Terça-Feira, 28 de Julho de 2020 - 10:28 (Meio Ambiente e Ecologia)

L
LIVRE

Rioterra e Sedam lançam parceria para recuperação de 270 hectares de área degradada em unidade de conservação

Em cerimônia no Palácio Rio Madeira nesta quarta-feira (30), as instituições parceiras apresentam as ações na unidade de conservação.


Imprimir página

Parceria entre o Centro de Estudos Rioterra e a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (Sedam) para a recuperação de mais de 270 hectares de áreas desmatadas ilegalmente na Reserva Extrativista Rio Preto Jacundá marca o início do processo de recuperação de mais de 12 mil hectares em Rondônia até 2030. Em cerimônia no Palácio Rio Madeira nesta quarta-feira (30), as instituições parceiras apresentam as ações na unidade de conservação. 

Plantar mais de 15 milhões de árvores para a recuperação de 12 mil hectares de áreas degradadas em propriedades da agricultura familiar, unidades de conservação e reservas extrativistas é a meta do CES Rioterra até 2030 e a ação com a Sedam é parte de uma série de parcerias público privada para o alcance do objetivo.

A ação na Resex Rio Preto Jacundá é fruto de Termo de Cooperação para ações de restauração florestal em unidades de conservação (UCs) de Rondônia assinado entre as instituições em março deste ano. Os recursos foram captados pelo CES Rioterra e a perspectiva é de que cerca de 80 empregos diretos sejam gerados. A mão de obra virá da própria comunidade extrativista, que passará por capacitação para o plantio e manejo das mudas na Resex.

O projeto é inédito em modelo e escala e visa a conservação e o restabelecimento dos serviços ambientais nessas áreas afetadas, contribuindo diretamente para o combate às mudanças climáticas. "Estamos na década da ação para o cumprimento das Objetivos Globais de Desenvolvimento Sustentável (ODS), esta também foi declarada pela ONU (Organização das Nações Unidas) a década da restauração biológica e ações como essas são urgentes. Precisamos unir forças e, sobretudo, envolver a comunidade neste processo, que traz benefícios não só locais, como geração de emprego e renda e melhoria da qualidade de vida, mas também mundiais frente às emergências climáticas", explica Alexis Bastos, coordenador de Projetos do Centro de Estudos Rioterra.

Rondônia tem 40 unidades de conservação, representando cerca de 10% do território do estado, com mais de dois milhões de hectares de proteção ambiental.

Atualmente, mais de 1.000 hectares de áreas de reserva legal e área de proteção permanente em propriedades da agricultura familiar estão em processo de recuperação em Rondônia através do projeto Plantar, realizado pelo Centro de Estudos Rioterra, em cooperação com Ecoporé e Fetagro, em parceria com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental – Sedam e apoio financeiro do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES através do Fundo da Amazônia. Para este ano, mais 800 hectares devem ser recuperados através do projeto.

Fonte: Assessoria

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias