O QUE É INTERRUPÇÃO DE PROPÓSITO?

Em casos que a pessoa adulta não se contenta em seguir aquele propósito inicial que na sua fase primária de vida adulta perseverou como uma tratativa ou propósito de existência, não resta outra solução do que o indivíduo se permitir captar ou absorver novamente mais informações do ambiente do que sua capacidade de ministrar o que está dentro de si retido.
Quarta-Feira, 25 de Fevereiro de 2015 - 10:39

Durante a fase de desenvolvimento de um ser humano ele vai adquirindo a habilidade para distinguir entre os diferentes processos de interação com o mundo que melhor passe a ajustar seu contexto de vida.

Até a fase de adolescência os seres humanos passam a absorver mais informação do ambiente do que sua própria capacidade de retenção, no sentido que suas escolhas são mais baseadas na contextualização presente de tudo que é capaz de absorver da realidade que a cerca.

Após o indivíduo adentrar em sua fase de maturação, ou seja a vida adulta, ocorre uma inversão de valores em sua mente, no sentido do indivíduo passar por um processo de gestão mais eficaz de tudo o que foi capaz de acumular em sua vida pregressa e na forma de sua personalidade começar a administrar de forma mais equilibrada os estímulos novos que é capaz de extrair do ambiente, através de uma forma reflexiva mais consciente.

Em casos que a pessoa adulta não se contenta em seguir aquele propósito inicial que na sua fase primária de vida adulta perseverou como uma tratativa ou propósito de existência, não resta outra solução do que o indivíduo se permitir captar ou absorver novamente mais informações do ambiente do que sua capacidade de ministrar o que está dentro de si retido.

Este acoplar com o cenário ambiente é fundamental para que o indivíduo passe a se perceber dentro de inúmeras possibilidades inovadoras que sua mente antes não era capaz de perceber pelo enclausuramento de sua psique.

Embora esta atitude extrema possa aparentar uma retomada da vida infantil, na realidade a mudança de atitude e olhar sobre si mesmo não representará uma retomada deste mesmo sentido, uma vez que o indivíduo adulto tem características de maturação muito mais sólidas que a atitude inocente infanto-juvenil.

Esse permitir em conectar-se com o mundo e deixar fluir o que melhor dele uma pessoa é capaz de se identificar constituirá a matéria prima para que o indivíduo possa catalogar aqueles pontos em que ele possa utilizar no futuro como inflexões egoicas que irão servir para administrar suas novas preferências.

Uma vez que as novas preferências forem catalogadas, o indivíduo já estará apto a gestar sua correlação e associação das ideias novas instaladas, e encontrar um objetivo de integração ao qual desencadeará um novo propósito de vida para ajustar a motivação de suas atitudes a percorrer por estes movimentos egoicos essenciais para tomadas de decisão.

Como num processo de uma remodelagem sensorial, o ser com o propósito de antes não existirá mais, porque a cadeias de valores e juízos que afetam diretamente o processo de tomada de decisão do indivíduo, foram completamente refeita no quais os fundamentos do novo indivíduo irão diferir devido este enquadramento volitivo que irá desencadear novas estruturas de pensamento.

O obstáculo da nova definição é um paradigma que tem por base o ajuste da interface da mente humana que não pode ser concebido sobre os auspícios do mesmo movimento cognitivo de antes.

A lógica mental anterior na realidade não será desfeita, mas sofrerá uma remodelagem que permitam ajustar a linha de valoração dos indivíduos que assim resolverem se afetar reflexivamente.

Para uma atitude tão drástica a ponto de o indivíduo afetar a sua própria estrutura lógica mental de processamento de informações será tópico de um estudo mais aprofundado.

Uma atitude tão extremista de reconstituir-se a si de forma tão aprofundada como descrita no parágrafo anterior, poderia causar sérios problemas se o indivíduo não encontra uma correspondência social para manifestar seu desejo de expressar em sociedade.

A importância do propósito de vida anterior de um indivíduo não desaparece por completo quando este movimento transformador interno de substituição do propósito principal de vida por outro mais adequado, torna real a incumbência de priorização de proposições dentro deste indivíduo a fim a ajustar suas necessidades reais mais próximas.

O propósito de vida afeta diretamente sua relação consigo mesmo, outros seres e o ambiente. Ele é um componente muito importante para o desencadeamento de ações por meio de processos somáticos volitivos que são originariamente condicionados pelo planejamento contínuo prévio ao ato de agir.

Quem consegue se perceber dentro deste contexto mais específico é capaz de coordenar a vida sem depender tanto de estruturas do acaso para refletir sobre o sucesso em ter uma vida de excelência.

Fonte - Max Diniz Cruzeiro

Comentários

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.