Casca de tamarindo é transformada em combustível para veículos

A casca é considera lixo agrícola e acaba sendo descartada em aterros sanitários.
Sábado, 24 de Julho de 2021 - 11:00

Pesquisadores conseguiram processar a casca de tamarindo e transformar em combustível para abastecer veículos.

O artigo foi publicado no periódico Chemosphere, e a proposta dos cientistas das Universidades Tecnologica de Nanyang e Alagappa, na Índia – em parceria com a Universidade da Noruega – soluciona um problema de desperdício da própria fruta, consumida no mundo todo, além de limpar o meio ambiente.

A casca é considera lixo agrícola e acaba sendo descartada em aterros sanitários.

Fonte de energia

As nanofolhas produzidas a partir de casca de tamarindo mostraram boa estabilidade térmica e condutibilidade elétrica.

Isso as torna promissoras para o armazenamento de energia e uma alternativa ecológica na comparação com os produtos industriais empregados hoje.

A transformação

Primeiro, os cientistas lavam as cascas de tamarindo e secam a 100 ºC por seis horas.

Em seguida, elas são trituradas e transformadas em pó. Depois, o pó é assado de 700 ºC a 900 ºC por 150 minutos, sem oxigênio, para que seja possível convertê-lo em nanofolhas de carbono.

A casca é porosa e rica em carbono e é justamente isso que faz com que ela seja um bom material essencial para supercacitores, que são dispositivos de armazenamento de energia usados em automóveis, ônibus, veículos elétricos, trens e elevadores.

“As nanofolhas são feitas de camadas de átomos de carbono organizadas em hexágonos ligados entre si, é como uma fava de mel”, explica, em nota, o pesquisador Dhayalan Velauthapillai, da Universidade da Noruega Ocidental de Ciências Aplicadas.

“O segredo por trás da capacidade de armazenamento está na estrutura porosa, que resulta em uma grande área capaz de auxiliar o material a suportar altas cargas elétricas.”

Produção mundial

Agora, os pesquisadores estão trabalhando para aprimorar as propriedades eletroquímicas das nanofolhas de carbono feitas com tamarindo para reduzir a quantidade de energia usada durante a sua manufatura.

No futuro, eles pretendem explorar a produção de nanofolhas de carbonos em larga escala com parceiros do agronegócio e utilizar outros tipos de casca para obter resultados similares.

Fonte - 010 - sonoticiaboa

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.