Livre

Dr. Breno Mendes fala sobre seus projeto para capital entre eles linhas de crédito com até um ano de carência para empreendedores

O candidato a prefeito de Porto Velho, explicou sobre as principais ações que serão colocada em prática na saúde, mobilidade urbana e geração de emprego e renda.
Quinta-Feira, 01 de Outubro de 2020 - 15:55

Dr. Breno Mendes (Avante) em entrevista na manhã desta quinta-feira (1/10) apresentou em entrevista a um site local seu plano de governo que inclusive está a disposição da população no TSE e que foi elaborado de forma participava ouvindo servidores da educação, saúde, moradores, entre outros.

O candidato a prefeito de Porto Velho, explicou sobre as principais ações que serão colocada em prática na saúde, mobilidade urbana e geração de emprego e renda.

“Estamos numa cidade universitária onde várias pessoas estão estudando e não conseguem estágio ou se formam mas não conseguem emprego. Os desempregados e ambulantes representam hoje quase 52 % da população de Porto Velho. Através de decreto municipal vou instituir linhas  de crédito aos empreendedores para que tenham pelo menos um ano de carência para começar a pagar. Tomamos isso como exemplo do governo do Estado que colocou em prática e a mesma coisa vou fazer pois é fundamental esse alinhamento entre prefeitura e Estado . Para isso já estive no banco do povo tratando desse crédito,” explica o candidato.

Ele ainda completa: "Empréstimo sem burocracia, sem dar nada em troca e com a prefeitura criando um fundo para subsidiar. Sou administrador e sei que é possível. Sei das dificuldades que as pessoas estão passando e precisamos socorre-lãs pois são milhares de empregos que esse empreendedores geram . São famílias que dependem disso.”

Saúde

De acordo com Dr. Breno Mendes, Porto Velho tem recursos em caixa pois pouco foi feito ao longo desses 4 anos. E o que falta é um gestor que priorize à população. 

“A saúde é uma humilhação hoje. Eu sou usuário do Sistema Único de Saúde (SUS). O cidadão passar 12 horas em um UPA é desumano.”

Ele explicou que fortalecer as unidades básicas de saúde (UBS) é o primeiro passo para evitar essa humilhação de espera nas UPAS. A ampliação de algumas UBS até as 21h vai facilitar o atendimento aquelas pessoas que trabalham até tarde . Com isso se tira o foco de procura as UPAS para demandas que são das unidades básicas . 

“A minha luta e ao lado da população. Não aceito essa humilhações, por isso também luto contra a energisa, não aceito o que essa empresa faz aqui," disse indignado na entrevista .

Mobilidade urbana

Para o candidato é preciso  resolver definitivamente a questão do transporte alternativo, o táxi compartilhado. Dando segurança jurídica e regulamentando esse tipo de transporte.

“E a mesma coisa vamos fazer com os aplicativos dando prioridade àquelas empresas que são locais . Não há em Porto Velho o transporte público de qualidade.” 

Ao ser perguntado sobre o transporte coletivo na capital Breno foi enfático :

“A incompetência vem de várias gestões que pensam no próprio bolso e não na população. O transporte coletivo na capital já foi alvo de várias operações e investigação do Ministério Público.”

E ainda apontou solução. “Da forma que foi feira essa licitação eu jamais faria. Como prefeito eu abriria a licitação por lotes. Onde uma ou mais empresas atendem regiões distintas da cidade.”

Fiscal do Povo

Conhecido como fiscal do povo por entrar com ações judiciais contra os abusos cometidos pela Energisa, empresa fornecedora de energia elétrica no estado, Dr. Breno Mendes para evitar que os constrangimentos continuem à população de Porto Velho tem em seu projeto q criação do PROCON e IPEM (Instituto de Pesos e Medidas) municipais. 

“Isso vai dar tranquilidade ao consumidor. Se a energisa disser que na casa do consumidor há alguma irregularidade no medidor, isso vai ter que ser comprovado pelos nossos órgãos municipais.”

Fonte - Assessoria

Comentários

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.