Livre

PROTEÇÃO - Especialista alerta sobre consequências dos raios ultravioleta e orienta quanto aos cuidados com a pele

A dermatologista, Sônia Inês Caixeta, que trabalha na Policlínica Oswaldo Cruz, dá dicas importantes para os cuidados com a pele.
Terça-Feira, 29 de Setembro de 2020 - 10:42

A luz do sol é importante para a saúde, pois por meio dela o organismo absorve a vitamina D, mas em uma região quente, como no Estado de Rondônia, alguns cuidados devem ser tomados devido aos raios ultravioleta, durante o tempo que a pele poderá ficar exposta, para evitar grandes danos, como o câncer de pele. A dermatologista, Sônia Inês Caixeta, que trabalha na Policlínica Oswaldo Cruz, dá dicas importantes para os cuidados com a pele.

A principal dica é o uso do protetor solar. “Podemos usar os protetores solares ou usar as barreiras físicas como as roupas com mangas, chapéu e luvas. Tudo isso também nos protege do sol”, disse a dermatologista.

O uso do protetor solar é extremamente importante, pois evita algumas doenças de pele, como o câncer, que de acordo com a dermatologista é muito comum na região do Estado de Rondônia, e as doenças dermatológicas, que tem o sol como desencadeador como o lúpus e as manchas de pele, chamadas de melanose solar, que incomodam as mulheres por atingir braços e rosto.

PROTEÇÃO

Uma pele saudável precisa ser limpa, hidratada e receber o protetor solar de duas em duas horas, mesmo nos dias nublados. “ Se a pessoa tem a pele normal ou seca é indicado lavar o rosto com sabonete infantil duas vezes ao dia. Caso tenha a pele oleosa lavar com sabonete próprio para pele oleosa três vezes ao dia. Devemos utilizar o protetor solar em regiões expostas ao sol, que chamamos de regiões foto expostas, que é nos braços, no rosto, na orelha, e em homens que estão com calvície passar na careca onde o sol alcança. Nos locais que a roupa cobre não precisa passar”.

Para quem tem dúvidas ao escolher o protetor ideal, a dermatologista da POC orienta a compra. “ O protetor ideal é o fator trinta (FPS 30), que protege 98%, que pode ser químico ou físico. O protetor físico é aquele que tem base e mais grosso, e ele é ideal para pessoas que trabalham ao ar livre, que são expostas ao sol e para as pessoas que tem manchas no rosto. Agora falando em cosmética, para a pessoa que tem pele oleosa usar um protetor free e se a pele é seca um protetor hidratante. Para os homens, se suar muito e praticar esportes, pode usar um protetor em gel”.

Caso algum protetor solar cause irritação à pele, a especialista orienta a suspensão imediata do uso. “Pode ter alguma substância que está causando uma alergia, suspenda o uso, dependendo da gravidade, deve procurar o médico dermatologista para tratar”, explica Sônia Inês Caixeta.

Outra dica de proteção com a pele na hora de expor-se ao sol trata-se das roupas. “Para pessoas em alta exposição solar, indica-se as camisas que os surfistas usam (proteção UV). Elas podem ser incorporadas no dia a dia, como para os trabalhadores da construção civil, com elas não precisa passar protetor solar e protegem bem, com um benefício bem alto”, finaliza a dermatologista.

CÂNCER DE PELE

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), estima-se que a cada ano aproximadamente 180 mil novos casos de câncer de pele são registrados, e os mais comuns são o basocelular e espinocelular.

Desses casos, 83.770 em homens e 93.160 em mulheres. Esses valores correspondem a um risco estimado de 80,12 para cada 100 mil homens e 86,65 para cada 100 mil mulheres.

O Inca também alerta que a maioria das pessoas que vai a óbito é de idosos, que procuraram um especialista com a doença avançada. Outros pacientes com maior probabilidade de óbito por câncer de pele são aqueles que estão com o sistema imunológico favorecido.

Fonte - 010 - SECOM - GOV/RO

Comentários

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.