Quarta-Feira, 26 de Agosto de 2020 - 08:53 (Colaboradores)

L
LIVRE

PEDRA FEL: Mais uma riqueza Rondoniense e Brasileira que é levada pelo contrabando

PERGUNTINHA: Os protestos contra o presidente Bolsonaro, por ter ameaçado um jornalista de agressão, valem também para o ministro Gilmar Mendes, que mandou um repórter que lhe questionou sobre um tema que ele considerou inconveniente, enfiar a pergunta “naquele lugar”?


Imprimir página

A prisão de um contrabandista, essa semana, pela Polícia Rodoviária, em Porto Velho, trouxe para o debate mais uma riqueza que temos no nosso Estado e que está sendo levada, sem que tenhamos qualquer benefício por isso. Um quilo dela, dependendo da qualidade, pode chegar a mais de 170 mil reais. É uma pedra caríssima, mas que não vem da natureza, como diamante, cobre, ouro cassiterita. Ela vem de um animal que temos em profusão em nosso Estado: o boi. Isso mesmo. A Pedra Fel, que certamente pouca gente fora do setor pecuário já ouviu falar, é produzida pela vesícula de muitos bovinos. Retirada, quando do abate do animal, ela pode significar muito dinheiro. Não pense o leitor que é alguma invenção. Uma só pedra pode valor quase 200 reais. Um quilo dela, hoje, está na faixa dos 15 a 170 mil reais. Tirada do animal, ela geralmente é vendida pelos frigoríficos, mas desde que se tornou parte de medicamentos da Medicina chinesa, o contrabando (e seu preço), deram um salto no mercado. O cálculo biliar bovino é largamente utilizado na Medicina chinesa. Os tratamentos vão de doenças respiratórias, como bronquite, pneumonia e tosse. até coma e epilepsia. Pesquisas apontam, ainda, que ele é eficaz no tratamento de doenças infantis. Mas servem também, fora da área da saúde, para, segundo alguns estudos, ajudar na formação  da pérola e na fixação de pintura em porcelana. As pedras, aliás, são muito usadas em criações de ostras, inclusive no Brasil. Há ainda os que asseguram que elas possuem propriedades altamente afrodisíacas , sem ainda confirmação médica. Além do mercado chinês, elas são compradas a preço de ouro no Japão, por exemplo, além de outros países asiáticos. Sejam quais forem todas as utilidades das pedras,  quem as conhece parece não querer dividir os segredos para a produção de medicamentos ou outras formas de utilizá-las para fazer um bom dinheiro.

Os laboratórios chineses pagam verdadeiras fortunas para ter a Pedra Fel, material que, em países como o nosso, com grande produção pecuária, há de sobra. O contrabando, obviamente ilegal, tem sua procura, na mesma proporção de que compradores anunciam na internet que pagam o preço que for necessário pela pedra que, dizem, é quase milagrosa. Apreensões têm sido feitas em toda a nossa região, mas as pedras continuam saindo escondidas e enriquecendo muita gente. Rondônia tem hoje praticamente 14 milhões de cabeças de gado. Grande parte deles tem os cálculo biliares que são tão cobiçados, principalmente pelos chineses. Temos que controlar a produção e impedir o contrabando, senão vai acontecer o mesmo com todas as riquezas minerais que nos levam, sem deixar aqui um só tostão, mas apenas problemas ambientais e muitos problemas.

ASSEMBLEIA: NOVO SISTEMA É MARCO HISTÓRICO

Zero papel. Transparência absoluta. Uma nova era começa na vida da Assembleia Legislativa do Estado, com a implantação do sistema eletrônico e-TCDF, um passo inédito para a modernização do Parlamento e uma forma objetiva para que a população possa, através de simples acesso,  saber tudo o que se passa no Poder. “"É mais uma ação inovadora que implantamos em nossa gestão, com apoio dos demais deputados. Com essa nova ferramenta, vamos eliminar os processos em papel, com tudo podendo ser acessado através do sistema, permitindo que o cidadão possa acompanhar todos os trâmites em tempo real", comemorou o presidente Laerte Gomes, numa entrevista coletiva virtual, essa semana. Os servidores da Casa já estão sendo capacitados para utilização do sistema, que foi desenvolvido   pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal e já é utilizado com sucesso por outros poderes e instituições do país”, Laerte, que implantou uma série de inovações na ALE durante seu mandato – incluindo a economia de mais de 50 milhóes de reais, devolvidos em benefícios para a população do Estado – garante que esse novo sistema, agora implantado, representa “um marco. Considero como a maior ação dos últimos anos da Assembleia Legislativa”, destacou.

QUEM HILDON CHAVES APOIARÁ?

Com a decisão tomada de não concorrer a um segundo mandato, embora deva voltar às lides políticas em 2022, o prefeito Hildon Chaves está prestes a concluir seus quatro anos no poder, em Porto Velho, com um pacote de obras poucas vezes visto na história da cidade. Está em alta, principalmente nos bairros da Capital. Seu apoio, para a eleição de quem vai sucedê-lo, poderá, portanto, ser de grande importância. O Prefeito já avisou que não pretende apoiar nenhum dos postulantes, ao menos no primeiro turno. Mas, com 18 candidaturas postas e com pelo menos meia dúzia potencialmente com chances de chegar lá, pode ser que Hildon tenha que participar do processo mais cedo do que imaginava. Se apoiar alguém no primeiro turno, terá pelo menos dois nomes muito ligados a ele: o do ex deputado federal Lindomar Garçon e o do ex comandante geral da Emdur, Thiago Tezzari. Dificilmente Hildon se aliaria a outros nomes, ao menos pelo quadro atual. Se um desses dois chegarem ao segundo turno, aí sim, não há qualquer dúvida, ele terá todo o apoio do atual Prefeito da Capital. Caso não chegue nenhum dos dois, não se sabe qual será a posição de Chaves.

RONDÔNIA: ECONOMIA CRESCE, MESMO NA PANDEMIA

Mesmo na pandemia, os números da economia de Rondônia não demonstram que fomos atingidos em cheio, nas nossas riquezas, como outras regiões do país. Pelo contrário, segundo o secretário da Sefin, Luiz Fernando, ao participar do programa Papo de Redação, com os Dinossauros Everton Leoni, Beni Andrade, Jorge Peixoto e Sérgio  Pires, nessa semana, a arrecadação do Estado continuou crescendo e, nos dois meses onde os números da pandemia foram mais agressivos (junho e julho), ao invés de cair, o emprego aumentou. Afora isso, Rondônia é um dos únicos dos Estados brasileiros com classificação máxima, em termos de pagamentos de seus compromissos. Embora haja setores que tiveram sim queda acentuada nos negócios, em outros o faturamento deu um salto. O agronegócio continua sendo nossa principal base econômica, também pela expansão dos nossos negócios com o mercado internacional. Todos os compromissos do governo, segundo Luiz Fernando, estão rigorosamente em dia. O pagamento do funcionalismo, aliás, tem sido feito religiosamente dentro do calendário anunciado em janeiro. O maior prejuízo que tivemos, até agora, na questão economica, é que com os gastos com a pandemia sobrou menos para novos investimentos em obras e serviços. Afora isso, ela ainda não nos atingiu com força, nessa área, como atingiu a grande maioria dos Estados brasileiros.

POLÍCIA DESCOBRE ESQUEMA DE CORRUPÇÃO NA SEDAM

Mais um escândalo de corrupção, envolvendo servidores da Sedam. Não é o primeiro, não será o último. Servidores do órgão, com o poder que têm, se dedicados a atividades criminosas podem ganhar muito dinheiro. É o que estava fazendo um grupo de servidores do órgão, nas cidades de  Ji-Paraná, Cacoal, Rolim de Moura, Mirante da Serra e São Miguel do Guaporé, pegos pela polícia civil, numa operação que contou com o apoio da própria Sedam, para detectar as ações dos servidores corruptos. Além da acusação de estarem mancomunados a empresários do setor, livrando-os de multas, o grupo de funcionários do órgão ainda chantageava pequenos produtores e os que não queriam “colaborar” com o esquema, ameaçando-os com pesadas multas. Mesmo sabendo que a Sedam sempre está sob os olhares atentos dos órgãos de fiscalização, da polícia ambiental e outros organismos de controle, servidores que usam seus cargos para enriquecer, ignoraram os riscos e continuaram praticando os crimes. Agora, depois das investigações e do devido processo legal, que todos os culpados sejam duramente punidos. E que não se punam inocentes!

DEPUTADO COMEMORA OBRAS DA BR 319

Comemoração na Assembleia Legislativa. O deputado Adelino Follador sintetizou a alegria dos rondonienses, com a autorização, dada pela Justiça Federal, da continuação das obras da BR 319, que nos liga a Manaus. Follador lembrou que a rodovia será vital para a integração dos dois Estados e será um corredor de comercialização e exportação dos nossos produtos e do Mato Grosso, que por ela poderão escoar suas riquezas. “Rondônia e Amazonas nunca mais serão os mesmos, em termos de desenvolvimento e progresso, visto que esta obra, especialmente para o nosso Estado, representa o principal impulso para fazer girar a economia, baseada na agricultura e pecuária, com a abertura ampliada do mercado interno e externo para a produção local, de todos os bens”. O deputado classificou o projeto da BR-319 como a redenção do nosso povo e da nossa economia”. Por fim, Follador afirmou que conhece bem a região e lembrou “o quão difícil sempre foi a vida dos produtores rurais e das comunidades instaladas ao longo da rodovia federal”. Para ele, a reconstrução da 319 , “é um prêmio à obstinação e bravura de tantos que trabalham, produzem e acreditam que vai melhorar”.

CORONA: NÚMEROS NA CAPITAL CONTINUAM DIMINUINDO

Mais um dia, mais registros de contaminados, mais mortes, mas também muitos recuperados e menos internados, principalmente em Porto Velho, onde a pandemia atacou com maior força a até cerca de três semanas. Agora, o perigo maior vem do interior. Basta olhar os números desta terça-feira: mais 14 mortes; mais 723 atingidos. Agora já temos., desde 1º de Maio, quando se registrou o primeiro caso de morte no Estado, nada menos do que 52.514 rondonienses que foram atingidos pela doença; 44.048 recuperados, mas infelizmente, chegamos a 1.087 vidas perdidas. Na Capital, contudo, os números estão em queda. Nas últimas 24 horas, os atingidos pela doença foram apenas 86 pessoas e houve, das 14 mortes, cinco delas foram em Porto Velho e todas as demais no interior. Embora os números do coronavírus tenham diminuído em relação aos registrados já algumas semanas, não há como se descuidar, principalmente daqueles que fazem parte do grupo de risco.

PERGUNTINHA

Os protestos contra o presidente Bolsonaro, por ter ameaçado um jornalista de agressão, valem também para o ministro Gilmar Mendes, que mandou um repórter que lhe questionou sobre um tema que ele considerou inconveniente, enfiar a pergunta “naquele lugar”?

Fonte: Sergio Pires/NewsRondonia

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias