News Rondonia - Noticias de Rondonia, Brasil e o Mundo
Sexta-Feira, 15 de Janeiro de 2021

Livre

HERÓI: Sem dinheiro para advogado, pedreiro estuda leis e resolve homicídio de sua filha

José trabalhou como pedreiro até 31 de dezembro de 2010, quando ficou sem chão ao saber que sua filha tinha sido vítima de feminicídio.
Segunda-Feira, 07 de Dezembro de 2020 - 14:33

O que um pai é capaz de fazer para levar à prisão o assassino de sua filha? Sem dinheiro para pagar um advogado, o mexicano José Suárez estudou o código penal, direitos humanos e toda legislação necessária para fazer justiça.

José trabalhou como pedreiro até 31 de dezembro de 2010, quando ficou sem chão ao saber que sua filha tinha sido vítima de feminicídio. Devido aos poucos recursos, não pôde contratar um advogado para iniciar os trâmites legais e levar o assassino à cadeia.

Mas José não permitiria que a morte da filha ficasse impune. Por conta própria, decidiu estudar a fundo o código penal, código civil, os amparos-lei e devorou livros sobre direitos humanos para preparar o caso.

Depois de passar por seis recursos, no final de 2019, conseguiu uma sentença para o assassino de sua filha e também para os funcionários públicos que negaram proteção para a filha, solicitada dois meses antes do crime por ter sido ameaçada de morte.

José finalmente conseguiu justiça! As autoridades condenaram o assassino a 67 anos de prisão e os funcionários, a 2.

Embora essa conquista não traga Rosa Diana de volta, José acredita que seu esforço serve para garantir justiça à filha servirá para conscientizar sobre os feminicídios no México. Ele declarou: “eu não tenho mais minha filha, mas se ela teve a vida interrompida, que não seja em vão. Digo para as famílias não desistirem, lutarem ao máximo”.

Fique com o coração em paz, José. Você fez muito e Rosa Diana deve estar orgulhosa do pai que tem!

Fonte - 010 - Nation

Comentarios

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.