Polícia desvenda morte de mulher em suposto latrocínio

Mandante foi o marido que não queria mais o casamento, mas não desejava repartir os bens
Quarta-Feira, 03 de Novembro de 2021 - 08:49

Esta semana o caso envolvendo a morte de Simeria Felício, 44 anos é o tipo de crime capaz impressionar os mais ávidos cineastas. A vítima não teria sido morta em uma tentativa de latrocínio, como bem afirmou o marido dela, L.R em depoimento à polícia.

Simeria foi assassinada em um crime orquestrado pelo próprio companheiro, um pecuarista de Nova Califórnia. Em depoimento, após a prisão, no dia (01), o homem confessou autoria, além de declarar a motivação: “não querer estar mais ao lado da vítima, mas também não pretendia repartir os bens”.

Diante da insatisfação, L.R planejou, segundo o delegado matar a companheira. Para isso, contratou os pistoleiros que mais tarde foram identificados pelas iniciais J.S, e N.R.S.

Com o plano orquestrado, mandante e bandidos começaram a colocar em prática toda ação que teria um desfecho macabro na tarde do dia (12) de setembro. Imagens de câmeras da Br-425, no trecho compreendido como [Vila da Penha], em Nova Mamoré mostra o exato momento em que a caminhonete em que Simeira e L.R estavam é perseguida pelos criminosos. 

Mas o que a vítimanão desconfiava e que ao parar o veículo, as margens da estrada com o pretexto do esposo de urinar, seria a deixa para que os pistoleiros se aproximassem e a revendessem. Simeira foi morta de joelhos com três tiros na cabeça.

A prisão dos dois pistoleiros no dia (1), um mês e 20 dias do crime, em Nova Dimensão, distrito de N.M (RO) foi decisiva para o desenrolar da história, fazendo com que a investigação avançasse e chegando ao verdadeiro autor.

Ainda com informação extraída do depoimento, L.R confessou que ele mesmo levou a caminhonete até um trecho já em Guajará-Mirim. No local, abandou o veículo e em seguida retornou para a Vila Penha onde ocorrera o assassinato, de lá é que teria entrado em contato com a polícia.

Uma das filhas de Simeria, ainda bastante abalada com os últimos acontecimentos publicou em sua rede social que tinha suspeita de que a mãe não havia sido morta no crime de latrocínio, e que já vinha suspeitando do padrasto. Segundo ela, o homem jamais apresentou qualquer feição de dor em relação a morte da mulher, e inclusive chegou a participar do velório e enterro.

O único louco da história era vocêdesgraçado quetorturou minha mãepsicologicamente. Não teve nenhum pingo de senso,foi no velório e nem se quer cai uma gota de lágrimas para fingir. Entrou dentro da casa da minha irmã dormiu lá. Sua história pra mim não colou”, disse a jovem.

Todos os envolvidos estão presos. O assassinato de Simeria ocorreu por meio de um acordo em que o marido ficou de repassar a quantia de de 25 mil para os pistoleiros em dezembro.

Fonte - News Rondônia

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.