News Rondonia - Noticias de Rondonia, Brasil e o Mundo
Quinta-Feira, 25 de Fevereiro de 2021

Livre

Milionárias 'furam fila' e são imunizadas contra a Covid-19 no Amazonas

Uma delas são de que indivíduos estariam recebendo o imunizante sem pertencer ao chamado grupo de risco.
Quinta-Feira, 21 de Janeiro de 2021 - 09:52

No último balaço divulgado pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS/AM), o Amazonas contabilizava, 148 mortes, com 5 mil diagnósticos confirmados para a Covid-19. O número faz o Amazonas bater mais um novo recorde, desta vez de casos desde o início da pandemia por lá. Por conta do aumento de registros e do colapso, apresentado pela saúde pública amazonense, o Ministério da Saúde (MS) viu a necessidade do Amazonas praticamente começar a campanha de imunização contra o novo coronavírus, (SarsCoV-2) na última segunda-feira (18).

Com 282 mil doses recebidas do medicamento coronaVac, enviadas pelo Ministério da Saúde, o estado vacinou no primeiro dia da campanha mais 600 pessoas. Porém em meio à vacinação, que vem se mostrando um fôlego para toda humanidade, começaram a surgir diversas polemicas. Uma delas são de que indivíduos estariam recebendo o imunizante sem pertencer ao chamado grupo de risco.

Envolvidas nesse protagonismo estão às gêmeas Gabrielle Kirk Lins e Isabelle Kirk Lins, herdeiras da Universidade Nilton Lins, um dos maiores grupos universitários do Amazonas. Elas são medicas e foram nomeadas de forma emergencial pela Secretaria de Estado da Saúde do Amazonas, ainda no dia 18, data em que iniciou a vacinação. Mas para os amazonenses que não gostaram nada dessa furada de fila, a conta não bate.

De acordo com informações de jornalistas do Amazonas, as irmãs foram nomeadas às pressas para assumir cargos que lhes dariam prioridade a vacinação contra a Covid-19. Gabrielle Kirk Lins foi nomeada um dia antes do início do imunizante pela Anvisa, como gerente de projetos da pasta, ou seja, serviço administrativo.  Já a irmã a contratação consta no Diário Oficial do Municio no dia 19 de janeiro, um dia após a vacinação. A imagem das duas recebendo a aplicação foi parar na internet, e vem sendo um dos assuntos mais comentados em todo o Brasil.

A juíza Federal Jaiza Maria Pinto Fraxe foi a sua rede social pedir para que a população denuncie os casos em que forem comprovados de pessoas “furando fila”. “Não deixem isso acontecer. Denunciem para as autoridades federais competentes para as providencias cabíveis. O povo do Amazonas não merece isso. Estamos lutando pelo direito constitucional à vida digna”, enfatizou.

O governo do Amazonas fugiu da responsabilidade. Em comunicado o governo disse que o Estado não tinha controle sobre a aplicação das doses da vacina, que é de responsabilidade da Prefeitura de Manaus.  Já o prefeito de Manaus David Almeida (Avante) classificou de injurias a acusação de “fura fila” pelas milionárias do ensino manaura. “A vacinação das duas atende ao que determina o Ministério da Saúde e as acusações não passa de fake news”, explicou ele que informou ainda que vai proibir pessoas fazer fotos durante a vacinação.

Segundo uma publicação do site Amazonas Atual, o Ministério Público Amazonense, o Tribunal de Contas, do Trabalho e as Defensorias Públicas da União e do Estado, expediram uma recomendação as Secretarias de Saúde do estado e de Manaus "para que, na aplicação das doses da vacina contra a covid-19 aos profissionais de Saúde, priorizem aqueles que estão em situação de maior vulnerabilidade à doença como, por exemplo, os profissionais idosos, que apresentam comorbidades, considerando o risco de exposição a que eles estejam expostos em razão das suas atividades".

O MP ouviu o Prefeito de Manaus, David Almeida (Avante). Na terça-feira (20), Almeida afirmou que vai proibir a publicação de fotos das pessoas que receberam a vacina depois das denúncias de que parentes de empresários da cidade foram imunizados, levantando a suspeita do MP.

"O não atendimento à Recomendação por parte dos gestores dos referidos órgãos tornarão evidente o dolo do gestor de violar a ordem jurídica e a assunção dos riscos de dano, em caso de omissão injustificada de providências", finaliza a nota do MP do Amazonas, que também desmentiu notícias de que o órgão tenha recebido os imunizantes. 

O estado recebeu 282 mil doses da vacina CoronaVac, enviadas a partir de São Paulo, na última segunda (18).

Fonte - NewsRondonia

Comentarios

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLITICA DE PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondonia - 2021.