PEDREIRO MATA MULHER A FACADAS NA FRENTE DO FILHO E ESTÁ SOLTO

Quarta-Feira, 21 de Janeiro de 2015 - 09:56
A auxiliar de limpeza Maria Dias de Andrade Silva, de 38 anos, e o porteiro Severino Firmino de Lima cresceram juntos no interior de Pernambuco. Quando ficaram jovens começaram a namorar e se mudaram para São Paulo depois de casados. Durante os 14 anos de casamento, Maria era agredida e ameaçado pelo marido

Um pedreiro confessou ter matado a mulher a facadas na frente do filho em Interlagos, na zona sul de São Paulo, na manhã de sexta-feira (16). Como o suspeito confessou e se apresentou logo após o assassinato, ele vai responder o crime em liberdade.

A auxiliar de limpeza Maria Dias de Andrade Silva, de 38 anos, e o porteiro Severino Firmino de Lima cresceram juntos no interior de Pernambuco. Quando ficaram jovens começaram a namorar e se mudaram para São Paulo depois de casados. Durante os 14 anos de casamento, Maria era agredida e ameaçado pelo marido.

O ciúme dele assustava a família de Maria, mas ninguém desconfiava de que ele a agredia até ela engravidar. Desde então, a família dela ficou contra o marido de Maria. As irmãs insistiam para que ela pedisse a separação, mas Maria não queria criar o filho sozinha. Maria nunca registrou um boletim de ocorrência contra o marido. Ela acreditava que estava protegida com as irmãs e sempre se escondia depois das brigas.

Maria esperou o garoto completar 13 anos e pediu a separação. Lima é porteiro e trabalha de madrugada. Antes de ele ir trabalhar, ela o chamou para conversar. Ele pensou que ela queria se separar porque tinha outra pessoa e arquitetou o crime.

Segundo a família, o porteiro ainda mandou o filho ir à casa das tias para avisar que ele havia matado a auxiliar de limpeza. Uma das irmãs de Severino está com medo.  Ela teme que o irmão volte e se vingue da própria família.

Segundo a polícia, ele não foi ao quarto onde costumava dormir com a mulher por volta das 6h30. Ele foi à cozinha, pegou uma faca e foi ao quarto do filho, onde Maria estava dormindo. O garoto acordou com o barulho da porta e foi arremessado pelo pai ao tentar defender a mãe. Maria foi golpeada e morreu.

Cerca de 40 minutos depois do crime, Severino se apresentou à polícia. Em depoimento, Severino contou à polícia que matou a mulher porque achava que Maria estava o traindo. O delegado o prendeu em flagrante e o indiciou por homicídio qualificado.

Após ser transferido, um juiz assinou um alvará de soltura porque Severino havia se entregado. Cerca de 12 horas depois, Lima foi posto em liberdade e responderá o caso em liberdade. Agora, a polícia quer saber se ele cometeu algum crime em Pernambuco.

Fonte - R7

Comentários

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.