Segunda-Feira, 17 de Agosto de 2020 - 10:32 (Colaboradores)

L
LIVRE

La Cocha – lugar, ecoturismo, cultura e fé no sudoeste colombiano

No ano de 1993, durante a convenção vulcão na cidade de Pasto, inesperadamente o Galeras entrou em erupção e matou seis cientistas que estavam pesquisando às suas proximidades.


Imprimir página

Situada no Sudoeste colombiano, a cidade de San Juan del Pasto pertence ao Departamento de Nariño. Com uma população estimada em 500 mil habitantes, o município fica localizado na Região da Cordilheira dos Andes, por isso, a sua temperatura média é de 14 °C e com uma altitude de 2 527 metros acima do nível do mar.


GEPCULTURA / UNIR - BIENVENIDOS A LA COCHA – SAN JUAN DEL PASTO – NARIÑO – COLÔMBIA – JUNHO / 2017

É no Município de San Juan del Pasto que fica localizado um dos mais visitados lagos da Colômbia: a laguna de La Cocha, que possui uma área de 39 mil hectares.

Antes de chegarmos à La Cocha, a natureza nos presenteia uma exuberante imagem do Vulcão Galeras na cordilheira dos andes com os seus 4 276 metros de altitude. Galeras é considerado um dos vulcões mais ativos da Colômbia.

No ano de 1993, durante a convenção vulcão na cidade de Pasto, inesperadamente o Galeras entrou em erupção e matou seis cientistas que estavam pesquisando às suas proximidades.


GEPCULTURA / UNIR - VULCÃO GALERAS – CORDILHEIRA DOS ANDES – SAN JUAN DEL PASTO – NARIÑO – COLÔMBIA – JUNHO / 2017

A comunidade de La Cocha está situada acerca de 20 km da zona urbana da cidade de San Juan del Pasto e é composta basicamente de populações tradicionais ribeirinhas. São cerca de 200 famílias, distribuídas entre pescadores, pequenos agricultores e artesãos, na maioria, remanescentes indígenas Pasto e Quillasinga das montanhas verdes ondulantes colombianas.


GEPCULTURA / UNIR - COMUNIDADE DE LA COCHA – SAN JUAN DEL PASTO – NARIÑO – COLÕMBIA. JUNHO / 2017

Apesar da tragédia histórica cometida pela sociedade envolvente europeia contra os povos andinos originários, eles conseguiram diante de honrosa resistência, manter o substrato étnico e cultural em benefício de suas coletividades.


GEPCULTURA / UNIR - ARQUITETURA DE MORADIA TRADICIONAL EM LAGUNA DE LA COCHA – SAN JUAN DEL PASTO – NARIÑO – COLÕMBIA – JUNHO / 2017

As tradicionais moradias de La Cocha resistem no espaço e tempo, constituindo o lugar de apego, pertencimento e segurança. Esta análise geográfica demonstra que “a paisagem não é, em sua essência, feita para se olhar, mas a inserção do homem no mundo, lugar de um combate pela vida, manifestação de seu ser”, conforme nos diz Eric Dardel. Para o autor, é desse lugar, base de nossa existência, que, despertando, tomamos consciência do mundo e saímos ao seu encontro, audaciosos ou circunspetos, para trabalha-lo.

Essa visão de mundo, é para Yi-Fu Tuan, uma tentativa mais ou menos sistemática de as pessoas compreenderem o meio ambiente. Para que seja habitável, a natureza e a sociedade devem mostrar ordem e apresentar uma relação harmoniosa. Para o autor, as atividades práticas, podem parecer arbitrárias e podem ofender os espíritos da natureza, exceto se forem percebidas como tendo uma função e um lugar em um sistema coerente de mundo. Tuan indaga como se relaciona o ser humano com a terra e o cosmos, e ele próprio esclarece: “São tentativas de organização do espaço, sem um propósito limitado, mas com o fim de obter uma sensação de segurança no universo”.

Esta sensação é possível ser sentida e internalizada quando presenciada principalmente através de uma pesquisa voltada à fenomenologia e da forma instigante como foi realizada através de dois relevantes grupos de pesquisa do Programa de Mestrado e Doutorado em Geografia da Universidade Federal de Rondônia: O Grupo de Estudos e Pesquisas, Modos de Vida e Cultura Amazônica – Gepcultura, coordenado pelo Professor Doutor Josué da Costa Silva, e o Grupo de Estudos e Pesquisas em Geografia, Mulher e Relações Sociais de Gênero – Gepgênero, coordenado pela Professora Doutora Maria das Graças Silva Nascimento Silva.


JOSUÉ DA COSTA SILVA (GEPCULTURA / UNIR) COM MARIA DAS GRAÇAS SILVA NASCIMENTO SILVA (GEPGÊNERO/UNIR) – LAGUNA DE LA COCHA – SAN JUAN DEL PASTO – NARIÑO – COLÔMBIA – JUNHO / 2017

O lago Guamués ou Laguna de La Cocha é abrilhantado com a beleza exuberante da Ilha de La Corota. A irradiante ilha declarada patrimônio internacional pela Convenção de Ramsar, aloja o inefável Santuário de Fauna e Flora de Nossa Senhora de Lourdes. A beleza do seu formato oval é cercada por milenares juncos andinos.


GEPCULTURA / UNIR - ILHA DE LA COROTA – LAGUNA DE LA COCHA – SAN JUAN DEL PASTO – NARIÑO – COLÔMBIA – JUNHO / 2017

O ecoturismo do espaço vivido de La Corota demonstra um peculiar imbricamento memorial com a comunidade de La Cocha e suas relações intrínsecas com o pertencimento de lugar. Toda essa axiologia humana transmite um acolhimento singular e plural aos visitantes de diversas partes do mundo.


GEPCULTURA / UNIR - ILHA DE LA COROTA – LAGUNA DE LA COCHA – SAN JUAN DEL PASTO – NARIÑO – COLÔMBIA – JUNHO / 2017

O turismo ecológico da Ilha de La Corota é considerado um modelo de desenvolvimento sustentável harmônico pela preservação respeitosa e consciente da natureza andina.


GEPCULTURA / UNIR - SANTUÁRIO DE FLORA – ILHA DE LA COROTA – LAGUNA DE LA COCHA – SAN JUAN DEL PASTO – COLÔMBIA – JUNHO / 2017

Jöel Bonnemaison nos relata que é pela existência de uma cultura que se cria um território, e é pelo território que se fortalece e se exprime a relação simbólica existente entre a cultura e o espaço. Por sua vez, Zeny Rosendahl nos diz que os lugares sagrados não são somente uma série de dados acumulados, mas envolvem também experiência humanas. Segundo a autora, não devemos nos deter em descrever os bens simbólicos que existem nos lugares, mas saber o que esses bens significam para seus usuários. 

A representação do sagrado está divinamente internalizada na fé da coletividade ribeirinha de La Cocha que demonstra possuir uma imaculada devoção ao santuário da Virgem de Lourdes. Esta representação simbólica vive alojada no ser desta população tradicional dos andes colombianos através de uma religiosidade manifestada na cotidianidade de La Cocha.

Importante ressaltar que a coletividade de La Cocha não resume-se apenas à uma fé europeizada, as trilhas que cortam a floresta da ilha de La Corota alojam sentimentos e pertencimentos milenares dos povos Quillasinga que habitaram a região à cerca de 500 anos. Seus remanescentes aindam são iluminados pelo milenar luzeiro de seus imaginários andinos.

Com seu relevo ondulado, a ilha de La Corota vive na imaculada pregnância da Laguna de La Cocha como que enfeitando o coração da sociedade pastusa. O Parque Nacional do Santuário de Flora preserva uma exímia vegetação florestal, onde predomina o Amieiro (Alnus Jorullensis), a Murta (Eugenia opaca), o Cerote (Hesperomeles glabrata), o Canelone (Drymis granantesis), dentre outras inúmeras vegetações. A sua Fauna é também dotada de uma rica diversidade, tais como: O Pato vermelho (Anas cyanoptera), o Pato de mergulho (Podiceps occipitalis), o Rato selvagem (Thomesomys laniger), entre outros animais. 


GEPCULTURA / UNIR - PARQUE NACIONAL DO SANTUÁRIO DE FLORA - ILHA DE LA COROTA - LAGUNA DE LA COCHA – SAN JUAN DEL PASTO – NARIÑO – COLÔMBIA – JUNHO / 2017

A ilha de La Corota traz na sua origem vulcânica um entrelaçamento natural com a Laguna de La Cocha. São cerca de 1.554 milhões de metros cúbicos de água que embeleza os peculiares arredores da ilha e alimenta uma irradiante bacia hidrográfica preservada nos pés da cordilheira dos andes.


GEPCULTURA / UNIR - PASSEIO DE LANCHA NA LAGUNA DE LA COCHA – SAN JUAN DEL PASTO – NARIÑO – COLÔMBIA – JUNHO / 2017

Verdadeiramente a natureza na sua vasta generosidade presenteou San Juan del Pasto, Nariño e a Colômbia, transformando a fúria das lavas do Vulcão Galeras numa ilha inefável e prazerosa que descansa como que adormecida no coração da Laguna de La Cocha. 

Marquelino Santana é doutor em geografia, líder do Grupo de Estudos e Pesquisas, Modos de Vida e Culturas Amazônicas – Gepcultura/Unir e pesquisador do grupo de pesquisa Percival Farquhar o maior empresário do Brasil: Territórios, Redes e Conflitos na Implantação da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré (EFMM-RO) e na Estrada de Ferro São Paulo-Rio Grande (EFSPRG-PR/SC), da Universidade Estadual de Londrina e do grupo de pesquisa Geografia Política, Território, Poder e Conflito, também da Universidade Estadual de Londrina.

Fonte: Marquelino Santana

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias