Rondoniense atingido por 4 tiros no Acre está fora de perigo de morte: Sargento é preso

Enquanto Flávio permanece no hospital, amigos estão realizando uma campanha de arrecadação para ajudar na contratação de um advogado e também para comprar medicamentos.
Quarta-Feira, 01 de Dezembro de 2021 - 17:39

O jovem rondoniense Flávio Endres de Jesus, de 30 anos, está fora de perigo de morte. É o que diz o boletim informado por amigos  do rapaz que foi atingido por quatro tiros (1 no peito, 2 acima e 1 abaixo do umbigo), na noite de sábado (27) durante uma briga num bar localizado na cidade de Epitaciolândia, interior do Acre.

O acusado dos disparos é o Sargento da Polícia Militar do Acre (PM-AC), Erisson Nery. Ele está preso no Batalhão da Polícia Ambiental do Acre, em Rio Branco. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil. Nery continuará preso preventivamente após expedição de mandado do juiz da comarca de Brasiléia, interior do Acre, cidade vizinha a Epitaciolândia, na fronteira com a Bolívia.

Flávio Endres segue internado no Pronto Socorro de Rio Branco. A esposa dele ajuda nos cuidados com a equipe da unidade. A mãe de Flávio, dona Lúcia de Jesus, também está em Rio Branco. Ela participou de um ato em apoio ao filho que pedia justiça e a prisão imediata do Sargento.

Em entrevista, dona Lúcia disse que o filho passa bem e que tem reagido ao tratamento. “Estou sofrendo muito! Eu conheço o meu filho, eduquei para o mundo, eduquei para respeitar o próximo. Estou muito abalada, peço justiça! Sei que a justiça de Deus não é falha. Cedo ou mais tarde a justiça será feita!”, disse.

Enquanto Flávio permanece no hospital, amigos estão realizando uma campanha de arrecadação para ajudar na contratação de um advogado e também para comprar medicamentos. Endres é estudante de medicina em uma universidade da Bolívia, em Cobija, capital do Departamento de Pando. Ele nasceu em Porto Velho.

Na delegacia geral de Polícia Civil, Nery teria dito em depoimento que Flávio agrediu a sua esposa, a também sargento da PM, Alda Radine, e que teria promovido importunação sexual durante uma festa, num bar, ao passar a mão nela. Flávio Endres disse à família que não havia feito nada disso. Ele deve ser ouvido pela delegada do caso nos próximos dias, após liberação dos médicos.

Fonte - News Rondônia

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.