Butantan entrega novo lote de Coronavac ao governo federal com 2 milhões de doses

Desde o início da pandemia, 64,8 milhões de doses da vacina feita em parceria com farmacêutica chinesa foram repassadas ao Ministério da Saúde. Governo de SP cria container itinerante para identificar variantes da doença no estado.
Quarta-Feira, 04 de Agosto de 2021 - 08:31

O governo de São Paulo liberou na manhã desta quarta-feira (4) um novo lote de vacinas com 2 milhões de doses da CoronaVac, do Instituto Butantan, ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde.

Com a entrega desse novo lote ao governo federal, o Butantan completa o repasse de mais de 64,8 milhões de doses.

"Nós temos aqui em solo 30 milhões de doses sendo produzidas. Além dessas 65 milhões já entregues, temos mais 30 milhões de dose em processamento. Então, tudo indica que vamos terminar antes até de 30 de agosto a entrega de 100 milhões de doses ao Ministério da Saúde", disse o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas.

As vacinas liberadas nesta quarta fazem parte do segundo contrato firmado com o Ministério da Saúde, de 54 milhões de vacinas. O primeiro, de 46 milhões, foi concluído em 12 de maio. O Butantan diz que vai concluir a entrega das 100 milhões de doses até o fim de agosto, um mês antes do previsto.

No domingo (1º), o Instituto Butantan recebeu cerca de 2 mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), matéria-prima para produção da CoronaVac, para a produção de 4 milhões de doses da vacina.

Identificação de variantes

O governador João Doria (PSDB) também anunciou a criação de um container itinerante que vai circular pelo estado de São Paulo para a identificação de novas variantes da Covid-19, como a variante delta.

"Ele pode fazer 300 analises por dia e oferece o resultado no mesmo dia e no próprio local aonde a necessidade da pesquisa, dessa analise for identificada", disse Doria.

A primeira parada do container deve ocorrer nesta quinta-feira (5) na cidade de Aparecida, na região de Taubaté, no interior do estado.

"Com isso nós temos os instrumentos para identificar rapidamente a variante, a sua importância epidemiológica na região e tomar as medidas que forem necessárias. Isso deve ser feito no estado inteiro, é um laboratório móvel, a mobilidade é muito rápida né, nós podemos deslocar muito rapidamente e, nesse sentido, nós podemos trabalhar de forma muito efetiva no controle dessa doença", disse Dimas Covas.

A escolha da cidade de Aparecida é porque ela apresenta um grande fluxo rodoviário com o estado do Rio de Janeiro, que está com uma alta prevalência da variante delta. Em seguida, o container deve seguir para Santos, onde foram identificadas três pessoas contaminadas em um navio no Porto.

Veja abaixo as entregas de doses do Butantan ao Ministério da Saúde:

Janeiro: 8,7 milhões

Fevereiro: 4,583 milhões

Março: 22,7 milhões

5 de abril : 1 milhão

7 de abril : 1 milhão

12 de abril : 1,5 milhão

14 de abril: 1 milhão

19 de abril: 700 mil

22 de abril: 180 mil

30 de abril: 420 mil

6 de maio: 1 milhão

10 de maio: 2 milhões

12 de maio: 1 milhão - totalizando as 46 milhões do primeiro contrato

14 de maio: 1,1 milhão

11 de junho: 800 mil

14 de junho: 1 milhão

16 de junho: 1 milhão

18 de junho: 2,2 milhões

5 de julho: 937 mil

14 de julho: 800 mil

15 de julho: 200 mil

16 de julho: 1 milhão

19 de julho: 1 milhão

21 de julho: 1,5 milhão

23 de julho: 1 milhão

28 de julho: 1,5 milhão

30 de julho: 1,2 milhão.

4 de agosto: 2 milhões.

Fonte - 010 - G1

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.