MARIANA INTEGRA COMISS肙 DE SEGURIDADE SOCIAL E FAM蚅IA DA C翸ARA

A deputada federal Mariana Carvalho (PSDB RO) ser suplente da Comiss鉶, cuja prioridade para este ano ser fortalecer projetos que desenvolvam a sa鷇e, a assist阯cia social e a seguridade social.
Quarta-Feira, 04 de Março de 2015 - 16:23

Os integrantes da Comissão de Seguridade Social e Família elegeram na manhã desta quarta – feira, 4 ,  seu novo presidente. O deputado Antônio Brito (PTB-BA) vai liderar o colegiado pelo próximo ano.

A deputada federal Mariana Carvalho (PSDB – RO) será suplente da Comissão, cuja prioridade para este ano será fortalecer projetos que desenvolvam a saúde, a assistência social e a seguridade social.

“Estou muito feliz em integrar essa comissão porque minha formação em medicina e a vocação para cuidar das pessoas me deixam muito mais preparada para discutir as pautas”, declarou a tucana, que foi indicada pelo líder do seu partido na Casa, deputado Carlos Sampaio (SP).

Na condição de novo presidente, o deputado Antônio Brito pretende criar seis subcomissões para discutir os assuntos do colegiado, o que na opinião da tucana  representa um importante mecanismo para enriquecer os trabalhos legislativos.

O Papel das Comissões

O Congresso Nacional é composto de duas Casas: Câmara dos Deputados e Senado Federal. Cada uma dessas Casas possui Comissões Parlamentares, Permanentes ou Temporárias, com funções legislativas e fiscalizadoras, na forma definida na Constituição Federal e nos seus Regimentos Internos.

No cumprimento dessas duas funções básicas, de elaboração das leis e de acompanhamento das ações administrativas, no âmbito do Poder Executivo, as Comissões promovem, também, debates e discussões com a participação da sociedade em geral, sobre todos os temas ou assuntos de seu interesse.

É também no âmbito das comissões que se apresentam e se estudam todos os dados, antecedentes, circunstâncias e conveniência de um projeto. Nas Comissões se possibilita que esses aspectos sofram ampla discussão e haja mais liberdade para expressão das opiniões e formação do consenso que, emitido sob a forma de parecer da Comissão, irá orientar o Plenário na apreciação da matéria.

São duas as formas de apreciação: a conclusiva, quando os projetos são apreciados somente pelas Comissões, que têm o poder de aprová-los ou rejeitá-los, sem ouvir o Plenário; e a realizada pelo Plenário propriamente dita, quando este é quem dá a palavra final sobre o projeto, após a análise das comissões.

Fonte - assessoria

Comentários

News Pol韈ia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.