Livre

Bolsonaro vira atendente da Caixa em agência-barco na Ilha de Marajó

Presidente foi conhecer opção criada pelo banco para atender moradores de regiões isoladas da Amazônia, sem acesso fácil a postos fixos
Sexta-Feira, 09 de Outubro de 2020 - 09:37

Alguns frequentadores da Ilha de Marajó, no Pará, tiveram tratamento vip nesta sexta-feira (9) em uma agência da Caixa Econômica Federal. Foram atendidos pelo presidente do banco, Pedro Guimarães, e pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. E se aqueles dois não pudessem resolver seus problemas, ninguém mais poderia.

O banco, na verdade, é uma agência-barco da Caixa, que presta serviços bancários normais aos ribeirinhos que não têm acesso fácil a postos físicos.

Bolsonaro conversou rapidamente com um senhor, que foi com a esposa ao local, mas não deu entrevista ou fez qualquer pronunciamento.

O presidente afirmou em seu Twitter que fez o primeiro atendimento de auxílio emergencial na agência-barco da Caixa.

 

A Caixa possui duas agências-barco como essa. A da Ilha de Marajó e outra que navega pelo Rio Amazonas..

Antes de existir essa opção aos moradores da ilha e de outros municípios paraenses, parte da população precisava se deslocar até 200 quilômetros para ter acesso a esses serviços.

O site da instituição mostra que o veículo passa pelas cidades de Belém, Salvaterra, Soure, Ponta das Pedras, Muaná, São Sebastião da Boa Vista, Curralinho, Bagre, Breves, Melgaço e Portel, e tem a possibilidade de expansão e/ou alteração do itinerário caso seja necessário.

As agências móveis fazem uma viagem por mês e ficam em média dois dias em cada localidade, com os mesmos serviços de um banco tradicional e horários de funcionamento idênticos.

Segundo o banco, a opção foi pensada para levar desenvolvimento sócio-econômico a regiões isoladas da região amazônica.

A agência-barco da Ilha de Marajó fica atracada no porto de Breves (PA), onde esteve Bolsonaro, possui três andares e mais de 37 metros de comprimento. Conta com seis guichês e atende em média 300 pessoas por dia.

De acordo com a Caixa, os navios podem navegar 30 dias sem precisar de novo abastecimento e têm suas próprias estações de tratamento de esgoto, devolvendo ao rio apenas água tratada.

Fonte - 010 - r7

Comentários

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.