News Rondônia Notícias de Rondônia, Brasil e o Mundo
Sexta-Feira, 04 de Dezembro de 2020

Livre

Supermercados dizem que preço do arroz pode subir ainda mais e falam em desabastecimento

Depois de ter aumentado 19% somente este ano, o preço do arroz pode subir ainda mais, o que tornará proibitivo o consumo de um dos principais produtos da mesa do brasileiro
Sexta-Feira, 11 de Setembro de 2020 - 11:23

O preço do arroz, um produto indispensável na mesa do brasileiro, deve subir ainda mais. Foi o que afirmou Ronaldo dos Santos, presidente da Apas (Associação Paulista de Supermercados).

Ele responsabiliza a própria população pelo aumento do preço. O povo estaria consumindo demais, o que seria o fator determinante para a subida do preço. O dirigente da associação de supermercados diz que se o consumo não diminuir, o varejo terá de acessar novos estoques e um repasse seria inevitável, informa a jornalista Paula Soprana em reportagem na Folha de S.Paulo.

O representante dos supermercadistas participou de reunião na tarde desta quinta (10) com membros da Secretaria de Agricultura de São Paulo, da cadeia produtiva de alimentos e com o Procon-SP, que vai fiscalizar no varejo a disparada nos preços de produtos da cesta básica.

Ronaldo dos Santos diz que é unânime entre os supermercadistas a opinião de que não deve haver qualquer tipo de tabelamento de preço e acenou com a possibilidade do desabastecimento se forem criadas o que ele chama de "regras artificiais".

Segundo o presidente da Apas, o entendimento do mercado é que a elevação nos preços é consequência de conjuntura macroeconômica que envolveu três principais fatores: pressão internacional sobre as commodities, aumento da demanda e alta do dólar, que impacta todos os elos da cadeia.

A tendência das grandes redes de supermercados é limitar pontualmente em algumas lojas a quantidade de itens que podem ser comprados pelos clientes.

Fonte - brasil247

Comentarios

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.