Segunda-Feira, 14 de Setembro de 2020 - 09:20 (Geral)

L
LIVRE

Ciclone bomba se forma e provoca ventania no Sul e Sudeste

Em 2015, passou a investir ainda mais em tecnologia e inovação com a instalação do LABS Climatempo no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP).


Imprimir página

Um ciclone bomba irá se formar sobre o mar, na altura da costa do Sul do Brasil, entre segunda e terça-feira, dias 14 e 15 de setembro. A expectativa é de fortes rajadas de vento sobre parte do Sul e do Sudeste, que podem chegar a 90km/h. Além disso, há risco de chuva forte na Região Sul.

Os modelos meteorológicos indicam a formação de um ciclone extratropical na costa da Região Sul na madrugada desta segunda-feira. Os ciclones extratropicais são áreas de baixa pressão atmosférica e são muito comuns na América do Sul. Em geral, estão associados a frentes frias.

No entanto, como é possível notar na imagem abaixo, a previsão é de que a pressão do ar caia de forma muito acentuada num curto período. Quando há queda de pressão de pelo menos 24hPa em 24 horas, forma-se o que chamamos de "ciclone bomba". Esta situação não acontece sempre, e os meteorologistas ficam mais atentos quando notam que a pressão do ar está baixando muito rapidamente em um local, pois isto é sinal de ventania e tempestade.

Região Sul

Na Região Sul, com a formação do ciclone bomba, a expectativa é de fortes rajadas de vento entre segunda e terça-feira, que podem chegar a 60km/h no interior do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina. No entanto, os ventos mais intensos, de até 90km/h se concentram entre o litoral norte gaúcho e a costa sul catarinense.

Durante o processo de formação do ciclone bomba, o mar ficará bastante agitado em áreas da costa da Região Sul, e há chance de ressaca no litoral sul de Santa Catarina.

Com relação à chuva, a expectativa é de que os maiores volumes sejam observados apenas no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, principalmente entre terça e quarta-feira. No Paraná, a chuva será rápida e se concentra apenas no leste do estado.

Região Sudeste

O ciclone bomba irá provocar agitação marítima e ventania sobre parte do Sudeste do Brasil. Na segunda-feira, as rajadas mais intensas podem chegar a 70km/h no litoral de São Paulo, no Rio de Janeiro, no centro-sul capixaba e até em áreas da Zona da Mata de Minas Gerais. Na região da capital paulista, os ventos ocorrem com até 60km/h.

Com a formação do ciclone e o deslocamento de uma frente fria por alto mar, na altura da costa do Sudeste, pode chover de forma pontual em áreas do leste paulista na segunda-feira. Na terça, a chuva também atinge o Grande Rio e a região dos Lagos, mas sem alerta para tempestades.

Sobre a Climatempo

Com solidez de 30 anos de mercado e fornecendo assessoria meteorológica de qualidade para os principais segmentos, a Climatempo é sinônimo de inovação. Foi a primeira empresa privada a oferecer análises customizadas para diversos setores do mercado, boletins informativos para meios de comunicação, canal 24 horas nas principais operadoras de TV por assinatura e posicionamento digital consolidado com website e aplicativos, que juntos somam 20 milhões de usuários mensais.

Em 2015, passou a investir ainda mais em tecnologia e inovação com a instalação do LABS Climatempo no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP). O LABS atua na pesquisa e no desenvolvimento de soluções para tempo severo, energias renováveis (eólica e solar), hidrologia, comercialização e geração de energia, navegação interior, oceanografia e cidades inteligentes. Principal empresa de consultoria meteorológica do país, em 2019 a Climatempo uniu forças com a norueguesa StormGeo, líder global em inteligência meteorológica e soluções para suporte à decisão.

A fusão estratégica dá à Climatempo acesso a novos produtos e sistemas que irão fortalecer ainda mais suas competências e alcance, incluindo soluções focadas nos setores de serviços de energia renovável. O Grupo segue presidido pelo meteorologista Carlos Magno que, com mais de 35 anos de carreira, foi um dos primeiros comunicadores da profissão no país.

Mais informações:
Assessoria de Comunicação da Climatempo
(11) 3736 4501

Fonte: Assessoria

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias