Quarta-Feira, 26 de Agosto de 2020 - 09:27 (Economia)

L
LIVRE

Bolsonaro discorda de Guedes e quer R$ 300 para o NOVO auxílio emergencial

Guedes propõe novas parcelas do auxílio a R$ 200, mas Bolsonaro quer valor maior


Imprimir página

Nos últimos dias, os membros da equipe econômica do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem discutido os detalhes sobre a prorrogação do auxílio emergencial. O presidente defende que a prorrogação pague pelo menos parcelas de R$ 300. Paulo Guedes, ministro da Economia, defende um valor menor.

Nesta semana, em reunião no Palácio do Planalto, foi apresentada proposta de prorrogação com parcelas de R$ 270. Segundo informações da Folha de S. Paulo, fontes do governo informaram que o presidente solicitou que a equipe econômica feche o valor de parcelas de pelo menos R$ 300.

Nesta semana, Bolsonaro falou sobre um assunto para um grupo de eleitores. “Estou pensando em prorrogar por mais alguns meses, mas não com R$ 600 e nem com R$ 200. Um meio-termo aí até a economia pegar”, disse ele.

A prorrogação do auxílio emergencial seria anunciada oficialmente na última terça-feira, 25 de agosto. No entanto, a falta de consenso sobre o valor das novas parcelas foi o principal motivo para esse anúncio ser adiado.

Atualmente, o auxílio emergencial representa o maior gasto do governo com a crise causada pela pandemia do novo coronavírus. Até agora, o governo já desembolsou mais de R$ 254 bilhões. A cada nova parcela de R$ 600 paga, o governo basta cerca de R$ 50 bilhões.

Guedes propôs primeiramente a prorrogação do auxílio a R$ 200. Diante da negativa, aceitou um valor maior, mas ainda resiste às parcelas de R$ 600 ou mais.

A Caixa Econômica Federal faz nesta quarta-feira, 26 de agosto, o depósito de novo lotes do auxílio emergencial de R$600 (podendo chegar a até R$1.200). De acordo com o banco, os nascidos em dezembro receberão por meio da poupança digital a 4ª, a 3ª, a 2ª ou a 1ª parcela, conforme a data em que tiveram o benefício aprovado.

Além disso, é realizado o saque da 5ª parcela para inscritos no Bolsa Família com NIS terminado em 7.

O pagamento desta quarta também vai ser valido para os nascidos em agosto que entraram no novo calendário em razão de uma das seguintes situações:

Quem contestou a negativa do auxílio entre 24 de abril e 19 de junho e teve o cadastro aprovado recentemente

Quem já tinha recebido parcelas do auxílio, mas teve o pagamento bloqueado em julho após reanálise cadastral

Os beneficiários que tiveram o depósito de uma nova parcela do benefício hoje só poderão movimentar a poupança por meio do aplicativo Caixa Tem. A ferramenta permite pagamento de contas e boletos e compras por meio de cartão virtual.

De acordo com o calendário oficial, os saques e transferências já foram liberados para o público geral.

Fonte: Saulo Moreira / Noticias Concursos

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias