – membro da Loja Maçônica Luz e Esperança.


“Tive o prazer de conhecer o Ex-Deputado Federal Eduardo Valverde quando ainda era funcionário da Eletronorte, o mesmo recebia seu pagamento no caixa que eu trabalhava no antigo Banco Financial, ali na 07 de setembro em frente ao antigo Cine Brasil. Já era uma pessoa simples que falava como todos, mesmo depois de torna-se Deputado Federal continuava com sua simplicidade e em todos os eventos lá estava ele. Ultima vez que vi foi em uma homenagem ao querido jornalista Paulo Queiroz, por ocasião do seu falecimento de forma também chocante. Valverde deixou Rondônia enfraquecida na politica, pois o para mim ele era o melhor politico do Estado, discurso afinado, e honestidade”.

Silvana Meneguete  - moradora de Porto Velho.


“Eduardo Valverde foi nosso grande aliado na luta contra a discriminação racial. Ele acompanhou e defendeu essa causa durante toda a sua jornada política. Graças a Valverde conseguimos grandes avanços e conquistas. A morte dele foi muito sentida por todos nós”.

Emília Simão de Souza -  do Grupo União e Consciência Negra (GRUCON) Cacoal/RO.


*O autor, Lucas Tatuí, é jornalista e assessor político e sindical.

Fonte - Lucas Tatuí

Comentários

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.