News Rondonia - Noticias de Rondonia, Brasil e o Mundo
Domingo, 24 de Janeiro de 2021

16 anos

DEGOLADO - Polícia esclarece crime brutal em Ji-Paraná

A vítima foi encontrada degolada, com um tiro na cabeça e sinais de espancamento pelo rosto.
Terça-Feira, 12 de Janeiro de 2021 - 10:43

A Polícia Civil de Ji-Paraná, por intermédio da Delegacia de Homicídios, esclareceu o homicídio de Paulo Francisco Alves.

O fato aconteceu no dia 5 de dezembro, na linha 82, próximo ao Distrito de Nova Colina, quando a vítima foi encontrada degolada, com um tiro na cabeça e sinais de espancamento pelo rosto.

O histórico da ocorrência traz notícia de que a vítima estava embriagada e saiu do lugar – um bar – tripulando sua moto, logo em seguida a uma discussão que teve, com 3 (três) homens não identificados e desconhecidos naquelas cercanias, os quais também ingeriram bebidas alcoólicas ali. Tais pessoas teriam saído antes da vítima do local, tripulando um veículo do qual também não há características. Logo que a vítima saiu dali, ouviram-se dois tiros. Alguns minutos depois, ela foi encontrada com o pescoço cortado, como foi dito acima.

Na manhã do dia 6, eis que o idoso Geraldo, morador do local e pai dos donos do bar, pessoa que havia auxiliado os policiais militares no dia anterior, iluminando o local, telefonou novamente a eles, dando conta que voltara ao local e encontrara uma espingarda calibre .32 no lugar onde o corpo foi encontrado. A espingarda, que foi arrecadada, teve sua propriedade atribuída a vítima Paulo Francisco.

Na investigação que se seguiu, foi verificado que a versão dos três homens desconhecidos era absolutamente mentirosas.

Alguns dos moradores do local possuíam brigas anteriores com a vítima, da qual disseram que sempre que se embriagava, produzia muitas confusões, xingava as pessoas e ameaçava-as de morte. Eventualmente, andava armada. No dia do fato, não foi diferente. Depois dos desentendimentos que produzia, depois de se embriagar, ameaçou um adolescente “de cortar a garganta e beber seu sangue”. Assim, saiu do local, supostamente para buscar uma arma –  segundo a versão dos investigados. Um dos donos do bar, P.S.P e os pais do adolescente, J.A.R. e L.O.L. foram atrás dele.

P.S.P. disse que quem atirou foi J.A.R. e L.O.L. negou tudo até o momento.

Na manhã de hoje, J.A.R. compareceu na DH, acompanhado por advogado e disse que foi ele quem atirou e degolou Paulo, que sua esposa L.O.L. nada fez, como também nada fez P.S.P.

J.A.R entregou as armas que disse ter utilizado no crime: uma garrucha calibre .44 e um canivete.

O Delegado que preside as investigações, Luís Carlos Hora, depois de interrogar J.A.R. e apreender as armas do crime não descartou a prisão de nenhum dos envolvidos.

Esclareceu ainda o delegado que o crime possui diversas causa de aumento de pena, como vingança e emprego de meio cruel, com pena prevista de 12 a 30 anos.

Fonte - Newsrondonia

Comentarios

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.