NOVEMBRO AZUL - Mais de 400 homens em Rondônia serão atendidos com mutirão de ultrassonografia para detectar câncer de próstata

Leonel foi o primeiro a ser atendido pelo mutirão realizado pelo Governo de Rondônia com a missão de zerar a fila de ultrassonografia da próstata.
Quinta-Feira, 11 de Novembro de 2021 - 10:33

Nem a máscara conseguiu esconder, na tarde desta quarta-feira (10) o sorriso expresso no olhar do produtor rural Leonel Barbosa dos Santos, 75 anos. Nas mãos, o motivo: o resultado do exame de próstata constatando que está tudo certo com a saúde. A felicidade foi tanta que ele saiu pelos corredores do hospital expressando a gratidão. ‘‘Graças a Deus’’. Leonel foi o primeiro a ser atendido pelo mutirão realizado pelo Governo de Rondônia com a missão de zerar a fila de ultrassonografia da próstata.

Incluindo Leonel, o mutirão, executado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), deve atender 440 homens de todo o Estado no período de 10 até o dia 30 de novembro, no Hospital de Base Ary Pinheiro, uma média de 20 pacientes por dia. A iniciativa, que faz parte das estratégias da Campanha Novembro Azul de promoção da Saúde do homem, foi bem recebida pelo público masculino, pois coloca fim à ansiedade de saber se está livre da doença ou mesmo para tratá-la a tempo de vencê-la.

VALORIZAÇÃO DA VIDA

Foi assim com Leonel, e não foi por acaso que o diagnóstico trouxe um alívio para ele. No primeiro exame, a notícia de que havia alteração na próstata, o preocupou, mas determinado, não se abalou, passou a acompanhar com afinco a situação.

Essa já é a terceira vez que ele monitora como está a próstata. Ao lado da esposa que o acompanha em cada exame, Leonel evidencia a grande motivação de cuidar da saúde: valoriza a vida que tem.

Mesmo aposentado, ele continua ativo e faz aquilo que gosta. Em uma propriedade na região do rio das Garças, em Porto Velho, possui uma fazenda onde cria gado. ‘‘A qualidade de vida é melhor’’, explica a escolha.

Leonel deixa um recado para o público masculino. ‘‘A gente sabe que é uma obrigação de todo homem fazer o exame de próstata e é importante. Não é para procurar o médico só quando está sentindo algo, está na pior, é melhor se prevenir’’.

PREVENÇÃO

Leonel foi atendido pelo médico Juan Carlos Boado que reforçou a importância da prevenção ao câncer de próstata. ‘‘Esse exame de ultrassonografia é para avaliar o tamanho e o volume da glândula prostática, e faz parte dos três exames de próstata. Aliado a ele tem o exame de sangue antígeno prostático específico (PSA) que indica trata-se de câncer ou não; e se a próstata está aumentada tem que ir a um urologista fazer o toque retal. É muito importante que os homens a partir de 40 anos vençam o tabu, e façam esses exames’’, explica.

Outros que também passaram pelo consultório do doutor Juan Carlos Boado no primeiro dia de mutirão, foram Anilbal Venâncio, 71 anos, e Melqui Vieira, 58 anos.

Foi por ter dificuldades em urinar e passar a ir ao banheiro seis vezes em uma única noite, que Anilbal desconfiou que algo não estava certo, e procurou atendimento médico. Já Melqui, era incentivado pela empresa, onde trabalhava a fazer exames anualmente, e foi por volta dos 55 anos que o diagnóstico apontou alteração na próstata. Ele mantém vigilância da situação por meio dos exames. Os dois foram unânimes em fazer o apelo aos homens para que procurem pela prevenção.

CELERIDADE

A celeridade na realização das ultrassonografias nos moldes de um mutirão é uma conquista comemorada pela direção do hospital, pois significa que a fila de 440 pacientes, em busca do exame, vai zerar esse mês, e é um incentivo para que mais homens busquem pela prevenção, que tem início nas unidades de saúde mantidas pelas prefeituras e com encaminhamento seguem para a Rede Estadual de Saúde. A diretora adjunta do HBAP, Sandra Petillo, conta o impacto positivo do mutirão para promoção da saúde do homem.

‘‘Buscamos conscientizar a população masculina sobre a importância do autocuidado, e a gente pede que cada paciente aproveite a oportunidade. Esse mutirão trata-se de ultrassonografia sem biópsia, onde é avaliado se há algum resultado não benéfico e se existir, o paciente é encaminhado para a ultrassonografia com biópsia, na qual é feita a retirada de uma amostra para que seja feita uma análise, o que permite o diagnóstico precoce da doença’’, disse a diretora, já adiantou que um novo mutirão, desta vez com ultrassonografia com biópsia, está sendo programado para dezembro. 

Fonte
Texto: Vanessa Moura
Fotos: Daiane Mendonça

Fonte - 010 - SECOM - GOV/RO

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.