HISTÓRIA - São Felipe D’Oeste completa 27 anos com 82% da economia voltada à agricultura familiar

Apesar de pequeno, geograficamente, o município possui terras férteis, que favorecem o plantio de café, atividade de maior concentração e, também, a produção de leite, aquecendo ainda mais o ramo agropecuário e favorecendo o crescimento mais de mil pequenos produtores rurais.
Terça-Feira, 22 de Junho de 2021 - 08:33

Localizado na micro região da zona da Mata, com uma área de extensão de 542 km², o município de São Felipe D’Oeste completa 27 anos nesta terça-feira (22), marcado por conflitos agrários e pelo crescimento na economia voltado às atividades agropecuárias, que têm fomentado a agricultura familiar, chegando até 82% de potencial econômico em toda a região, que hoje conta com cerca de seis mil habitantes.

Apesar de pequeno, geograficamente, o município possui terras férteis, que favorecem o plantio de café, atividade de maior concentração e, também, a produção de leite, aquecendo ainda mais o ramo agropecuário e favorecendo o crescimento mais de mil pequenos produtores rurais. Ou seja, o forte da economia do município é o chamado “café com leite”, uma vez que a produção de café é bem evidente e, ainda, a pecuária leiteira. O destaque também vai para a pecuária de corte, que está começando a tomar pujança no município.

Outro ramo que tem crescido significativamente, nos últimos cinco anos, é o plantio da soja e do milho. Vários produtores estão migrando da criação de gado para a plantação da soja. Esse cenário proporciona mais empregabilidade e mais giro econômico in loco. De acordo com o atual prefeito de São Felipe D’Oeste, Sidney Borges de Oliveira, devido ao tamanho da produção local, está sendo contratada uma equipe para promover educação tributária aos produtores.

“Nosso grande desafio é fazer um trabalho de conscientização tributária. Pois, só recebemos o repasse de ICMS mediante o que nós mostramos ao Estado que produzimos. Nós temos hoje a pecuária de corte que vendemos diretamente aos frigoríficos nas cidades polos. Na produção de leite temos uma cooperativa no município que possui até 60% de produtores cooperados que vendem num montante só para o laticínio, um dos maiores do país. Uma forma inteligente de agregar valor ao produto. Essa cooperativa reúne os produtores e tem uma média, no pico das águas, de 22 mil litros por dia. Nossa bacia leiteira é muito boa”, detalhou.

Fatores importantes que contribuem para esse crescimento é a fertilidade do solo e a posição geográfica, uma vez que o município se encontra próximo aos médios centros que compreendem Cacoal, Pimenta Bueno e Rolim de Moura, com fácil transitação e boa malha viária, facilitando assim o lavourista a ir à São Felipe D’Oeste aplicar seus investimentos. Mas, para compreender melhor sobre a evolução do município de São Felipe do este é preciso voltar um pouco essa história, iniciada em 1982 é marcada por conflitos de terra.

A HISTÓRIA

São Felipe D’Oeste surgiu de uma invasão de terras na Fazenda São Felipe e após muitos conflitos, ocorreu a desapropriação, através do Decreto nº 88.769, de 27 de setembro de 1983, assinado pelo presidente da República João Batista Figueiredo que, na época, declarou a área de interesse social.

Após concretizada a distribuição dos lotes, em 1985, os posseiros residentes decidiram que o nome São Felipe deveria permanecer na denominação do projeto de colonização, implantado no município de Pimenta Bueno. O projeto de emancipação tramitou na Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia (ALE), com o nome de São Felipe D’Oeste, para diferenciar de município já existente no Estado da Bahia.

Em 22 de junho de 1994 foi criado o município de São Felipe D’Oeste, por meio da Lei nº 567, assinada pelo governador Oswaldo Piana Filho, já com área desmembrada do município de Pimenta Bueno.

CULTURA

Conforme explicado pelo prefeito Sidney Borges, o âmbito da cultura e do turismo ainda precisa ser mais explorado. Mas, anualmente, todo último domingo de setembro, ocorre a chamada Romaria da Bíblia, que atrai participantes de diversas cidades de todo o Estado e já alcançou quantidade de público de cinco mil pessoas. O festejo religioso envolve duas comunidades, que ficam entre um córrego que tem um lajedo, chamado “água santa”, por onde o rio passa.

Em cada ano, a Romaria sai de uma das comunidades e percorre cerca de quatro quilômetros até a água santa. A festividade conta ainda com a montagem de barracas enfeitadas que comercializam bebidas e comidas típicas. Este ano, por conta do cenário pandêmico, não será possível ser realizada.

“Trata-se de um turismo religioso com grande relevância de público, que pretendemos fortalecer aqui em nossa região. Nós temos o propósito de inserir o evento no calendário cultural do Estado. Já iremos fazer esse pedido ao Superintendência Estadual de Turismo (Setur)”, pontuou Borges.

INFRAESTRUTURA

O município avança no desenvolvimento, com a parceria do Governo de Rondônia, por meio do Programa “Tchau Poeira”, sendo contemplado com dois quilômetros de pavimentação asfáltica e dois quilômetros de recapeamento asfáltico. A prefeitura do município está sob a incumbência da elaboração dos projetos para apresentar ao Governo e então ser contemplado com a execução das obras pelo Departamento Estadual de Estradas de Rodagem e Transportes (DER).

Outros projetos também estão sendo discutidos com o Poder Executivo Estadual, como a reforma da Escola Municipal de Ensino Fundamental Orlindo Gonçalves da Rocha e a Escola Municipal de Ensino Fundamental Geone Silva Ferreira. “Vejo uma parceria muito saudável com a atual gestão do Governo e creio que não vai parar por aí. Temos o anseio de estarmos inseridos em mais programas do Governo, como o “Mais Calcário”, para podermos trazer aos nossos produtores a correção do solo”, salientou.

CENÁRIO ATUAL

Diante do período pandêmico, por prudência, o prefeito informou que não há programação especial prevista para celebração do aniversário do município, mas espera celebrar a data no próximo ano.

SAÚDE

Hoje, o município conta com uma unidade mista de saúde, que possui atendimento médico 24h, com enfermeiro e técnico de enfermagem e duas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Atualmente, São Felipe D’Oeste está entre os primeiros municípios que mais vacinaram a população. Até o último dia 10 de junho, mais de duas mil pessoas foram vacinadas, já contando com segunda dose aplicada. Apesar do cenário de pandemia, o município tem muito a celebrar, por sua evolução econômica e pela característica de uma população trabalhadora, que anseia por novos caminhos para o progresso.

Fonte - 010 - SECOM - GOV/RO

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.