News Rondonia - Noticias de Rondonia, Brasil e o Mundo
Sabado, 27 de Fevereiro de 2021

Livre

Einstein vai conduzir terceira fase de testes da vacina Covaxin no Brasil

O instituto coordenará a 3ª fase de estudos clínicos da vacina contra a covid-19 Covaxin.
Quinta-Feira, 04 de Fevereiro de 2021 - 10:59

O Instituto Albert Einstein anunciou nessa 4ª feira (3.fev.2021) que formalizou um acordo com a Precisa Medicamentos, que representa o laboratório indiano Bharat Biotech no Brasil. O instituto coordenará a 3ª fase de estudos clínicos da vacina contra a covid-19 Covaxin.

Segundo o Einstein, os testes começam em março com 3.000 voluntários e devem durar de 45 a 90 dias.

A Precisa Medicamentos informou na 2ª feira (1º.fev) que pedirá à Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) a autorização para dar início à 3ª fase do ensaio clínico.

Em decisão comunicada nessa 4ª feira (3.fev), a agência disse que mudou as regras para autorizar o uso de vacinas. Os desenvolvedores não precisam mais realizar testes em massa no país antes de pedir aval do órgão para uso emergencial.

“Nós temos conhecimento da retirada da exigência, mas não afeta em nada o cronograma. Nós achamos que é importante que as vacinas sejam testadas no Brasil, independente da Anvisa estar abrindo essa possibilidade”, falou ao G1 Luiz Vicente Rizzo, diretor no Einstein.

“Você amplia o portfólio, você aumenta a pesquisa clínica no Brasil e você tem a vantagem dos pacientes que participam, porque os participantes da pesquisa recebem imediatamente a vacina.”

A Covaxin é desenvolvida a partir de vírus inativos. Os primeiros estudos clínicos mostraram que o imunizante não tem efeitos colaterais graves e é eficaz na produção anticorpos para a covid-19.

A vacina pode ser armazenada em temperatura de 2ºC a 8ºC e é aplicada em duas doses, com intervalo de 28 dias entre elas.

A fase 3 de estudos ainda está em andamento. Segundo o laboratório que produz a Covaxin, Bharat Biotech, participam 25.800 voluntários, sendo que 77% já receberam a 2ª dose. O ensaio clínico deve terminar ainda neste mês. Mesmo sem a conclusão dos testes ou a avaliação da eficácia, a Índia aprovou o uso do imunizante.

Representantes do Ministério da Saúde e da Bharat Biotech vão se reunir nesta 6ª feira (5.fev) para discutir a compra de doses do imunizante. Membros do instituto russo Gamaleya, responsável pela vacina Sputnik V, também participarão do encontro. O governo federal negocia a compra de mais de 30 milhões de doses das duas vacinas.

Na última 6ª feira (29.jan), a ABCVac (Associação Brasileira das Clínicas de Vacinas) fechou contrato com o laboratório Precisa Medicamentos, para a compra de 5 milhões de doses da Covaxin.

Fonte - 20 - Poder 360

Comentarios

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.