Produtores de leite da Região do Café se sentem satisfeitos com o programa 'Mais Calcário'

Na Região do Café, a procura pelo Programa Mais Calcário começou já na segunda-feira (14).
Terça-Feira, 15 de Junho de 2021 - 17:39

Nesta semana, o Governo de Rondônia iniciou novamente o cadastro de produtores rurais no Programa Mais Calcário, que visa a distribuição gratuita do minério em todo o Estado. O cadastramento pode ser feito junto aos 74 escritórios regionais da Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater).

O programa também conta com o apoio da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) e, por meio do Fundo de Investimento e Apoio da Cadeia Produtiva do Leite (ProLeite), deve atender centenas de produtores rurais que têm na pecuária leiteira a sua principal atividade.

Na Região do Café, a procura pelo Programa Mais Calcário começou já na segunda-feira (14). Nos municípios de Pimenta Bueno, Cacoal, Espigão D’Oeste, Primavera de Rondônia, São Felipe D’Oeste, Ministro Andreazza e Parecis, as equipes da Emater já iniciaram o cadastramento de diversos produtores. “Esse cadastro pode ser feito até o dia 2 de julho, em qualquer escritório da Emater. Cada produtor poderá garantir o transporte gratuito de até no máximo 35 toneladas de calcário”, explicou o gerente regional da Emater, Samuel Guedes.

PRODUTORES SATISFEITOS

Em 2020, o Poder Executivo, por meio da Companhia de Mineração (CMR) descarregou 35 toneladas de calcário na propriedade de Gilson Ribeiro Emerich, em Espigão D’Oeste. O produtor e a esposa, Eidiana Butzke, usaram o minério para a reforma da pastagem e também na correção do solo para o início do plantio de milho.

“Esse é um programa muito importante, que faz toda a diferença para nós, que somos pequenos produtores. Além de reduzir o custo que a gente paga por tonelada, o Governo está distribuindo gratuitamente o calcário para o produtor. Então a gente não gasta com o frete, que é o que encarece o produto. Esse é um grande incentivo, que ajuda a melhorar a nossa produção”, ressalta Gilvan Emerich.

Na propriedade, o casal conta com 100 cabeças de gado e com o plantio de milho, produzem a própria silagem. Trata-se de um dos principais componentes para a alimentação de bovinos, por ser rico em energia e garantir alta digestibilidade. “Feita a correção do solo, hoje a roça de milho reduziu muito os custos da propriedade e aumentou o potencial da produção de leite. Estamos muito contentes”, completa Gilvan.

Também na Região do Café, o produtor rural Odair Queiroz Lara ,foi outro beneficiado com o programa de distribuição de calcário do Governo de Rondônia. Na propriedade do pai, Geraldo, ele tem no gado de corte e de leite a sua fonte de renda. “A gente mexe com o ciclo completo do gado. Cria, recria e engorda”.

pecuária

O produtor diz que se não fosse o menor preço praticado pela CMR na venda do calcário e a disposição do Executivo Estadual para fazer o transporte gratuito, os planos da família não teriam saído do papel.

“A tonelada do calcário custa pouco, mas o que o torna caro para gente é o frete! Mas agora com o transporte feito pelo Estado, que traz o calcário até a nossa propriedade, ficou a custo zero e isso realmente ajuda bastante”, explica Odair.

Os produtores rurais de Espigão D’Oeste também fazem questão de ressaltar o trabalho do Governo de Rondônia, por meio da Emater. “Esse é um trabalho conjunto do Estado. A companhia distribui o calcário e a Emater dá toda a assistência técnica a nós, produtores. Somos orientados desde a necessidade de utilizar esse calcário, a forma correta de aplicar, a dosagem, tudo”, destaca Odair.

Segundo o produtor, a Emater auxilia inclusive na coleta da análise do solo e no envio para o laboratório, buscando sempre garantir a produtividade das propriedades. “Está sendo feito todo um processo para que o produtor tenha êxito no uso desse calcário, melhorando a atividade e alavancando a produção”, finaliza o produtor.

Fonte - 010 - SECOM - GOV/RO

Comentários

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.