TRAPIZONGA: A COLUNA QUE NÃO SABE DE NADA, MAS QUE VÊ E CONTA TUDO!

O último da listados mais ricos, coitado, também é um velho conhecido dos brasileiros: Paulo Salim Maluf (PP-SP). Segundo a Forbes, o deputado possui um patrimônio líquido de 33 milhões de dólares.
Segunda-Feira, 16 de Fevereiro de 2015 - 15:57

By: Marcos Antéro Sóter

De dar inveja...

Este escrevinhador de linhas tortas por ajuntamento de letras mortas foi instigado a escarafunchar o patrimônio de parlamentares federais. Gente, o que se descobriu é prá lamentar mesmo, em especial aqueles que, em seus estados, como em Rondônia, por exemplo, posam de reis da cocada preta, mas que ao chegarem ao Congresso Nacional se veem como donos de pífias riquezas diante do que outros declararam à Justiça Eleitoral.

Mas de chorar também... 

Mesmo com tanta riqueza declarada ao TSE, alguns ainda tem a coragem de alegar não ter R$ 910,00 para pagar alguma coisa, algo assim como “custas judiciais”, por exemplo. Foi o que aconteceu com um dos deputados mais ricos do Brasil, o paranaense Jacob Alfredo Stoffels Kaefer (foto), ou simplesmente Alfredo Kaefer (PSDB-PR). Com patrimônio declarado de R$ 108,6 milhões em 2014, o parlamentar, enfrenta desde o final do ano a falência de 27 empresas. Processo foi decretado pela Justiça após serem identificadas “fraudes processuais e confusão patrimonial”

Até falência

A justiça decretou a falência da Diplomata S/A, “holding”, que controla 26 empresas e pertence ao deputado federal Alfredo Kaefer (PSDB). A sentença seguiu recomendação do Ministério Público, já que um parecer do promotor de Justiça Carlos Bachinski apontou fortes evidências de fraudes processuais e confusão patrimonial, além de descumprimento do programa de recuperação judicial. A decisão que decretou a falência do grupo descreve que as empresas não colaboraram com o processo de recuperação judicial e sonegaram informações solicitadas, como a entrega de documentos contábeis.

Multiempresarial

Kaefer era dono de várias empresas, incluindo o Aeroporto do Oeste do Paraná, shopping center e até administradora de cartões de crédito. O grupo Diplomata, de Alfredo Kaefer, responde a mais de 5 mil ações judiciais, grande parte delas na área trabalhista.

Rádios e jornais

Reeleito com 82.554 votos para o terceiro mandato, o empresário possui, segundo a declaração de bens, R$ 108,5 milhões divididos principalmente em créditos da venda de ações e em cotas de empresas de seguro e de previdência privada, do frigorífico Diplomata e dos jornais Hoje e O Paraná (RCK Comunicações), da cidade de Cascavel (PR).

No entanto...

...Kaefer não é unanimidade entre os bilionários parlamentares e o escrevinhador de linhas tortas resolveu ir em busca de informações sobre o fundo (ops), da condição financeira de alguns parlamentar e descobriu que a revista Forbes , por exemplo, elaborou, tendo como parâmetro dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), uma lista com os políticos mais ricos do Brasil. Ao todo, os cinco citados na matéria apresentam um patrimônio estimado de quase 3,2 bilhões de dólares.

Para se ter uma ideia...

...a Forbes, mesmo citando o grande problema da corrupção brasileira, destaca que a maioria dos parlamentares milionários construiu sua fortuna antes de entrar na vida política. Segundo a publicação, são donos de companhias abertas, que requerem uma maior transparência e governança corporativa mais rigorosa, e por isso a necessidade de se manterem longe de escândalos (não necessariamente o caso de Paulo Maluf).

Bambambam

A Forbes descobriu, e a Trapizonga copia a informação, que o bambambam entre os ricões do Congresso, é o suplente (hoje na titularidade do cargo, do senador licenciado Eduardo Braga, ministro das Minas e Energia, Braga e dono da Videolar, Lirio Albino Parisotto (na foto com Luiza Brunnet), lidera a lista, com uma fortuna de 1,9 bilhão de dólares. Paulo Maluf, ah, esse é um pobretão, só aparece em quinto lugar, com 33 milhões de dólares de patrimônio decorrente da Eucatex.

Do Brasil

Segundo a Forbes, é um dos maiores investidores do mercado ações do Brasil. Nascido na região sul do país, atualmente vive em Manaus. Ele foi convidado por Braga em 2010 para participar de sua chapa eleitoral. Dono da produtora de vídeo e áudio Videolar, Parisotto teria entrado na política para acabar com a pirataria.

Blairo Borges Maggi

O segundo da lista  da Forbes é o unha e carne do senador Ivo Cassol, o também senador  Blairo Borges Maggi (PR-MT), citado como um dos homens mais poderosos da agricultura no Brasil. Hoje é senador por Mato Grosso, mas também já atuou como governador do Estado. Maggi é também dono do Grupo Andre Maggi, companhia fundada pelo seu pai que é a maior produtora de soja do mundo. Patrimônio líquido do senador é estimado em 960 milhões de dólares.

CR Almeida

O deputado Marcelo Beltrão de Almeida (PMDB-PR) é o terceiro colocado da lista. Seu pai, Cecílio do Rego Almeida foi o fundador de uma das maiores construtoras do país, a CR Almeida. Assim como Maggi, Marcelo Almeida também possui uma cadeira no Congresso, mas como deputado federal. O político estaria cogitando concorrer a uma vaga para o Senado nas eleições de 2014. Sua fortuna é estimada em 200 milhões de dólares.

Luverdense

De uma pequena cidade do Mato Grosso sairia o quarto colocado da lista da Forbes. Otaviano Olavo Pivetta (PDT-MT), prefeito de Lucas do Rio Verde e com patrimônio líquido de 100 milhões de dólares, é o maior investidor individual da Vanguarda Agro. Pivetta foi eleito em 2008, sendo reeleito para o cargo em 2012. Durante a campanha foi acusado de compra de votos, mas posteriormente foi inocentado de todas as acusações pelo Tribunal Superior Eleitoral.

Paulo Maluf

O último da listados mais ricos, coitado, também é um velho conhecido dos brasileiros: Paulo Salim Maluf (PP-SP). Segundo a Forbes, o deputado possui um patrimônio líquido de 33 milhões de dólares. Sua família é controladora da Eucatex, uma das maiores fornecedoras de materiais para a indústria de construção e móveis do país. Maluf, que também já atuou como governador de São Paulo, foi frequentemente acusado de corrupção durante as suas quatro décadas de vida pública. O Tribunal de Jersey cordenou o polítco em 2012, ordenando que US$ 32 milhões em seu nome e no nome de seu filho fossem devolvidos aos cofres de São Paulo.

Bem…

Por hoje é só. Vou ver se meu papa capim está de volta ou se aposentou de vez!

Fonte - www.egnews.com.br

Comentários

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.