Força-tarefa para prender Lázaro Barbosa entra no 17º dia com movimento intenso após prisão de fazendeiro e caseiro

Detidos são suspeitos de ajudar o procurado a se esconder em Cocalzinho de Goiás. Criminoso é suspeito de chacina no DF e outros crimes na Bahia e Goiás.
Sexta-Feira, 25 de Junho de 2021 - 08:52

A força-tarefa que procura por Lázaro Barbosa entra no 17º dia consecutivo de trabalho nesta sexta-feira (25) após duas pessoas serem presas suspeitas de ajudar o criminoso a fugir. A identidade deles não foi divulgada, mas informações de membros da operação indicam que são um fazendeiro e um caseiro. Imagens mostram quando um dos detidos é levado para a Delegacia de Águas Lindas de Goiás, no Entorno do DF.

Secretário de Segurança Pública fala sobre esconderijo de Lázaro

Lázaro é suspeito de uma chacina em Ceilândia (DF) e outros sete crimes, segundo a Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO) - veja aqui sobre crimes e fuga do investigado. A operação que procura pelo criminoso tem mais de 270 policiais empenhados e conta com ajuda de helicópteros e cães farejadores.

A região onde as prisões ocorreram tinha cerco montado por policiais de 14h45 de quinta-feira (24) e continuava até pelo menos 9h desta sexta - completando 17h de monitoramento.

Nesta área de chácaras só puderam entrar algumas pessoas que comprovaram morar na região e uma fila de carros foi formada durante a tarde de quinta-feira por quem queria ir para casa. Nesta manhã o impedimento continua e chacareiros contam que precisam passar para alimentar os animais.

Segundo informações de participantes da operação repassadas à equipe da TV Anhanguera, os presos e policiais que participaram das prisões devem prestar depoimento aos delegados envolvidos na força-tarefa.

O advogado Ilvan Barbosa se identificou às equipes de reportagem na porta da delegacia de Águas Lindas de Goiás como defensor dos dois presos e disse que seus clientes não confessaram ter ajudado Lázaro.

De acordo com ele, o fazendeiro, que tem 74 anos, é portador de câncer, está indo à propriedade alimentar os animais, mas não viu o procurado em momento algum. Já o caseiro, também segundo o advogado, viu uma pessoa na região que pode ter sido Lázaro.

Com os presos, a polícia apreendeu duas armas de fogo e mais de 50 munições. De acordo com as informações da força-tarefa, uma dessas armas foi roubada em um dos crimes de que Lázaro é suspeito. Os homens foram detidos em uma região de chácaras de Girassol, distrito de Cocalzinho de Goiás.

Secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda disse que as equipes estão cada vez mais perto de Lázaro.

“Ele andava sempre pelos canais. Dificultando nosso trabalho. Temos um indicativo forte de onde ele está. [...] Nós fechamos o perímetro e estamos cercando cada vez mais”, contou.

A SSP informou que acredita que há uma “rede criminosa” que apoia Lázaro, mas ressaltou que a força-tarefa está trabalhando com o objetivo de prendê-los.

O secretário revelou que os detidos já tentaram retirar o fugitivo do perímetro onde ocorrem as buscas, mas que o cerco realizado na tarde de quinta-feira ajudou a impedir.

“Quem facilita a vida de foragido comete crime. Nós temos indício de que há outras pessoas ajudando e nós vamos chegar nelas. A gente tem alcançado o nosso grande objetivo que é não o deixar cometer mais crimes. E, a cada dia, nós estamos mais próximos dele e dessa rede criminosa que apoia absurdamente esse sujeito”, contou.

Cerco

Os policiais que fazem a barreira na estrada de chão informaram que nenhum morador pode entrar na área. O caseiro Joaquim Santana, de 58 anos, disse que espera na fila desde 6h para poder alimentar os animais da chácara em que trabalha.

“Ninguém passa. Não sabe nem que hora vai poder passar. Os bichos todos com fome. Tem que acabar isso logo”, pediu.

Um morador da região do cerco que preferiu não se identificar contou que ficou esperando para entrar na chacra até as 22h de quinta-feira (23), não conseguiu passar e teve que dormir na casa de um amigo.

“Fui dormir fora. Voltei agora 6h, mas não pude entrar. Não tem nem previsão”, contou.

O caminhoneiro Samuel Silva Santos, de 40 anos, chegou ao local às 8h30 para buscar gado em uma fazenda, mas também foi impedido de entrar.

“A carga está fechada lá esperando. Vou esperar um pouquinho, qualquer coisa volto para trás”, disse.

Cronologia da fuga

9 de junho: Lázaro invadiu uma chácara no Incra 9, em Ceilândia (DF), onde matou a tiros e a facadas um casal e dois filhos. Roubou a chácara após o assassinato da família. Ele teria rendido o caseiro, o dono da propriedade e a filha dele;

11 de junho: Lázaro fugiu para Cocalzinho de Goiás logo em seguida.

12 de junho: Ele atirou em quatro pessoas, invadiu fazendas e colocou fogo em uma casa ao fugir da polícia. Os feridos foram levados a hospitais da região, sendo que dois estavam em estado grave até sábado (19).

13 de junho: Furtou um carro e o abandonou na BR-070 após avistar uma barreira policial, dando sequência à fuga para uma mata

14 de junho: Caseiro de Cocalzinho de Goiás disse à polícia que atirou em Lázaro Barbosa após ele falar que ia entrar na casa. Chacareiro relatou que ele fugiu depois de ser atingido. Lázaro foi filmado no curral de uma fazenda entre os distritos de Edilândia e Girassol. A polícia acredita que ele passou a noite no local. O caseiro diz que o homem pediu comida e em seguida fugiu para a mata;

15 de junho: Dois policiais militares de Goiás foram baleados durante buscas do suspeito. Delegado diz que Lázaro fez casal e adolescente reféns em Edilândia. Uma parente da família relatou os momentos de pânico;

16 de junho: Lázaro Barbosa foi visto por um morador em uma área rural;

17 de junho: a polícia retomou as buscas em matas da região e mudou a base de operação pela segunda vez. Houve nova troca de tiros e secretário de segurança pública acredita que ele esteja ferido;

18 de junho: durante buscas o secretário de segurança pública disse que acredita ter visto Lázaro. Segundo PRF, ele foi visto em um chiqueiro durante a tarde, mas fugiu novamente para vegetação;

19 de junho: a houve uma grande movimentação de policiais na região de Águas Lindas, depois que um morador afirmou ter visto Lázaro em uma gruta da região. No mesmo dia, a cadela que atuou nas buscas pelas vítimas da tragédia de Brumadinho chegou a Cocalzinho de Goiás;

20 de junho: as buscas por ele foram intensificadas por policiais civis, militares e federais. Foram usadas três aeronaves e cinco cães farejadores na caçada.

21 de junho: Pela manhã uma moradora denunciou que viu um homem, parecido com o fugitivo, passar por uma propriedade rural. Policiais e bombeiros com cães farejadores acompanharam a mulher para fazer uma verificação na área. Militares de vários batalhões vasculharam casas rurais em busca de pistas e rastros que Lázaro possa ter deixado;

22 de junho: policiais retomam buscas por Lázaro e recebem rádios comunicados do Exército Brasileiro com alcance de 30km. Pela manhã, equipes periciaram um carro que foi encontrado queimado e, à tarde, um lençol e um serrote, que foram encontrados em um local onde o criminoso pode ter se abrigado, em Águas Lindas de Goiás. À noite, um novo cerco foi montado após troca de tiros entre fazendeiro e suposto invasor

23 de junho: a SSP disponibilizou um aplicativo para que moradores em uma área de 100 km de distância da região de busca possam fazer denúncias ou pedidos de ajuda. Equipes fizeram buscas em áreas de chácara, mas não conseguiram localizar pistas do fugitivo;

24 de junho: a força-tarefa saiu durante a tarde para fazer buscas em uma região de chácaras de girassol. O secretário de segurança, Rodney Miranda, saiu em uma viatura descaracterizada. Helicópteros também sobrevoaram a região.

Fonte - 20 - Por Vanessa Martins, Eduardo Marins e Bruno M

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.