Domingo, 23 de Agosto de 2020 - 11:45 (Colaboradores)

L
LIVRE

Lenha na fogueira: Especial de Quadrilha e Boi Bumbá

No meu tempo de jardim de infância (No Barão do Solimões), a contação de histórias era comum nas salas de aula.


Imprimir página

Ontem festejamos o dia do folclore, a nossa Cultura Popular, que em Porto Velho tem como carro chefe as danças e festejos juninos, em especial de Quadrilha e Boi Bumbá.


Em outros tempos se praticava na capital rondoniense "As Pastorinhas" e as "Festas de Reis", que fazem parte das comemorações natalinas. Nos tempos atuais, só nos resta dançar Quadrilha ou brinca de Boi Bumbá.


Sentimos falta da prática da Contação de Histórias com as famosas "Historias da Carochinha".


No meu tempo de jardim de infância (No Barão do Solimões), a contação de histórias era comum nas salas de aula. Além das professoras cantarem para as crianças, canções do folclore como "Boi da Cara Preta"; "Samba Lê lê"; "O Cravo e a Rosa", essas canções, também eram cantadas nas brincadeiras de roda praticadas nos quintais da frente das casas.


Os contos que mais chamavam a atenção da gurizada, eram os de terror: "Bicho sem Cabeça" etc. em casa, a gente não desgrudava da nossa mãe quando alguém começa a contar essas histórias.


Hoje é difícil a gente ver essa prática, inclusive nas escolas infantis. Mesmo assim, alguns contadores de histórias têm reunido crianças e adultos em locais públicos o que é muito bom.


Ontem também fizeram 16 anos que deixamos de contar com a convivência de um dos mais ferrenhos defensores das nossas danças folclóricas, em especial da brincadeira de Boi Bumbá, Antônio de Castro Alves o eterno presidente do bumbá Corre Campo. Saudades do amigo!


Agora vamos entrar para o "folclore" político. Segundo nossos articulistas, com a provável desistência das candidaturas de Hildon Chaves, Léo Moraes, Mauro Nazif e Daniel Pereira para prefeito de Porto Velho, a disputa ficou equiparada.


Entre tantos candidatos a candidato a prefeito de Porto Velho a maioria não desperta o interesse do eleitorado, pois estão chegando agora, ou caindo de paraquedas numa região minada de "cobras criadas".


De todos que restaram, como candidato a se tornar o manda chuva do prédio do relógio, no máximo três, em nossa concepção, têm condições de chegar ao segundo turno.


Cristiane Lopes, Garçom e Eyder Brasil. Os demais atuarão como figurantes ou apenas como cabo eleitoral dos candidatos a vereador de seus partidos.


Por falar em candidato a Câmara Municipal de Porto Velho, destacamos a turma que para nós que vivenciamos a cultura, seria o ideal como vereadores em nossa capital. Vamos a lista dos candidatos culturais, pela ordem alfabética:


Anísio Gorayeb – Anisinho economista, jornalista e memorialista, já exerceu vários cargos no estado, município e no governo federal. Escreve em vários sites, jornais e revistas da cidade, além de apresentar programas de rádio e televisão. É candidato pelo PSB.


Anne Mamedes – Professora, líder comunitária, dirigente de escola de samba – é candidata a vereadora pelo PDT.


Arimar Souza de Sá – A Voz do Povo de Porto Velho. Advogado, cronista e radialista: "Pela vez primeira vou me candidatar a VEREADOR e quero colocar minha experiência de mais de 40 anos de vida profissional como comunicador e hoje advogado, para me tornar, na Câmara Municipal de Porto Velho, um elo sólido e atuante entre a política e o povo de P Velho". Partido Republicano.


Carlinhos Maracanã - Agitador Cultural, radialista, comentarista cultural de televisão; compositor sambista de samba enredo e outros estilos musicais entre os quais, toada de Boi Bumbá, um dos idealizadores do Movimento de Criação Cabeça de Negro, foi Diretor da Casa da Cultura Ivan Marrocos. É pré-candidato a vereador pelo PROS.


Jair Monteiro – Engenheiro Civil, sambista compositor e cantor, presidente da escola de samba Os Diplomatas. Postou nas redes sociais: "Agora é oficial! Sou pré-candidato a vereador" pelo PSC.


Luciana Oliveira - Em 'live' com apoiadores a blogueira Luciana Oliveira lançou seu nome como pré-candidata a vereadora em Porto Velho pelo Partido dos Trabalhadores.


"Não poderia anunciar essa decisão sem demonstrar que se trata de um projeto coletivo. Nunca tive desejo pessoal de meter a cara na disputa por um mandato e a decisão é por estímulo de pessoas de muita bondade e caráter", disse Luciana.


Raimisson Lopes – Funcionário público há 25 anos, foi agente comunitário de saúde no bairro JK e de Vista Alegre do Abunã, Técnico em enfermagem da UPA LESTE, CEMETRON, POC, HB, Hamilton Gondim, São Carlos, Cachoeira do Teotônio e do SAMU. Ativista cultural do folclore e da dança, fez parte do movimento social, defendendo os direitos dos negros, lgbti+, mulheres pessoas com deficiência; organizador do Araialeste, Arraial do Orgulho, parada lgbt. Bacharel em Serviço Social. É pré-candidato pelo PODEMOS.


Rosinaldo Machado – O fotografo do Teixeirão. A história do estado de Rondônia é contada pelas lentes do fotografo Rosinaldo Machado. Machado hoje é ferrenho defensor da preservação dos quelônios do Vale do Guaporé e toda a comunidade ribeirinha do baixo rio Madeira em especial do distrito de Nazaré. Pré candidato pelo PL.


Siça Andrade – Advogada e militante dos movimentos sociais e culturais. Presidente do maior bloco da região Norte a Banda do Vai Quem Quer. Filha do saudoso Manelão. Siça Andrade é pré-candidata a vereadora pelo PSL.


Se conseguíssemos eleger pelo menos CINCO desses nove candidatos, a bancada da cultura seria bastante forte na câmara de vereadores de Porto Velho. Hoje temos apenas o Marcio Miranda e o Palitot.

Fonte: News Rondônia

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias