Livre

Procurador que atuou na Lava Jato confessa irregularidade, mas não é punido

A Corregedoria do MPF concluiu que o procurador da República Diogo Castor pagou por um outdoor em homenagem à operação Lava Jato enquanto fazia parte da força-tarefa da operação. Mas o processo foi arquivado.
Segunda-Feira, 27 de Julho de 2020 - 10:16

Um dos primeiros integrantes da Operação Lava Jato, o procurador da República Diogo Castor pagou a instalação de outdoor comemorativo aos cinco anos da operação. Em depoimento prestado em maio deste ano, Castor disse queria "elogiar e levantar o moral do grupo [de procuradores]".

O outdoor foi instalado nas proximidades do aeroporto Afonso Pena, na capital paranaense. Nele, há fotos de integrantes da operação, incluindo o próprio Castor, e a frase: "Bem-vindo à República de Curitiba, terra da Lava Jato, a investigação que mudou o país."

O procedimento, segundo a subprocuradora da República Elizeta Maria de Paiva Ramos, corregedora-geral do MPF, é "falta de respeito à dignidade das funções do MPF" e infringe "o princípio da impessoalidade" do membro do Ministério Público, cabendo assim uma censura ao procurador.

Mas a investigação foi arquivada, já que o prazo para punir Castor encerrou-se em abril deste ano, informa.

Fonte - brasil247

Comentários

News Polícia

Editoria de Cultura

Editoria Geral

Siga-nos:

POLÍTICA PRIVACIDADE

Todos os direitos reservados. © News Rondônia - 2020.