Terça-Feira, 04 de Agosto de 2020 - 09:14 (Cidades)

L
LIVRE

Rolim de Moura: Mais três mil pessoas participaram de live promovida pela Semec

Apesar da pandemia da COVID-19 a educação não pode parar


Imprimir página

A Secretaria municipal de educação e cultura (SEMEC) de Rolim de Moura (RO) promoveu na semana passada uma Live com o professor e Doutor Júlio Furtado. O tema foi: O papel dos pais em tempos de ensino remoto.

Foram mais de 3 mil acessos simultâneos, que também contou com a presença do vice-prefeito Fabricio Melo e sua filha que é aluna da rede municipal de educação, como da secretária municipal de educação Vania Regina da Silva, que assistiu toda a Live também com a sua filha.

Para a equipe técnica da Semec, o sucesso da palestra deu-se pela relevância do tema e a necessidade de manter a família cada vez mais perto da escola. Vania Regina da Silva, titular da Semec destacou que foram dois momentos com Júlio Furtado que é referência nacional no assunto.

 A primeira live foi voltado aos profissionais da educação, diretores, coordenadores, orientadores e equipe pedagógica da SEMEC. Na ocasião foi abordado temas sobre melhor liderança no ambiente educacional, analisando os aspectos antes da pandemia e o que estamos vivenciando com as aulas remotas. Por meio da ferramenta ZOOM foi possível trocar experiências em meio a todo cenário citado.

No segundo momento houve uma palestra voltada a todos envolvidos com a comunidade escolar. Olilian Becker, assessora da Semec lembrou que estava programada para acontecer no dia (01/07), que foi o dia de reinício das atividades letivas não presenciais, no entanto, no dia (29/07) os profissionais da educação, bem como os pais tiveram a oportunidade de compreender que apesar da pandemia da COVID-19 a educação não pode parar.

Foram abordados os temas: resiliência, coragem e união para os dias em que estamos vivendo. Foi uma verdadeira escola de pais em tempos de distanciamento social. Outro ponto alto da Live foi a abordagem do assunto " A quem pertence o dever de casa". Aqueles que estavam assistindo a Live foram impactados ao pensar que é um desafio aprendermos a amar os filhos que temos ao invés dos filhos que queríamos ter. Assim como aprender a ser os pais que podemos ser, ao invés dos pais que gostaríamos de ser.

O Professor Júlio Furtado encerrou a palestra dizendo que “Talvez esse vírus não seja uma doença, mas sim uma cura dolorida para as piores doenças da humanidade. Egoísmo, consumismo, arrogância, ignorância, hipocrisia, preconceito e prepotência.

Fonte: 010 - Assessoria

Noticias relacionadas

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias