Ensino híbrido contribuiu para aumento de interesse de jovens por faculdade, aponta pesquisa

Levantamento da ABMES identificou que 63% pretendem estudar no primeiro semestre de 2022
Quarta-Feira, 24 de Novembro de 2021 - 14:45

A pesquisa intitulada “Observatório da Educação Superior – 5ª edição: Perspectivas para 2022”, apresentada ontem (23) pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), em parceria com a Educa Insights, mostrou que o número de número de estudantes interessados em investir na graduação aumentou no país. O levantamento compara a intenção dos estudantes ouvidos em novembro de 2020 com entrevistados neste ano.

Entre aqueles que responderam à pesquisa, 63% declaram ter planejamento para começar a faculdade no primeiro semestre de 2022. No mesmo período do ano passado, apenas 38% dos entrevistados tinham intenção de se matricular no semestre seguinte.

Para o diretor-presidente da ABMES, Celso Niskier, a pesquisa identifica o crescimento da confiança dos estudantes em ingressar na graduação com o avanço da vacina e a retração da pandemia no Brasil. Nesse cenário, Niskier destaca que as instituições de ensino devem se preparar para receber os alunos pós-pandemia após a experiência com o ensino remoto.

“Ficou bem claro que o futuro do ensino é híbrido e que os jovens querem o melhor dos dois mundos. Está nas mãos das instituições esse desejo de combinar as atividades híbridas e presenciais. Esses candidatos procuram universidades que oferecem programas flexíveis que combinam presencial com remota, com trabalhos práticos. As que souberem oferecer esse modelo híbrido terão maior chance de captação”, afirma Niskier.

Em relação a esse aspecto, de acordo com as opiniões dos entrevistados, 45% preferem que a carga horária dos cursos seja dedicada às aulas presenciais tradicionais, enquanto o restante deveria ser ministrado ou por aulas remotas (16%), por conteúdos digitais (16%) ou mesmo por trabalhos práticos em comunidades ou empresas (23%).

Entre os estudantes que escolhem cursos na modalidade a distância, 67% querem começar imediatamente e 13% pretendem iniciar na metade de 2022. Quando a preferência é um curso presencial, 63% querem ingressar no próximo semestre e 14% no segundo semestre de 2022.

A pesquisa foi feita entre 14 e 16 de novembro, via internet, com consulta a 1.043 estudantes considerados potenciais alunos de cursos presenciais e a distância em instituições particulares de ensino superior, em todas as regiões brasileiras.

Fonte - 010 - Agência Educa Mais Brasil/newsrondonia

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.