Quarta-Feira, 16 de Setembro de 2020 - 16:55 (Geral)

L
LIVRE

Gabinete de Segurança Institucional do MPRO alerta para golpes pelo Whatsapp

Geralmente o golpista envia uma mensagem de um número estranho, se passando por um integrante do Ministério Público ou de outros órgãos, avisando que mudou de número


Imprimir página

O Gabinete de Segurança Institucional do Ministério Público do Estado de Rondônia (GSI/MPRO) alerta para uma onda de tentativas de golpes pelo WhatsApp utilizando contatos falsos, inclusive de integrantes do MPRO (Membros e servidores), a fim de obter dinheiro de familiares ou amigos.

Diante disso, é feito um alerta aos que receberem qualquer pedido de depósito bancário em nome de qualquer integrante do Ministério Público, para que seja feito o registro da ocorrência por meio de uma guarnição militar mais próxima ou pela Delegacia virtual no endereço http://delegaciavirtual.pc.ro.gov.br.

Como funciona o golpe

Geralmente o golpista envia uma mensagem de um número estranho, se passando por um integrante do Ministério Público ou de outros órgãos, avisando que mudou de número. Assim, pede para salvar o novo contato. Algum tempo depois envia outra mensagem pedindo que deposite em determinada conta um valor, pois “está com um bloqueio temporário” (ou qualquer outra desculpa do gênero), garantindo que logo em seguida devolve o dinheiro. Como se trata de uma pessoa íntima ou conhecida, é comum que pessoas sejam vítimas do golpe - não tendo, portanto, seu dinheiro devolvido.

O que fazer?

Ao receber mensagem desta natureza, mesmo que for uma prática usual, entre em contato com o familiar e confira a identidade da pessoa. Cheque se realmente se trata daquele contato (por exemplo, ligando diretamente ao indivíduo) é o bastante para determinar a segurança das circunstâncias. Recomenda-se que isso seja feito antes de tomar qualquer atitude de transferência de valores.

O GSI elaborou um informativo com orientações para evitar ser vitima desses golpes pelo Whatsapp, que estão ocorrendo em todo o Estado.

Fonte: Departamento de Comunicação Integrada (DCI/MPRO)

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias