LIVRE DE AFTOSA - Parceria entre produtor e Idaron ganha destaque na permanência do status sanitário obtido frente a OIE

O evento reuniu diversas autoridades políticas e representantes do setor pecuário em um amplo debate sobre as responsabilidades compartilhadas dos setores público e privado.
Quinta-Feira, 04 de Novembro de 2021 - 11:05

Manutenção do status sanitário, de área livre de aftosa sem vacinação, com reconhecimento internacional da Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), é o novo e maior desafio enfrentado pela pecuária de Rondônia. Desafio esse que, dentre as principais estratégias, ganha destaque a parceria mantida entre o serviço veterinário oficial, representado pela Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril (Idaron), o produtor rural e os profissionais e entidades da iniciativa privada.

Essa parceria foi o tema principal do 3º Fórum Rondoniense de Prevenção a Febre Aftosa, realizado no último final de semana em Ji-Paraná, região central de Rondônia. O evento reuniu diversas autoridades políticas e representantes do setor pecuário em um amplo debate sobre as responsabilidades compartilhadas dos setores público e privado.

“Todos somos chamados a fazer uma grande reflexão sobre nossas responsabilidades, frente aos desafios impostos por esse novo status que o setor pecuário rondoniense conquistou a duras penas. O objetivo é estabelecer estratégias que visem a prevenção e não combate. Estamos todos do mesmo lado do balcão, logo o resultado de nossas ações será muito mais assertivas, se atuarmos de forma coletiva”, destacou o presidente da Idaron, Julio Cesar Rocha Peres.

O diretor do departamento de Saúde Animal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Geraldo Marcos de Moraes, que abriu o ciclo de palestras, falou da evolução do Brasil no combate e erradicação da febre aftosa, com destaque aos avanços e desafios para manutenção do status de área livre de febre aftosa sem vacinação. “O reconhecimento de zona livre de febre aftosa sem vacinação foi grande conquista e é importante para todo o País. O desafio, agora, é a manutenção dessa conquista, por isso esse fórum é importante, porque trata de um tema altamente relevante, que é o das responsabilidades compartilhadas. Essa discussão dá sustentação ao trabalho que é desenvolvido pelo Estado e pelo Mapa”, avaliou.

BLOCO I

Esforço que deve ser implementado não só por Rondônia, mas por todos os estados que compõem o Bloco I do Plano Estratégico de Prevenção à Febre Aftosa. “É um desafio de parcerias”, afirmou o presidente do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Acre (Idaf/AC), José Francisco Thum. “Em toda a Bacia Amazônica, a pecuária já é uma atividade consolidada. As políticas de combate e prevenção às doenças que acometem os rebanhos, implementadas pelos estados do Bloco I, transmitem confiança ao mercado, porque são políticas sérias e bem estruturadas, por isso o produtor deve internalizar esse sentimento de comprometimento, para que ele se reconheça como principal ator nessa história toda, visto que ele é o principal beneficiado na ponta da cadeia”, completou. José Francisco destacou ainda, os investimentos feito pelo Idaf, com renovação da frota e melhorias nos escritórios do Instituto, além da contratação de mais 70 novos funcionários. “Assim como fez a Idaron, o Idaf quer passar ainda mais confiança ao produtor”, enfatizou.

TRABALHO CONJUNTO

O titular da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), Evandro Padovani, deu ênfase ao trabalho desenvolvido pela pasta que, aliado aos esforços da Idaron, tem levado Rondônia aos grandes mercados internacionais, alcançando mercados cada vez mais atrativos, devido a qualidade da carne produzida no estado. “A aliança entre Idaron, Seagri e o pecuarista tem gerado bons resultados. Uma realidade que faz com que nossa responsabilidade seja redobrada. E quando eu falo nossa, me refiro a todos os setores ligados ao agronegócio, porque a manutenção do status sanitário alcançado é vantajosa para todos.”

Padovani destaca a importância da participação de todos no processo da ratificação do status comquistado da OIE, e se dirige diretamente aos produtores, “qualquer suspeita de doença deve ser comunicada imediatamente à Idaron, para o bem de toda nossa cadeia produtiva”.

COMPETÊNCIA

O vice-governador do Estado, José Jodan, que representou o governador cel Marcos Rocha, destacou a “grande capacidade de gestão do chefe do Executivo Estadual, que indicou profissionais da mais alta competência para administrar pastas de extrema importância, como a Idaron”. “Parabéns ao Julião [Julio Peres] e a todos os servidores. O que temos hoje em status sanitário é resultado de um trabalho sério e competente que valoriza a carne e os produtos lácteos”.

O secretário-executivo do Sindicato das Indústrias de Frigoríficos do Estado de Mato Grosso (Sindfrigo-MT), Robson Pego falou do setor frigorífico, destacando a redução do valor do manejo ao pecuarista, com melhora do mercado internacional. “Ainda há muito por ser feito, mas a pecuária de Rondônia já deu um grande passo. As conquistas são enormes e maiores ainda são os desafios”, comentou.

O apontamento feito por Robson Pego, foi complementado pelo presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Rondônia (Faperon), Helio Dias, que fez um resgate histórico do empenho dos produtores no combate á febre aftosa. “Fizemos o dever de casa. Hoje temos um serviço veterinário oficial bem estruturado, forte e atuante. Isso nos dá garantia. Sabemos que podemos contar com o estado para atender qualquer suspeita de doença em animal de produção”, afirmou.

DESTAQUE

José Hiran Ferrão, fiscal agropecuário da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab/BA), destacou a pecuária de Rondônia dizendo que os números apresentados, em curto espaço, são extraordinários. “Não precisa ser eloquente para falar da pecuária de Rondônia, os números por si só, convencem a qualquer um”.

Vice-governador do Estado, José Jodan fez a entrega das chaves de 11 vans ao presidente Idaron.

Apontando gráficos que indicam evolução do Estado no setor agropecuário e na conquista dos grandes mercados importadores de carne, José Hiran reafirmou a importância de crescer em uma rede de vigilância sanitária e destacou a pujança do mercado exportador em Rondônia, que alcança 50 países, gerando, em apenas um ano (2020), uma receita de mais de U$ 734 milhões”.

HOMENAGEM

O presidente do Fundo Emergencial da Febre Aftosa do Estado de Rondônia (Fefa), José Vidal Hilgert, que tem desempenhado um valoroso serviço no enfrentamento e prevenção da doença, foi um dos homenageados no 3º Fórum de Prevenção a Febre Aftosa. “Essa homenagem é em reconhecimento a intensa luta na defesa de um estado livre de aftosa”, destacou o representante do Mapa, Geraldo Marcos de Moraes, que, além de José Vidal, entregou o certificado de reconhecimento internacional da OIE ao vice-governador José Jodan, ao presidente da Idaron, Julio Peres, ao secretário da Seagri, Evandro Padovani, e ao ex-governador José de Abreu Bianco, que implementou o Idaron no estado.

ENTREGAS

O fórum foi encerrado com a entrega simbólica, pelo vice-governador do Estado, de 11 vans, equipadas com tecnologia de ponta e diversos acessórios, cada uma orçada no valor de R$ 400 mil. Também foram entregues doze drones. Investimentos que integram os mais de R$ 75 milhões empenhados pelo Governo Marcos Rocha na Idaron.

Fonte
Texto: Toni Francis
Fotos: Toni Francis/Idaron

Fonte - 010 - SECOM - GOV/RO

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.