O POVO SOBREVIVE NO INFERNO DA VIOL蔔CIA

Haver sa韉a para este Brasil onde a classe pol韙ica vive num mundo dourado e seu povo sobrevive no inferno da viol阯cia?
Quinta-Feira, 05 de Março de 2015 - 09:53

As autoridades do setor não se pronunciam, mas é óbvio que partiu de dentro dos presídios, ordem para que um ônibus fosse incendiado na Capital. É a tática do terror, que começou em São Paulo, a partir de decisões do crime organizado que age de dentro para fora, nas cadeias, que está chegando a Rondônia. Quem acha que o incêndio do ônibus no bairro Jardim Santana foi uma ação isolada, está muito enganado. Vem muito mais por aí. É o comando do crime, muito mais poderoso, audacioso e competente do que as forças policiais (impedidas por leis vergonhosas de proteção à bandidagem) que o combatem. A insegurança pública domina o Brasil, trazendo horror e tristeza para milhares de famílias que perdem seus entes queridos, que depois de mortos pelos bandidos passam a ser apenas estatísticas. Não são mais seres humanos destruídos, mas apenas números. A preocupação, então, passa a ser com os direitos humanos dos assassinos, que, mesmo presos, têm só benesses e, mais ainda, organizados, comandam a guerra civil imposta ao país, na maioria das vezes de dentro das suas celas.

Quase nada funciona no combate ao crime, embora os discursos do governo e da área da segurança pública sejam efusivos, otimistas e ignorando a guerra diária na qual o brasileiro comum é vítima. As leis incentivam o crime e a impunidade; há duas décadas se prometeu o isolamento das cadeias, para que delas não saíssem mais ligações por celulares e, nada... A corrupção campeia nos presídios e fora deles, com agentes públicos, a maioria com salários de fome, se aliando ao crime. Neste contexto doentia, é o povo trabalhador e sofrido é quem paga mais esta conta. Haverá saída para este Brasil onde a classe política vive num mundo dourado e seu povo sobrevive no inferno da violência?

COMEÇOU MAL

Não começou com a moleza que se esperava, o relacionamento entre governo e deputados, neste início da nova legislatura. Na verdade, houve duras críticas de parte de algumas parlamentares, entre eles alguns nomes notoriamente governistas, principalmente sobre a postura de alguns membros do secretariado do governador Confúcio Moura. Os representantes regionais também receberam, numa linguagem figurativa, o dedo no nariz de parte de alguns parlamentares que não gostaram a forma como estão sendo tratados.

CHAMEM OS BOMBEIROS!

Um dos que mais criticaram foi o deputado eleito com a maior votação, Adelino Follador, único representante do DEM na Assembleia e de quem se esperava, ao menos no início da legislatura, algum tipo de apoio ao Governo. Pelo contrário: ele criticou duramente o subchefe da Casa Civil, Vitorino Cheque. Denunciou que Cherque teria orientado às equipes regionais que não atendessem qualquer pedido de deputado que não tivesse apoiado Confúcio Moura. O discurso de Follador foi pesado e é necessário, urgente, a ação dos bombeiros, para que a crise não piore.

DISSE TUDO

Merece reprodução, mesmo que o autor seja claramente um apoiador do governo, texto que circula nas redes sociais: "Não aceito e não concordo com essa história de impeachment da Presidente Dilma Rousseff, pois devemos respeitar os resultados das urnas. O que a oposição deveria era utilizar seus mandatos no Congresso e chamar a população para debater e forçar o Governo a fazer as mudanças necessárias, dentre elas tornar a corrupção crime hediondo, com pena máxima sem direito a progressão de regime e que os recursos desviados sejam devolvidos aos cofres públicos". Disse tudo!

AS ÁGUAS VÃO ROLAR...

A situação no Acre assusta e dá aos porto velhenses mais um motivo de grande preocupação. O rio Acre deixou a capital do nosso vizinho completamente embaixo d´água, com milhares de desabrigados, casas e comércio destruídos. Agora, o risco também chega à capital de Rondônia, com o rio Madeira subindo a cada minuto. A enchente histórica de 2014 não se repetirá, mas mesmo assim, muitas áreas serão atingidas e outras milhares de pessoas perderão tudo. Uma lástima, em um momento em que Porto Velho ainda se recupera da tragédia do ano passado.

NÃO É IDIOTA!

Por Justiça, é importante registrar que a Câmara Federal voltou atrás na ridícula decisão de pagar passagens a cônjuges de deputados, uma mordomia inominável. Claro que a mudança de planos não foi porque o presidente Eduardo Cunha é um sujeito correto e de bom senso (não o é e a maior prova disso foi a anunciar este acinte contra os pobres brasileiros), mas sim porque houve gritaria nacional. Nas redes sociais, já se falava num manifesto com 400 mil assinaturas, repudiando a mordomia. Cunha, que é muita coisa, mas não é idiota, deu pra trás. Ainda bem!

PERGUNTINHA

Até quando o Brasil vai aguentar o Estatuto da Criança e do Adolescente, que incentiva, apoia e livra menores criminosos, mesmo os que cometem os piores horrores?

Fonte - Sergio Pires

Comentários

News Pol韈ia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.