Quarta-Feira, 22 de Julho de 2020 - 15:34 (Educação)

L
LIVRE

Fies 2020.2: Ministério da Educação adia início das inscrições

Mudança foi motivada por inconsistências no sistema


Imprimir página

Programadas para iniciar ontem (21), as inscrições do processo seletivo do 2º semestre de 2020 do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) foram adiadas para o período de 28 a 31 de julho. De acordo com o Ministério da Educação (MEC), o adiamento ocorreu por causa de inconsistências identificadas no processamento da distribuição das vagas ofertadas pelas instituições de ensino superior.

Segundo o comunicado emitido pelo Ministério da Educação, a alteração do calendário “assegurará a participação de todas as instituições que aderiram ao Fies, garantindo a lisura e a transparência do processo seletivo”.

Desde a última seleção do Fies, o processo de inscrição deve ser feito primeiramente por acesso na conta única do governo, por meio do portal. Após a divulgação dos resultados, o estudante selecionado deverá complementar a sua inscrição e comparecer à CPSA da instituição de ensino para emitir o documento de regularidade e contratar o financiamento.

O Fies é o financiamento de cursos do ensino superior em instituições privadas. O programa oferece juros menores para o custeio das mensalidades de estudantes ao longo do curso e o pagamento desse auxílio é feito apenas ao final da graduação.

Com as mudanças que ocorreram e a transformação no Novo Fies, a taxa efetiva de juros para estudantes que se enquadrem na Modalidade I (ou modalidade Fies) será zero; e, para estudantes que se enquadrem na Modalidade II e III (ou modalidade P-Fies), irá variar de acordo com o banco.

Como participar do Fies

Para se candidatar no Fies é preciso ter feito alguma edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2010, ter obtido nota mínima de 450 pontos na soma das provas objetivas e não ter zerado a redação.

A renda familiar também é critério para seleção na modalidade Fies. Para isso, é necessário ter uma renda per capita de até três salários mínimos. Já para o Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies) o máximo são de cinco salários mínimos.

Semestralmente, os beneficiários precisam fazer a renovação do Fies por meio do aditamento, procedimento obrigatório para garantir a continuidade no programa.

Fonte: Assessoria

Comentários

Veja também

Outras notícias + mais notícias