Campanhas pedem ajuda para indígenas de Rondônia que estão presentes em Brasília

A delegação rondoniense embarcou no último domingo (22) rumo à Brasília para se juntar aos 6 mil indígenas brasileiros que participam do movimento.
Quarta-Feira, 25 de Agosto de 2021 - 16:49

Sem condições para se manter em Brasília, indígenas de Rondônia iniciaram campanhas nas redes sociais visando suporte ao movimento nacional "Luta pela vida". Lideranças indígenas pedem contribuições voluntárias em dinheiro, alimentos, água mineral, medicamentos, cobertores e máscaras de proteção facial para os participantes que estão no acampamento Terra Livre.

A delegação rondoniense embarcou no último domingo (22) rumo à Brasília para se juntar aos 6 mil indígenas brasileiros que participam do movimento. Na bagagem dos rondonienses, a reivindicação de direitos e promoções de atos contra a agenda anti-indígena que está em curso no Congresso Nacional e no Governo Federal, além disso, o grupo pressiona o Supremo Tribunal Federal (STF) que decide hoje (25) por um processo que pode definir o futuro das terras indígenas no país.

Das inúmeras "vaquinhas" que o News Rondônia teve acesso, destaque para a arrecadação criada por Elias Suruy. Ele publicou alguns vídeos e fez inúmeras publicações em outros idiomas fortalecendo a importância do movimento e dando ênfase ao pedido de ajuda a delegação. A campanha de Suruy aceita PIX e até criptomoedas.

"Você pode ajudar a delegação indígenas de Rondônia a se manter com comida e mantimentos durante o período da mobilização diretamente doando Tezos para essa conta: (tz1hEvcPQt2ku6J4c5V8DcLhBbuSjj53iUxD) ou via PIX:38411306000103. Todo valor será repassado para a delegação em Brasília", escreveu.

A Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira (Coiab) também pede apoio para o acampamento "Luta Pela Vida". Eles pedem água mineral, frutas, agasalhos, lençóis, cobertor, blusa de frio para adultos, crianças e idosos. Também aceitam auxílio financeiro, em qualquer valor, no PIX 63692479000194.

O MARCO TEMPORAL

A ação que está sendo julgada pelo STF trata de um pedido de reintegração de posse do governo de Santa Catarina contra o povo Xokleng. A decisão é de repercussão geral e vai afetar todas as deliberações da Justiça e ações administrativas e legislativas no país.

O Marco Temporal determina que indígenas só podem reivindicar a demarcação caso estivessem na terra antes de 1988, fazendo esquecer a história de violências às quais foram submetidos, que implicou muitas vezes no deslocamento forçado de seu território originário . 

 

 

Fonte - News Rondônia

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.