Uma pequena grande mudança: lei começa a acabar com a indústria do guincho em todo o país

A arrecadação, com toda a parafernália tributária, que se aplica ao bolso do pobre e já espoliado contribuinte, é algo inacreditável.
Quinta-Feira, 02 de Dezembro de 2021 - 08:03

Desde o último dia 16 de novembro, ocorreu uma grande mudança na lei do trânsito no Brasil, embora a divulgação do assunto não tenha recebido o espaço que merece. Lei aprovada no Congresso e sancionada pelo presidente Jair Bolsonaro, acabou de vez com o que se chamava, país afora, de "indústria do guincho". Obviamente que não se pode generalizar, mas muitas empresas que trabalham para os Detrans faturavam, todos os anos, uma grana muito alta, trabalhando em conjunto com agentes de trânsito, nas blitz realizadas nos milhares de municípios brasileiros e também em rodovias estaduais e federais. Na grande maioria dos casos, o motivo do guinchamento dos veículos era por atraso no pagamento do IPVA e outras taxas, mas a apreensões se estendiam também para o veículo que estivesse com algum problema pequeno, como luzes ou até os "pisca-pisca" com defeito. O motorista ou o dono do veículo tinham que pagar multa, o veículo era guinchado (com valores que, em Rondônia, se aproximam dos 400 reais) e, mais que isso, ainda era cobrada a diária do tempo em que os carros ficavam nos pátios do Detran ou em vários terceirizados. É claro que a lei tem ainda muitos furos, o que continuará permitindo que ao menos parte da "indústria do guincho" se mantenha. Uma das alternativas para que o carro seja ainda guinchado, é em casos em que há risco para a segurança do veículo. Como quem vai decidir isso é a autoridade policial, os mais pessimistas acham que a tendência é que o não guinchamento seja exceção, infelizmente.

Os Detrans brasileiros (e o de Rondônia está longe de ser exceção à regra) se transformaram em máquinas de fazer dinheiro. A arrecadação, com toda a parafernália tributária, que se aplica ao bolso do pobre e já espoliado contribuinte, é algo inacreditável. Um exemplo simples se relaciona com o IPVA, cobrado todos os anos. Ou seja, pagamos anualmente por um produto que compramos e já pagamos todos os impostos, taxas e os famosos "emolumentos". Pagamos preços absurdos por vistorias, emplacamentos, placas (que não podem ser compradas pelo contribuinte, mas sim apenas pelos preços abusivos, cobrados por empresas credenciadas) e, até agora, ainda bancávamos os constantes abusos relacionados com os guinchos e diárias. A nova lei em vigor é um pequeno, mas importante avanço. Contudo, é apenas uma gota d´água na exploração, que os governos de todos os tamanhos cometem contra os donos de veículos no nosso país. É um passo, mas a caminhada, para acabar com toda essa inacreditável situação ainda será longa.

ELUCUBRAÇÕES PARA 2022: CONFÚCIO TRABALHA PARA COOPTAR IEDA CHAVES COMO SUA VICE, NA CORRIDA AO GOVERNO

Não é só o senador Marcos Rogério que, se candidato ao governo do Estado, vai tentar atrair o apoio do prefeito Hildon Chaves e da primeira dama, Ieda Chaves, para o seu lado. Ter Ieda como vice, numa chapa majoritária, é também o sonho político do MDB. Fontes ligadas ao senador e ex-governador Confúcio Moura, garantem que ele também vai trabalhar, caso confirme sua candidatura, para ter Ieda Chaves como companheira de chapa. A primeira dama da Capital, por si só, já se tornou uma personalidade importante da nossa política, pelo seu carisma e por seu trabalho social de grande vulto. Além disso, a administração do marido tem sido bastante positiva. Porto Velho está sendo transformada para melhor em vários setores. O que não se sabe ainda é se Hildon pensa em se candidatar ao Governo, ao Senado ou à Câmara Federal. Mas que tanto o Prefeito de Porto Velho como a primeira dama andam sendo cortejados por vários grupos políticos, para uma parceria forte para 2022, não há qualquer dúvida. Por enquanto, tanto quanto Hildon, Ieda Chaves não dá nenhuma indicação sobre seus planos relacionados com a política, no ano que vem.

EM NOME DE ROCHA, JÚNIOR REAFIRMA FIDELIDADE E PARCERIA COM O PRESIDENTE BOLSONARO

O secretário chefe da Casa Civil, Júnior Gonçalves, representou o governador Marcos Rocha, nesta semana em Brasília, na solenidade em que o presidente Bolsonaro assinou ficha com seu novo partido, o PL. Tanto o Governador quanto um dos seus principais secretários vão comandar, em Rondônia, o União Brasil (surgido da fusão do DEM e do PSL). Mesmo que em nível nacional a nova sigla tenha se aliado à candidatura de Sérgio Moro e declarado oposição a Bolsonaro, o diretório rondoniense estará totalmente fechado com o projeto de reeleição do Presidente. Júnior marcou também sua presença nas redes sociais enfatizando a parcerias com o Bolsonaro. Escreveu, entre outras coisas, que "o governador Marcos Rocha sempre foi fiel ao presidente Bolsonaro. Sempre foi um aliado de primeira hora, para todas as pautas lideradas pelo Presidente". Salientou ainda que "foi um prazer, mais uma vez, levar o nome do Governador a um evento dessa dimensão". E concluiu, cumprimentando não só a Jair Bolsonaro, como a todos os membros do PL, "representados na pessoa do seu presidente Valdemar da Costa Neto"!

PAÍS CHEGARÁ AOS 150 MILHÕES DE ELEITORES E RONDÔNIA 1 MILHÃO E 300 MIL

Em 2014, o Brasil tinha 144 milhões e 88 mil eleitores, em números redondos. Já na eleição para as Prefeituras Municipais e Câmaras de Vereadores, em 2020, seis anos depois, o eleitorado brasileiro cresceu quase 2,8 por cento, chegando a 147 milhões e 918 mil eleitores. Com um crescimento próximo a meio por cento ao ano, a perspectiva é que, na disputa da Presidência, Congresso, Governos estaduais e Assembleias Legislativas, no ano que vem, tenhamos algo em torno de 150 milhões de brasileiros aptos a escolherem nossos representantes. A legislação prevê que só poderá votar no pleito de 2022, quem se habilitar junto à Justiça Eleitoral até 150 dias antes do pleito, ou seja, no início de maio próximo. Em Rondônia, os últimos números apontavam um eleitorado, até o final de 2019, superando os 1 milhão e 250 mil eleitores registrados na Justiça e aptos para votarem. No ano que vem, pelo crescimento vegetativo normal, a perspectiva é de que possamos ter mais pelo menos 50 mil eleitores, acrescidos aos números de dois anos atrás. O maior colégio eleitoral, claro, é o de Rondônia, que está prestes a chegar aos 350 mil eleitores, No Estado, há cerca de 25 mil mulheres aptas a votar, a mais que os homens. Essa diferença é mantida na Capital, onde há um pequeno número de eleitoras do que eleitores.

OURO PRETO SEM FESTA DE FINAL DE ANO E SEM CARNAVAL, POR CUIDADOS COM A PANDEMIA

O prefeito do município de Ouro Preto do Oeste, Alex Testoni, anunciou nas suas redes sociais nesta segunda-feira (29) que cancelou o Réveillon 2022 e festas de Carnaval, por conta da pandemia da Covid-19.  Segundo o prefeito, a decisão é para proteger a população. "Na Europa, os casos de pessoas infectadas pelo Coronavírus aumentaram. Sabemos que está chegando no Brasil, e nós não queremos que chegue em nosso município", disse Alex Testoni. Ele disse ainda, que essa decisão também é para proteger as pessoas que não se vacinaram contra a Covid-19. "Infelizmente tivemos que cancelar esses dois eventos", finalizou Alex Testoni. Nos próximos dias, certamente outros prefeitos vão seguir esse caminho, já que há um consenso, pelo menos entre os setores da saúde pública, de que as aglomerações de grandes festas podem ser muito perigosas. A Prefeitura de Porto Velho ainda não decidiu oficialmente sobre o assunto. Na Capital, a única decisão já anunciada foi da Banda do Vai Quem Quer, que não sairá às ruas pelo segundo ano consecutivo, em 2022.

VOOS DE FINAL DE ANO: GREVE DOS AERONAUTAS FOI CONTIDA NA ÚLTIMA HORA

Bateu na trave! Quem estava com sua passagem aérea comprada para os próximos dias, correu sério risco de voltar para casa, dos aeroportos, sem sequer entrar num avião. Pilotos, comissários de bordo e aeronautas do país inteiro tinham anunciado uma greve geral para a terça-feira, por falta de acordo com as empresas aéreas. Os profissionais querem 15 por cento de reajuste, os patrões ficaram planando, com o perdão do trocadilho, em torno de ridículos 3 por cento. No ano passado, não houve aumento algum, por conta da pandemia, que atingiu em cheio as empresas aéreas. Quando a greve já havia decretada, o TST, Tribunal Superior do Trabalho entrou na jogada e conseguiu um acordo. A turma que voa ganhou menos do que queria e os patrões vão pagar um pouco mais do que ofereceram. Ou seja, na última hora as viagens foram mantidas e quem estava com suas passagens em mãos não precisou entrar em parafuso. Há ainda um nicho de trabalhadores que não topou o acordo: os aeronautas que trabalham no maior aeroporto do país, o de Guarulhos, em São Paulo, decidiram cruzar os braços. Para eles, as negociações continuam.

AUMENTO DE NOVOS CASOS DE COVID DETERMINOU TRANSFERÊNCIA DA EXPOPORTO

O risco do retorno da pandemia do Coronavírus, com aumento de casos e contaminados, foi o principal motivo para a decisão de não realizar a segunda edição da Expoporto, que começaria nesta quarta-feira e iria até o final de semana. Houve outras questões, como a falta de tempo hábil para cumprir todas as metas e protocolos, mas a questão sanitária foi a maior delas. A decisão de transferir a programação principal da exposição, foi tomada pelo secretário da Sucejel, Jobson Bandeira, que lidera a equipe que estava planejando a feira agropecuária na área do Parque dos Tanques. Dois eventos já haviam sido realizados. Um deles, a cavalgada, que teve pouca participação, inclusive porque foi realizada no mesmo horário do jogo Palmeiras e Flamengo, que decidiram a Taça Libertadores. O outro foi a escolha da Rainha da feira, no mesmo sábado à noite. A equipe da Sejucel já estava analisando a situação, principalmente das últimas duas semanas, quando os números das pandemia voltaram a preocupar. O problema se tornou ainda maior com o surgimento da cepa africana e todos os seus riscos. "Concluímos que a melhor estratégia seria um recuo momentâneo, porque para nós, não colocar a população em qualquer situação de risco, por menor que ele seja, é a maior prioridade", disse o secretário. Jobson informou que não há uma nova data definida, mas que o assunto Expoporto voltará a pauta entre janeiro e fevereiro do ano que está chegando.

FAKE NEWS: SITE CONCORDA QUE HOUVE INFORMAÇÃO FALSA, MAS CULPA A VÍTIMA

A insanidade de gente nas redes sociais e na chamada grande imprensa, atacando o Presidente da República em todas as circunstâncias, acresceu mais um absurdo. Uma Fake News, criada em algumas postagens, comentava que "a ex-mulher do presidente Bolsonaro, Valéria Bolsonaro, foi expulsa do PSL. A deputada estadual em SP, eleita em 2018, deixa a sigla por motivo de infidelidade partidária". A informação foi publicada pela revista Isto É!, copiada das redes sociais sem checagem sobre a veracidade da história e replicada em vários veículos de comunicação, inclusive em programas e telejornais da TV Globo. A deputada estadual em SP, eleita em 2018, deixou a sigla por motivo de "infidelidade partidária". Praticamente nenhum dos veículos de imprensa que deu a notícia falsa, a corrigiu. Ninguém se desculpou. O site https://www.boatos.org/politica, que analisa as Fake News, não condenou as publicações que utilizaram a informação falsa, mas sim a Bolsonaro, que gravou um vídeo criticando duramente este tipo de notícia, infelizmente comum, contra ele e seu governo. Escreveu o site: "o próprio Presidente aproveitou para apontar o erro e, é claro, atacar a imprensa em seu perfil no Twitter, mais uma vez, com acusações sem provas!". Ou seja, Bolsonaro é o culpado por protestar, com provas contundentes, contra uma Fake News, reconhecido pelo próprio site. Não é para enlouquecer?

VOLTA AO LAR: HERMÍNIO ASSINA FICHA COM O PT PARA DISPUTAR CADEIRA NA ASSEMBLEIA

Num momento ainda complicado para o Partido dos Trabalhadores, onde há claro esvaziamento da sigla, tanto em Rondônia como no Brasil todo, um dos nomes importantes do PT rondoniense volta para casa, depois de ter andado por outras siglas. Ninguém menos do que o ex-vereador e ex-presidente da Câmara de Vereadores; ex-deputado e ex-presidente da Assembleia Legislativa, Hermínio Coelho. Combativo, sem papas na língua, Hermínio marcou presença por vários anos na política da Capital e, depois, de todo o Estado. Nesta semana, ele distribuiu convites, também pelas redes sociais, para a solenidade do seu retorno ao partido, afirmando que "o verdadeiro Discurso político jamais ser dito ou escrito com palavras. O discurso político honesto é escrito com a HISTÓRIA pessoal que cada um de nós carrega!" O texto prossegue, com convite a todos para que participem do ato de filiação de Hermínio ao PT. Será neste sábado, dia 4, a partir das 16 horas, na Câmara de Vereadores de Porto Velho. Hermínio é mais um, entre tantos nomes da nossa política, que está se preparando para disputar a eleição de 22. Ele vai tentar, agora como novo/antigo petista, uma vaga para a Assembleia Legislativa.

PERGUNTINHA

Você concorda ou discorda com a indicação de André Mendonça, "terrivelmente evangélico", segundo o presidente Bolsonaro, para ocupar uma cadeira no STF?

Fonte - 010 - sergio pires

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.