News Rondonia - Noticias de Rondonia, Brasil e o Mundo
Quarta-Feira, 14 de Abril de 2021

Livre

Leandro Karnal trouxe discussão sobre o mundo pós-pandemia para membros e servidores do judiciário

Edenir destacou a participação da Emeron no evento, considerando a temática relevante e urgente a ser debatida, qual seja, a pandemia e seus reflexos para toda a humanidade.
Segunda-Feira, 08 de Março de 2021 - 15:13

O evento "Encontro de Pensadores: Uma reflexão sobre a pandemia e a humanidade", com historiador Leandro Karnal, propôs a servidores do Poder Judicário de Rondônia e doTribunal Regional do Trabalho uma novas perspectivas de enfrentar momentos tão difíceis de mudança de comportamento, perdas e adaptações. Promovido pelo TJRO, por meio da Escola da Magistratura de Rondônia (Emeron), em parceria com o  (TRT-14) e sua Escola Judicial (Ejud14) e o Tribunal de Contas do Estado (TCE/RO), foi transmitido de modo privado no canal da Ejud14, exclusivamente para membros e servidores dos três órgãos.

 

 

Com mais de 1.200 visualizações no total, tendo até 520 acessos simultâneos, o webinário foi aberto pelos representantes das instituições promotoras: a presidente do TRT e diretora da Ejud14, desembargadora Maria Cesarineide Lima; o vice-diretor da Emeron, juiz Edenir Albuquerque, representando o diretor da Escola, desembargador Miguel Monico Neto; e o presidente da Escola Superior de Contas (ESCon), conselheiro Wilber Coimbra. Em comum, os três destacaram a proveitosa e frutífera iniciativa de realização do Encontro de Pensadores. "Que seja o início de uma caminhada entre as instituições em busca do aperfeiçoamento de seus integrantes", disse a desembargadora Cesarineide.

Edenir destacou a participação da Emeron no evento, considerando a temática relevante e urgente a ser debatida, qual seja, a pandemia e seus reflexos para toda a humanidade. "Essa discussão é mais que apropriada, está dentro e na linha do que a Emeron tem como propósito e objetivo", afirmou o magistrado. Sobre os efeitos nocivos da pandemia, o vice-diretor propôs uma autorreflexão: "É um tempo em que nos recolhemos às nossas perdas, lutos e nossas dores pairam suspensas, mas todo tempo é tempo de reconstruir uma humanidade para o ser humano, então essas discussões sobre como esse tempo nos faz sentir são importantes porque nos redescobrem e apontam caminhos para que possamos vivê-lo melhor".

O conselheiro Wilber também falou da oportunidade que o encontro oferece para uma reflexão maior. "Um olhar para dentro de si e para além de si, sob uma perspectiva empática, e assim possamos irmanados na dor, porque a cada instante temos famílias enlutadas, ter uma perspectiva de um futuro mais assertivo e melhor para todos nós", disse.

Palestras

 

 

Intitulada "O efeito da pandemia na humanidade no atual quadro da história", a primeira palestra foi proferida pelo professor Jorge Elarrat, mestre em Administração pela Universidade Federal de Rondônia (Unir) e com décadas de experiência nas áreas de Sistemas de Telecomunicações e Gestão da Informação. O palestrante falou da capacidade de resiliência historicamente demonstrada pela humanidade, especialmente no enfrentamento a duas guerras mundiais e uma pandemia na primeira metade do século passado. "Duas gerações consecutivas esmagadas por um processo de dor, quem viveu isso poderia imaginar que a humanidade não teria condições de se reconstruir, pois foram muitos sofrimentos, mas essa geração conseguiu atravessar esse período, superar tudo, estabelecer organizações pela paz entre as nações, melhorias em controle de pandemia e protocolos novos na ciência".

Jorge então citou três pilares que, segundo ele, foram perdidos ao longo do tempo de lá para cá. "O primeiro é a experiência de fé, pois a espiritualidade é essencial para que o homem consiga ter forças, e perdemos isso; o segundo pilar é a queda forte que tivemos na segurança pública no Brasil e no mundo como um todo; e ainda uma terceira condição: as redes sociais, que, em que pese o avanço, têm servido para isolar as pessoas, que estão perdendo a oportunidade do contato físico", acentuou. Como resultado, expôs que hoje temos muitas pessoas deprimidas e frágeis, e terminou sua fala com conselhos para lidar com as pessoas depressivas.

Leandro Karnal

A seguir, foi a vez do professor, escritor e palestrante Leandro Karnal, com o tema "O mundo pós-pandemia". Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (USP) e professor na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Leandro apresenta o CNN Tonight, na CNN Brasil, é colunista do jornal O Estado de S. Paulo e tem mais de 5 milhões de seguidores nas redes sociais. Em sua palestra, ele possibilitou reflexões sobre a aceleração das mudanças vivenciadas: "O mundo tinha uma velocidade completamente diferente, era mais lento, o que foi acontecendo é uma aceleração extraordinária com o surgimento dos computadores e dos celulares, muitos aparelhos foram concentrados em um apenas e essa mudança continua".

Também falou que a busca por conhecimentos deve ser um processo contínuo: "Não basta ser bem informado, é imprescindível continuar bem informado". Segundo ele, as áreas e aspectos do conhecimento mudam, mas os valores são perenes. Karnal ainda destacou a necessidade de desenvolver resiliência, empatia, otimismo e estratégia para o enfrentamento e a superação deste momento tão difícil. "Em meio a esses saltos de tecnologia, ainda não chegamos a um ano da primeira morte por Covid em São Paulo, na segunda semana de março do ano passado", afirmou. "Todos já tinham realizado reuniões através de telas, de câmeras, a grande questão é que esse espaço virtual também deu um salto e o que antes era alvo de debate (EaD, consultas médicas pela câmera, audiências e sessões virtuais, será que são úteis, legais, compatíveis com as demandas?), num espaço muito curto tornou-se uma realidade".

Para ele, nesse novo mundo que surgia, todos tivemos que nos adaptar muito rapidamente: "Quem antes não comprava pela internet, passou a comprar, há profecias de que os cinemas nunca se recuperarão, filmes são lançados diretamente nas plataformas, tudo isso não é um mundo de ponta cabeça, é o nosso mundo que se transformou e é comum nesses momentos que surjam soluções individuais, pois perdemos a crença nas autoridades". Karnal pontuou que, em um mundo em que tudo passa a ser opinião, já que tudo está na internet, as redes sociais capilarizam essa ideia de que toda opinião é válida: "As pessoas começaram a achar que podem ter opinião antes de ter qualquer autoridade".

Por fim, disse que um dos maiores erros que podemos cometer é o de se lamentar. "Não adianta pensar no mundo como era ou deveria ser, só tenho o mundo real à frente, portanto tenho que trabalhar com o mundo presente, para evitar a fantasia, esse é o mundo atual", concluiu.

Fonte - 010 - Assessoria de Comunicação Institucional/com

Comentarios

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.