Livre

Homem bate em defensora de animais, arranca adesivo e passa nas partes 韓timas

Ela registrou um BO (Boletim de Ocorr阯cia) na Pol韈ia Civil e contou o relato nas redes sociais.
Terça-Feira, 29 de Setembro de 2020 - 17:19

Voluntária de ação de apoio ao Pantanal é humilhada e leva tapa de homem em Cuiabá. Além de bater na mulher, agressor arrancou adesivo do carro dela e esfregou nas partes íntimas. Vítima pede ajuda para identificar o homem

Bianca Weihs Borges, de 24 anos, foi humilhada e agredida após um homem arrancar um adesivo de apoio ao Pantanal de seu veículo, em Cuiabá (MT). Ela registrou um BO (Boletim de Ocorrência) na Polícia Civil e contou o relato nas redes sociais.

A jovem é voluntária em um grupo de defesa dos animais, e tem participado de ações para recolhimento e entrega de frutas e verduras para animais afetados pelas queimadas no Pantanal de Mato Grosso.

“É claramente uma atitude partidária, que defende um lado. E que desmerece tudo o que o outro faz. (…) Vou continuar com as campanhas. Se a intenção dele era que eu parasse, que eu ficasse com medo, ficasse parada, não funcionou”, rebateu ela, em um vídeo postado no Instagram.

O ataque aconteceu por volta das 17h da última quinta-feira (23), no Centro da capital mato-grossense. De acordo com o registro na polícia, ela tinha saído do trabalho e entrava no próprio carro quando o homem a abordou e arrancou o adesivo.

No vidro traseiro do carro, Bianca tinha afixado dois pequenos cartazes com os dizeres “O Pantanal pede socorro” e trazia a imagem de uma onça-pintada em meio às queimadas. A voluntária parou o carro na esquina e então o agressor veio para cima, esfregou o papel nas partes íntimas e jogou nela. O homem ainda deu um tapa no rosto de Bianca enquanto ela fechava o vidro do veículo.

“Ele tirou o papel do meu carro, puxou as calças, a cueca, passou na bunda, jogou em mim. E me deu um tapa na cara. Não fiquei com marcas físicas. Foi um tapa leve, mas foi um tapa”, completa.

Um registro da ocorrência foi feito na Polícia Civil de Mato Grosso, mas Bianca relata que ouviu do delegado responsável pelo plantão que a investigação só irá para frente se ela conseguir imagens das câmeras de segurança do momento da agressão.

“Nas palavras do delegado: Esse BO só vai servir de alguma coisa se as imagens de segurança que eu vou atrás tiverem gravado o momento exato em que ele me dá o tapa e capte o rosto dele. Se eu conseguir identifica-lo, ainda sim precisaria do endereço dele para eu ser intimado. Eu não consigo fazer nada sem essas informações”.

Em 15 dias, o Pantanal registrou mais da metade das queimadas ocorridas durante todo o ano de 2019. A Polícia Federal identificou que os incêndios são criminosos e provocados por fazendeiros.

A fauna nativa do Pantanal é uma das mais diversas do mundo, com 1.200 diferentes espécies de animais, das quais 36 estão ameaçadas de extinção.

Nas imagens que correram o mundo, onças, cobras, macacos, cobras e até jacarés aparecem mortos carbonizados ou acuados pelo desastre ambiental causado pelo fogo. Os que conseguem fugir das queimadas trazem machucados ou têm de lidar com a falta de alimento.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Bianca Weihs (@biancaweihs) em

Fonte - https://www.pragmatismopolitico.com.br/

Comentários

News Pol韈ia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.